target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Hathor - Markus Thayer

>>  terça-feira, 5 de abril de 2011


THAYER, Markus. Hathor. Osasco: Editora Novo Século, 2010. 352p.

“No interior, os olhos arregalados dos aventureiros varriam a imensidão daquele lugar. Não era uma caverna, mas sim uma enorme construção, habilmente edificada no interior da montanha. O estilo arquitetônico não se parecia com nada que tinham conhecimento.”

Hoje vocês vão conhecer o autor nacional do mês de abril no Viagem Literária, com um livro que promete muito suspense e mistério, mas não revela em sua sinopse a incrível reviravolta na trama, conheça Hathor de Markus Thayer.

Os jovens John McBrian e William Kenward são alunos aplicados em Cambridge na Inglaterra de 1856. Os dois eram típicos ingleses, altos, magros e de pele clara. John era filho de um rico industrial e vivia exclusivamente focado em seus estudos. Naquele dia em especial ambos estavam concentrados em um trabalho pedido por Sir Oliver Stwart.

Sir Oliver era um professor entusiasmado e dedicava toda sua vida ao trabalho e pesquisas, viúvo vivia sozinho e em sua casa contava com a ajuda da jovem Emma, sua empregada. Até que seu aluno John lhe mostra uma estranha descoberta.

Enquanto fazia seu trabalho para o professor, John encontrou um estranho mapa escondido em um livro muito antigo e resolve pedir ajuda de Sir Oliver para decifrá-lo. Juntos eles descobrem uma pista e partem rumo a uma expedição para procurar o misterioso “tesouro”.

Enquanto isso a apaixonada Emma acaba comentando sobre a busca do tesouro com seu misterioso namorado Klaus, mas sem saber que está colocando todos os membros da expedição em perigo. Klaus faz parte de um bando que vive de pequenos golpes e assaltos e vêem naquele mapa a chance de ficarem ricos e mudar de vida.

Perseguidos por bandidos, sem nenhum conhecimento do que de fato procuram e cheios de dúvidas Sir Oliver, John e William partem rumo ao destino desconhecido. E acabam formando um estranho grupo que viajará para o Brasil, munidos apenas de coragem e do desejo de descobrir o maior tesouro do mundo.

Hathor me despertou muitos sentimentos diferentes durante a leitura e depois pensando sobre o livro, o maior deles foi de surpresa pelos rumos inesperados que a trama toma e também algumas dúvidas sobre a escolha de se mudar completamente o estilo da obra.

Vou tentar explicar melhor a minha dúvida, o que vai ser difícil já que não posso revelar qual foi a grande mudança senão iria estragar a surpresa para quem ainda não leu. Mas é mais ou menos assim: Se você compra um livro baseado em sua capa e sinopse, você claro adquire uma obra de acordo com seu estilo literário; romance, suspense, policial, juvenil ou sobrenatural, por exemplo. Tem leitor que navega tranquilamente por todos eles, mas outros têm um gosto mais específico. Então se um leitor compra um livro que aparentemente seria um policial, por exemplo, e de repente ele “vira” um livro de vampiros (rs) ele não poderia causar rejeição? E por outro lado, aqueles que são apaixonados por vampiros não poderiam deixar de comprar aquele livro porque não sabia seu conteúdo?

Eu adoro a maioria das temáticas, mas foi só uma coisa que fiquei pensando quando terminei a leitura. Porque este é um exemplo de um livro que você jamais espera que rumo irá tomar (não é sobre vampiro não ta gente, foi só um exemplo mesmo), eu pessoalmente gostei muito da “surpresa”. Quem ver o booktrailer antes de ler, ele esclarece algumas coisas, já eu só vi depois que tinha lido o livro.

Hathor é um livro muito gostoso de ler, mas achei a trama um pouco corrida e não descreve individualmente muito bem os personagens. Eu gostei da forma como o autor escreve, do estilo da narrativa, mas queria saber mais sobre os personagens principais.

Depois quando o segredo se revela eu adorei o rumo que a trama toma, os personagens secundários que quase não tinham aparecido até então são os mais divertidos do livro, como Joseph e Yuri. Gostei muito de Klaus também, já John achei bem apagadinho até um certo ponto. O romance de Emma e Klaus é muito bonito, gostei muito do casal.

Apesar de ter lido a segunda metade do livro em uma sentada e ter me divertido bastante, algumas coisas referentes à tecnologia não me convenceram e achei que tudo se resolveu fácil demais no início. Todo mundo fica bonzinho, todos concordam em tudo e nenhum deles demonstra algum tipo de choque com o que descobrem. O livro termina com uma clara promessa de continuação,  que eu quero muito ler, espero bem mais do segundo livro porque gostei muito do final.

A capa faz todo o sentido depois da leitura e eu adorei o trabalho, que inclusive foi feita pela filha do autor e já conhecida aqui do blog, Kamila Denlescki – autora de Estrela Píer. O book trailer exemplifica muito bem sobre o que aguarda  a trama do livro:



Para quem gosta de grandes reviravoltas nos livros convido a conhecer Hathor. Durante o mês teremos promoção e entrevista com o autor aqui no blog.

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO