target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Uma Viagem Adaptada: Filme x Livro #6 - A Guerra dos Tronos

>>  quinta-feira, 19 de abril de 2012

E ai, tudo bem? Eu estou bem, até porque acabou de chegar meu box da Agatha Christie que dei noventa centavos no Submarino. Yay! 

Então, hoje nós vamos para mais uma coluna do Viagem Adaptada, com uma série e um livro de tirar o fôlego. O livro já foi resenha pela Nanda, e você pode conferir aqui

A Guerra dos Tronos - Game of Thrones, no original -, é uma série de TV do gênero fantasia, baseada no livro homônimo de George. R. R. Martin. É exibida pela HBO, e sua primeira temporada estreou no dia 17 de abril de 2011. Criação de David Benioff e D. B. Weiss.


Antes de tudo um pequeno aviso rs: escrever sobre A Guerra dos Tronos não será fácil. Histórias paralelas e o grande número de personagens dificultam seguir uma linha de raciocínio. Mas prometo que tentarei.  

Estamos em Winterfell, no norte, – terra e lar da família Stark – governada por Lorde Eddard Stark (Sean Bean), ou simplesmente Ned, que junto de Catelyn possui cinco filhos: Rickon, Bran (Isaac Hempstead-Wright), Arya, Sansa e Robb (Richard Madden). Fora estes, existe Jon Snow (Kit Harington), o filho bastardo de Ned.

A trama começa a se desenvolver quando, após a morte de Jon Arryn, Mão do Rei, o Rei Robert Baratheon (Mark Addy) viaja até Winterfell para oferecer a Ned o cargo em aberto.  A Mão do Rei é o segundo posto mais importante, por isso precisa ser dado a uma pessoa de extrema confiança.

Não vendo motivos e não querendo deixar suas obrigações em Winterfell, Ned reluta em aceitar a proposta, mas as coisas mudam quando Catelyn (Michelle Fairley) recebe uma mensagem.

Lysa Arryn, esposa da antiga Mão do Rei, é irmã de Catelyn, e a manda uma carta – pedaço de papel dobrado e selado, enviado por corvos – dizendo que Jon não morreu, e sim foi assassinado. Diz também que a morte dele foi arquitetada pela Rainha Cersei (Lena Headey), esposa de Robert, e sua família, os Lannister.

Com o intuito de investigar a morte de Jon e proteger o Rei dos inimigos que o rodeia, Ned aceita o cargo e viaja para Porto Real. Junto, leva suas duas filhas. Sansa (Sophie Turner) e Arya são totalmente diferentes, principalmente em seus objetivos. Enquanto Sansa, prometida a Joffrey, herdeiro do Rei, sonha com sua vida de donzela e futura rainha, Arya (Maisie Williams) tem o desejo de sumir da corte e aprender a lutar com uma espada.

Agora nos encontramos no Leste, além do Mar, onde vive Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) e seu irmão Viserys (Harry Lloyd), que a vende para Khal Drogo, líder dos Dothrakis, guerreiros nômades. Viserys pretende usar o exército para conquistar o Trono, que já foi dos Targaryen.
"Quando se joga o jogo do trono, você vence ou morre. Não existe meio termo."
Agora, uma guerra foi declarada. Quem vencerá a Guerra dos Tronos?

A história contém inúmeros personagens, e é impossível não amar ou odiar pelo menos um. Tem certas diferenças de como eles são no livro e na série – só alguns, outros são iguais. A Sansa, por exemplo, no livro ela faz jus ao nome, sonsa, e eu queria matar ela. Já na série não. Não cheguei a gostar dela, mas não cheguei a odiar. Quase na mesma situação, temos Lysa Arryn, a doida obcecada em proteger e cuidar seu filho Robin Arryn. No livro, ela é uma chata e idiota, e ele então, socorro, dá vontade de jogar os dois lá de cima do Ninho da Águia – que é um lugar bem alto, onde eles vivem. Na série eu também não gostei de nenhum dos dois, mas ela não é tão idiota quanto no livro. Já ele continua bobo, e eu continuo querendo jogá-lo lá de cima. Falando em querer matar, não posso deixar Joffrey de fora, aquele menino é de Hades, sério. Mas, em compensação, tem a Arya e a Daenerys (faz cara de apaixonado). São minhas personagens favoritas, sem dúvidas. As duas são fortes e destemidas, tanto no livro quanto na série. Ficava torcendo para chegar a parte delas.

Depois dos personagens tem o cenário. Belíssimo e muito real. Lendo o livro, fiquei morrendo de curiosidade para ver como deve ser a Muralha, Porto Real, o Ninho da Águia, Winterfell, tudo! E posso dizer que achei ótimo na série. Tudo muito bem feito e bem filmado. A Muralha é magnífica. E fora isso, eles foram atenciosos em todos os detalhes, desde as casas e castelos até as roupas e talheres.

“Ok, mas e a história? Já até imagino o que fizeram com ela...” Aí eu te digo: é muito fiel ao livro! Isso mesmo, pouquíssimas coisas foram cortadas ou alteradas, mas história esta lá, intacta. Mas claro, as coisas acontecem mais rápido. No começo, eu fiquei um o pé atrás quanto a maquiagem, porque achei bem falso aquele começo, rs, mas foram só aqueles três minutos inciais mesmo. 

Eu gostei das escolha dos atores, e todos atuam muito bem. Eles conseguem dar vida aos personagens que imaginamos, e o que sem dúvida ajuda isso, é o figurino, que enriquece ainda mais a beleza das imagens.

Agora calma, não vai pensando que ler ou assistir Guerra dos Tronos é para qualquer um. O livro e a série são recheados de violência e assuntos polêmicos. Temos prostituição, incesto, carnificina, etc. E tem cenas de crueldade até contra pobres animais. Eu não gostei de ver um cavalo tendo sua cabeça arrancada por causa da ignorância de um personagem idiota. Não é uma história leve.

O livro possui muitos detalhes, e isso é bom porque você consegue imaginar tudo que o escritor descreve. Sem contar que cada capítulo é narrado – em terceira pessoa – com a perspectiva de um personagem; são oito personagens no total. Mais eu achei impressionante, que apesar da complexidade da trama e do número de detalhes, a história flui com facilidade. Nas primeiras páginas você pode até ficar um pouco perdido, mas depois você começa a entender tudo.

O final da primeira temporada da série e do primeiro livro, é de deixar com vontade de ler e assistir a continuação o mais rápido possível. E eu espero que eles continuem sendo fieis. Li um tweet uma vez dizendo “A segunda temporada começou diferente do livro.” Espero que tenha sido pouca coisa, porque se for verdade e eles começarem a criar outro roteiro... Mato-os.

Eu recomendo, sem dúvidas, tanto o livro quanto a série. Vale super a pena. Mas vai a minha dica: leia o livro primeiro. É grande, mas não se assustem, quando você se der conta já vai estar quase acabando.

Ambos entram para minha lista de favoritos, e agora mal posso esperar para comprar e ler A Fúria dos Reis, então assistir a segunda temporada da série.



Minha nota para a série é:


E ai, já leram o livro ou assistiram ao filme? O que acharam? Que sugerir um filme ou série para a coluna? Clique aqui.  

Espero que tenham gostado, e até semana que vem :)  

 

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO