target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Uma Viagem Adaptada: Filme x Livro #7 - Assassinato no Expresso do Oriente

>>  quarta-feira, 23 de maio de 2012

E ai, tudo bem? Hoje vamos conferir mais uma coluna na qual falarei sobre filme baseado em livro, ou vice-versa.


O filme é baseado em romance homônimo escrito por Agatha Christie. Lançado em 1974, com roteiro de Paul Dehn, tem duração de 127 minutos e é de gênero suspense/policial.



Depois de resolver um caso, o detetive Hercule Poirot (Albert Finney) tem de embarcar no Expresso do Oriente. Por incrível que pareça, o trem está cheio, mas nada que o diretor da companhia, Bouc, não possa fazer para colocá-lo lá dentro. Assim, divide a cabine com Mr. MacQueen (Anthony Perkins).

Já com certo tempo de viajem, logo após o almoço, Poirot recebe a proposta de garantir, como detetive, a segurança de Mr. Ratchett (Richard Widmark), que vem sendo ameaçado de morte por meio de cartas anônimas. Apesar da grande quantia oferecida, Poirot não aceita, dando a justificativa de que agora fazia seu trabalho mais por interesse do que por dinheiro.

E nessa noite algo acontece.

No dia seguinte, Mr. Ratchett é encontrado morto – mais precisamente, assassinado – em sua cabine. O motivo da morte seria doze facadas que levou enquanto dormia. Algumas destas parecem ter sido feitas por uma mulher, em consequência de serem rasas, já outras, por homens. Do mesmo modo que algumas aparentam ser de pessoas canhotas e outras de destras.

O encarregado de resolver o caso é Poirot, mas as pistas deixadas são um tanto misteriosas, e de primeira, é praticamente impossível arranjar uma solução plausível. Ele só tem certeza de uma coisa: o assassino ainda se encontra no trem.

Este foi o primeiro livro da Agatha Christie que li, e posso dizer que me surpreendi. Para ser sincero, não esperava muito do livro, e nem estava tão animado para a leitura, mas comecei a me envolver com a história e queria ler cada vez mais. Pena que a adaptação não foi isso tudo.

Deixe me falar que eu não gostei nem um pouco do ator escolhido para interpretar o detetive Hercule Poirot. Ta, convenhamos que foge um pouco da normalidade, e isso poderia ser até interessante, mas não foi – pelo menos para mim. Para balancear, os atores coadjuvantes fizerem um ótimo trabalho. Também gostei bastante do figurino e da fotografia.

Outra coisa que eu achei bem... Não sei bem o que achei... Foram os sotaques. São muitos, alguns são até de difícil compreensão, outros engraçados. Isso em consequência das diferentes nacionalidades dos personagens. 

Como na maioria das adaptações, algumas coisas foram alteradas, mas nada que vai fazer você passar raiva, já que várias cenas foram mantidas, e o ritmo do filme não é tão rápido. Não gosto quando o filme acontece em uma velocidade bem maior do que a do livro, só que nesse caso acho que podia ser um pouquinho mais rápido. O filme tem duas horas de duração, e dependendo do seu ânimo, você não chega nem na metade. Isso poderá acontecer com as pessoas que não leram o livro. Quem leu, não terá tanto problema com tempo. 

Ou seja, creio que quem leu o livro, deve sim assistir ao filme. Eu recomendo a leitura do livro antes do filme ou mesmo que não vá assisti-lo. Se não quiser ler o livro, e apenas assistir o filme, não espere uma longa com ação, e sim em um ritmo lento. Ainda sim, é um filme bom.

O livro é melhor que o filme. Agatha Christie realmente tem uma narração ótima, e com certeza irei ler mais livros da autora.


Minha nota para o filme é:

E ai, já leram o livro ou assistiram ao filme? O que acharam? Que sugerir um filme ou série para a coluna? Clique aqui

Espero que tenham gostado e até semana que vem :)

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO