target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Ruas estranhas - George R. R. Martin e Gardner Dozois (org.)

>>  terça-feira, 7 de agosto de 2012


MARTIN, George R. R.; DOZOIS, Gardner (org.). Ruas Estranhas. Rio de Janeiro: Editora Casa da Palavra, 2012. 496p. Título original: Down these strange streets.

Organizado por George R. R. Martin e Gardner Dozois o livro Ruas Estranhas reúne dezesseis contos de autores consagrados, muitos deles já conhecidos de longa data pelo público brasileiro, alguns outros com séries grandes lá fora que infelizmente ainda não chegaram nas terras tupiniquins. Destaque para o “organizado por”, o nome enorme do George R. R. Martin – famoso autor de A guerra dos tronos –  na capa serve como um ótimo chamariz, mas que fique claro que não temos um conto dele, além da organização da obra ele escreve a introdução. 

Quem acompanha o blog há mais tempo sabe que eu não sou fã de livros de contos, nunca consigo me envolver como deveria. Aquela historia de não ter que aguardar pelo final tira minha expectativa e me faz cochilar em cima do livro. A boa notícia é que Ruas estranhas me surpreendeu, sim, alguns contos me fizeram cochilar, mas a maioria é muito legal, alguns eu gostaria até de ler um livro sobre os personagens.

O maior destaque aqui são para os autores, os contos são de autores consagrados e para quem é fã de sobrenatural, um prato cheio. São bruxas, vampiros, lobisomens, zumbis, tem de tudo um pouco. Para quem quiser saber mais sobre o livro, deixo o link da resenha muito legal do Game of thrones BR.

A introdução de George R. R. Martin (páginas 9-12) é interessante, o autor introduz e explica o gênero que ficou conhecido como Fantasia urbana. Ele fala da nova fantasia urbana, estórias que se passam no mundo atual mas que tem um toque de sobrenatural e como cenário as ruas caóticas de Nova York, Chicaco, etc. Segundo o autor, a fantasia urbana de hoje é fruto de dois gêneros: o horror e o mistério. Mistério com coisas fortes, nuas, cruas e sujas. “Os heróis da fantasia urbana saem do mistério policial, enquanto os vilões, monstros e antagonistas têm suas raízes no horror clássico. Mas é a combinação que da sabor a esse gênero.” (George Martin,p.11)

No conjunto destes 16 contos temos autores queridinhos no Brasil. Charlaine Harris abre o livro com Morte por Dahlia, uma história sobre vampiros e vários seres sobrenaturais - do jeito que ela gosta - que inclui vingança, traição e algumas garrafas de sangue engarrafado. No conto são visíveis as características da autora presentes na série Sookie Stackhouse, embora mais curta do que eu gostaria a estória prendeu minha atenção. E Dahlia é uma protagonista que eu gostaria de rever em um livro.

“Na Nightside de Londres está sempre escuro, são sempre três horas da manhã, a hora que testa as almas dos homens... E as descobre carentes.” p. 65

Simon R. Green é autor da série Nightside com 11 volumes publicados no exterior, gostaria muito que estes livros fossem lançados aqui porque adorei a narrativa do autor. A série fala de um detetive com um dom muito especial para encontrar as coisas, e que se envolve com seres sobrenaturais em suas investigações nas ruas soturnas de Londres. Seu conto Coração faminto conta uma historia de seu famoso detetive John Taylor, contratado para encontrar o coração de uma bruxa. Um dos melhores contos para mim, li rapidamente e fiquei querendo mais.

Dor e sofrimento de S. M. Stirling conta a saga de um policial comum que se vê a caça de um criminoso assustador e nada comum, aparentemente impossível de derrotar. Este juntamente com A sombra que sangra de Joe R. Lansdale são contos que achei medianos, legais, mas não tão empolgantes. No segundo um investigador irá se envolver com um assunto sobrenatural para ajudar uma velha amiga, este foi o conto mais assustador do livro, não consigo sentir medo em livros como em filmes de terror, mas este foi mais sinistro. Sem mistério, sem milagre da Melinda M. Snodgrass também não me marcou, uma historia interessante sobre humanos possuídos e a velha luta do bem contra o mal, mas que não me prendeu.

Carrie Vaughn é outra autora de uma série grande no exterior, a série de romances que narram a vida de Kitty Norville, um lobisomem radialista. Outra série que eu leria com prazer se chegasse ao Brasil. Seu conto Sempre a mesma velha historia fala sobre a vida longa e solitária de um vampiro que investiga a morte de uma velha amiga humana. É um dos contos mais romanceados, eu gostei.

Outro dos meus preferidos é de autoria de ninguém menos do que Conn Iggulden, o famoso autor da série O imperador. Em A dama grita ele narra uma interessante trama que envolve um caçador de fantasmas charlatão, que de repente, deixa de ser tão charlatão quando encontra A dama, seu primeiro fantasma de verdade. A narrativa do autor é deliciosa e eu li o conto até o final sem desgrudar.

Hellbender da Laurie R. King foi o conto que mais me surpreendeu, a autora é conhecida pela série Mary Russel com 11 volumes publicados, uma moça que se torna aprendiz de Sherlock Holmes e depois sua futura esposa. Por favor, alguma Editora tem que lançar a série por aqui! E seu conto é bem diferente, a historia acompanha o investigador que é um SalaMan e investiga um caso que envolve sua espécie. Os SalaMans foram criados por um cientista maluco que cruzou embriões humanos com anfíbios, gerando seres de aparência por vezes muito diferente e alguns dons especiais. Este também daria um ótimo livro.

Não vou conseguir falar de todos eles, mas O curioso caso de Deoland da Lisa Tuttle é outra historia de detetive, agora com uma protagonista mulher que irá ajudar o investigador em uma investigação de assassinato bem incomum. Eu gostei, mas não amei. Para mim os piores do livro foram Estige e Pedras, Ladrões de sombra, A diferença entre um enigma e um mistério, Cuidado com a cobra e A águia de Adak. Estes eu tive que persistir para não abandonar.

Lorde John e a peste de zumbis é da minha queridinha Diana Gabaldon, um dos dois contos do livro que tem um homossexual como protagonista. O livro narra uma das aventuras de Lorde John, em uma ilha da Jamaica. Chamando para resolver um conflito com os escravos ele enfrentará mortes, canibalismo, animais peçonhentos, e claro, zumbis. Eu gostei muito do protagonista e da historia em si, sabia que a Diana não iria me decepcionar (rs).

De vermelho, com pérolas da Patricia Briggs é o segundo conto com um protagonista homossexual como comentei acima, neste caso o moço ainda é um lobisomem. Eu adorei! No conto ele investiga um zumbi que foi contratado para assassinar seu parceiro e irá lidar com bruxas e muitos inimigos mortais. Autora da série Mercy Thompson, outra que fiquei curiosa para conhecer.

Para quem gosta de contos e de conhecer novos autores - novos para nós leitores brasileiros-, eu indico com certeza. Várias historias sobrenaturais interessantes e de evolução rápida, bem editadas e com uma leitura que flui muito bem, na maioria das vezes. Alguns contos eu realmente não gostei, mas como eu disse no início, não sou fã deste estilo de leitura e isto pode ter influenciado. Se você leu me conte o que achou. Leiam a noite!

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO