target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Viaje com as séries #11 - True Blood

>>  segunda-feira, 11 de junho de 2012


Olá, pessoal. Animados para essa volta à rotina depois do feriadão? A gente sempre quer mais, né? Mas é bom voltar também. Falando em voltar, quem retornou para a grade de programação da HBO na noite de ontem foi a série True Blood. A produção é sobre vampiros e é baseada na série de livros de Charlaine Harris, The Southern Vampire Mysteries. No Brasil a série de livros leva o nome da protagonista, Sookie Stackhouse. A Nanda já resenhou os livros, para conferir, clique aqui

Na TV, a série foi criada por Alan Ball e estreou em setembro de 2008. O pano de fundo é a co-existência de vampiros e humanos, além de outros seres sobrenaturais. Em True Blood o planeta vive uma nova era de evolução científica, fazendo com que os vampiros consigam viver como cidadãos comuns. Tudo graças aos cientistas japoneses que desenvolveram o sangue sintético, capaz de alimentar os “monstros” e fazendo com que – teoricamente – os vampiros deixassem de beber sangue humano.

Porém, muitos humanos não aceitam essa nova condição, até porque não se sentem seguros convivendo com seres conhecidos por sua crueldade e por matarem humanos apenas pelo prazer. No entanto, não há muito o que se fazer, além de aceitar e tentar conviver com eles, pois os vampiros de todos os cantos do mundo estão saindo de seus caixões – ou porões.

Entre as pessoas que não veem problemas em viver com vampiros, está Sookie Stackhouse, uma garçonete de uma pequena cidade de Louisiana, Bon Temps. Ela tem um certo fascínio sobre esses seres, principalmente após descobrir que não consegue ouvir o que eles pensam. Ah é, esqueci de comentar, Sookie é telepata e sofre com esse “dom” desde criancinha. É um terror conseguir ouvir tudo que as pessoas ao seu redor pensam. Mas com os vampiros não é assim, é só silêncio.

Quando o primeiro vampiro entra no bar que ela trabalha, Sookie fica excitada, louca para atendê-lo. Bill Compton, foi o primeiro vampiro que ela teve contato, um atraente vampiro de 173 anos de idade, que estava se mudando para a cidade, para uma casa próxima da sua. Logo, depois de algum tempo de contato, eles se apaixonam e muita, mas muita coisa acontece em suas vidas. Problemas de todos os lados, revelações assustadoras e surpreendentes, além da presença de cada vez mais seres sobrenaturais em sua volta. E claro, muito romance e “pega pra capá”. Porque se tem uma coisa que quase aparece mais em True Blood do que vampiros, é sexo. No começo, eu até fiquei assustada, pensei em nem continuar, morro de vergonha. Mas a história é envolvente, atrai sua atenção e, por fim, consegui deixar essas cenas mais de lado.


Mas não é só em torno de Sookie e Bill que a história se passa. Há muitos personagens de Bon Temps e de cidades vizinhas, sem falar em xerifes de outros lugares. Cada personagem tem um toque especial, fascinante e, por vezes, amedrontador. Não posso esquecer de citar que a série é também um ponto alto de piriguetismo, tem cada vampiro e cada humano que merecem nota 10 no quesito beleza!


A primeira temporada da série recebeu elogios da crítica e ganhou vários prêmios, incluindo um Globo de Ouro, um Emmy e quatro Satellite Awards. A segunda temporada estreou em 14 de junho de 2009 e teve indicações e prêmios significativos, além de ser bastante elogiada pela  crítica. Em 30 de julho de 2009, confirmou-se que True Blood seria renovada para uma terceira temporada, que começaria a ser filmada em 3 de dezembro do mesmo ano, indo ao ar em 27 de junho de 2010. Pela a boa repercussão do seriado, foi confirmada a quarta temporada, que estreou nos Estados Unidos no dia 26 de junho de 2011. E ontem, estreou por lá a quinta temporada da atração.

Curiosidades
  • Gary Calamar, o supervisor musical da série, disse que seu objetivo para a trilha sonora era criar "algo pantanoso, blues e assustador" e que remete-se ao estilo de música local de Louisiana, com a colaboração de Nathan Barr, que escreve intrumentais originais para a série, tais como "Take Me Home" e "Strange Love". O tema principal é "Bad Things", música country do artista Jace Everett que ganhou o prêmio da Broadcast Music Incorporated.
  • A abertura, indicada ao Emmy na categoria de melhor abertura, foi criada pela Digital Kitchen, um estúdio de produção, que também foi responsável por criar a abertura dos seriados Six Feet Under e Dexter. A abertura tem como música de fundo a canção "Bad Things" e, conceitualmente, é construída a partir da mistura de imagens contraditórias que envolvem sexo, violência e religião, projetadas ao ponto de vista do sobrenatural. A maioria das imagens utilizadas na abertura foi filmada por quatro dias em Louisiana, além de gravações em Chicago com pequenas participações de vários membros da Digital Kitchen.
  • Embora a série seja rodada na cidade ficcional Bon Temps, um número notável de atores que compõem o elenco são de várias nacionalidades. Em uma entrevista, Alan Ball explicou que não intencionalmente procurou atores que não sejam americanos, mas estava disposto a ir a qualquer lugar que precisasse para “encontrar atores que fariam os personagens dos livros respirarem”. Ball também explicou que desde do início havia um foco em procurar atores que interpretassem o personagem de maneira convincente e não aqueles que se assemelham fisicamente às personagens descritas nos livros. Observando que há uma nítida diferença entre os personagens retratados em True Blood e os descritos nos livros da coleção de livros.
Informações Gerais
  • Gênero:  Drama, fantasia;
  • Duração: aproximadamente 55 minutos;
  • Criador: Alan Ball;
  • Produtores: Alan Ball e Gregg Fienberg;
  • Elenco: Anna Paquin, Stephen Moyer, Sam Trammel, Ryan Kwanten, Alexander Skarsgard, Marshall Allman, Rutina Wesley, entre outros;
  • Tema de abertura: Bad Thing, de Jace Everett;
  • Tema de encerramento: Nathan Barr.
Boa segunda, uma ótima semana e até a próxima. 

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO