target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Fetiche - Tara Moss

>>  quarta-feira, 23 de março de 2011


MOSS, Tara. Fetiche. Rio de Janeiro: Editora Fundamento, 2008. 312p. (Título original: Fetich).

“Ela sangrava, mas permanecia consciente, e seus olhos azuis se arregalaram, movendo-se freneticamente de pavor. Com um único movimento preciso, ele cortou o delicado tecido de sua blusa, abrindo-a da cintura ao pescoço. Ela usava um sutiã simples, liso, de cor creme. Ele cortou o fecho do centro, que se abriu com um estalo, expondo os alvos seios da garota. Rasgou também sua saia e as calcinhas de algodão, colocando tudo junto numa pilha bem organizada.
Ela estava nua para ele.
Indiferente as suas súplicas abafadas e à agora desesperada enchente de lágrimas, ele continuou com seu trabalho.”

O livro de hoje tem um enredo que prende o leitor como todo bom romance policial. Tem suspense, surpresa, romance e o glamour da vida das modelos.  Em uma história onde beleza e perversão se misturam conheçam Fetiche de Tara Moss.

O cenário são as belíssimas praias australianas, no inverno uma bela modelo canadense espanta o frio em uma sessão de fotos de roupa de praia.  Muitas trocas de biquínis e retoques de maquiagem depois ela se afasta um pouco da equipe... e nestes poucos metros o que ela vê nunca mais saíra da sua cabeça.

O cheio da morte. O corpo desfigurado. A branquidão da pele e os lábios azuis. Uma mulher morta estirada na praia, sua melhor amiga morta. Porque ela, como? Nada fazia sentido e Makedde entra em estado de choque.

O detetive Andy Flynn liga imediatamente o crime a dois outros anteriores, o assassino do salto alto tinha atacado mais uma vez e a vítima desta vez não era uma prostituta, era uma bela modelo.  E agora ele deveria interrogar a linda modelo loira e tentar descobrir como o corpo tinha ido parar ali, no mesmo local onde ela fazia as fotos.

Mak estava acostumada a ser vista como uma bela modelo loira desmiolada e logo mostra ao detetive que ela queria encontrar o assassino de Cat nem que precisasse meter o bedelho nas investigações. Mak trabalhava como modelo nas férias apenas para pagar sua faculdade, logo estaria se formando em psicologia forense e não iria voltar ao Canadá até o fim daquele caso.

Logo Mak entra em conflito com o prepotente detetive e a troca de farpas acaba virando paquera. Envolver com Andy neste momento não era nada aconselhável, mas sozinha em outro país e emocionalmente abalada era difícil resistir ao atraente detetive.  O que eles não sabem é que Mak era o mais novo alvo do assassino, ele segue todos os seus passos e está obcecado por ela.

E para piorar ela sempre tem a sensação de estar sendo seguida ou de que coisas mudaram de lugar no apartamento. A ousadia de Mak a coloca diretamente na mira do serial killer e seu envolvimento com Andy tem conseqüências graves para seu trabalho. E quando Andy parecia ser a única pessoa em que ela podia confiar ele parece esconder muitos segredos. 

Este é um daqueles livros que a gente lê rapidamente, curiosa para chegar ao final e descobrir o assassino. O romance entre os protagonistas é descrito de forma leve e muito bonita, gostei muito do casal.  Outro ponto positivo é a narração em terceira pessoa, que alterna os personagens e nos deixa conhecer um pouco da mente também do assassino.

Já no que diz respeito a investigação em si algumas coisas me incomodaram. Mak se mete em tudo durante todo o livro, mas em nenhum momento faz nada que ajuda na investigação e quando descobre alguma coisa ainda esconde a informação.  Algumas pistas são deixadas de lado, outras não são explicadas e no final a parte onde descobriram o assassino foi sem graça e mal explicada.

Estes fatos não atrapalharam no desenvolvimento da história, mas para mim o livro deixou de ser excelente para ser apenas uma historia legal. O que mais me incomodou é que na orelha do livro eles afirmam que Tara Moss segundo a citação “A crítica internacional considera a jovem autora como a nova Agatha Christie”. A crítica internacional que me perdoe, mas Tara Moss ainda tem que comer muito feijão com arroz para chegar perto da Agatha rs.

Excetuando-se a comparação acima o livro é uma leitura fácil e agradável, a edição como todas da Fundamento está linda e eu quero ler os outros livros da autora publicados no Brasil. O livro é o primeiro de uma série com Makedde como protagonista, mas as histórias são independentes.

Tara escreve muito bem e a pesquisa para a construção do cenário e da vida das modelos foi muito bem feita. O livro não entra na lista das leituras imperdíveis, mas cumpre bem sua missão de divertir e entreter, se você gosta do estilo irá gostar da escrita e desenvolvimento da trama.

Makedde Vanderwall Thriller de Tara Moss
  1. Fetiche (Fetich)
  2. Obsessão (Split)
  3. Cobiça (Cobit)
  4. Hit (Os demais ainda não lançados no Brasil)
  5. Siren.
  6. Assassin.
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO