target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Viaje com as séries #43 – The Carrie Diaries

>>  segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013


Oi, pessoal! Uma nova série que está dando o que falar e chamando atenção geral é The Carrie Diaries. A produção é um prequel de Sex and the City e baseada nos livros de Candace Bushnell – que eu ainda não li. 


Bom, Sex and the City é um sucesso mais que confirmado, tem fãs espalhados por todos os cantos e poder ver Carrie Bradshaw em sua adolescência deve significar muito mais para quem acompanhou as aventuras da Carrie adulta, mas não se limita a esse público.

Eu, que nunca assisti a série, só aos filmes, senti uma vontade imensa de conferir a novidade do canal CW. Até agora foram três episódios exibidos, o quarto vai ao ar hoje, e estou gostando bastante. A audiência na estreia não foi boa, isso é verdade, e também já deixa muita gente com o pé atrás, mas o enredo é tão gostosinho, que é impossível deixar de conferir por medo de cancelamento.


O ano é 1984 e a ambientação criada pela produção é perfeita! Pensem nas roupas, cabelos, maquiagens, músicas! Tudo isso aparece e é incrível. Carrie é uma adolescente centrada, perdeu a mãe há alguns meses e toda a família ainda sofre com isso. O pai, Tom, tem que se virar para dar conta de duas jovens meninas e Dorrit, a irmã caçula, vive uma época rebelde. Carrie não é a garota mais popular da escola e nem liga para isso, ela tem ótimos amigos – Mouse, Walt e Maggie – e conseguiu um estágio na cidade que ama: Nova York. Ainda por cima, o novo garoto da escola está totalmente na dela. Sebastian é o assunto da volta as aulas e o alvo de Donna, essa sim a garota mais popular da escola.

Mas não pense que a trama fica centrada nesse draminha de menina se apaixona por menino e uma outra interessada tenta melar. Nem de longe. A série foca mais em mostrar o outro amor de Carrie, Manhattan. Lá, onde faz seu estágio uma vez por semana, um mundo completamente novo se abre e ela fica louquinha. Principalmente quando conhece Larissa, editora de estilo da Interview Magazine, que amou sua bolsa e a quer na revista. Esse choque entre as duas vidas de Carrie que ganha destaque. Ao mesmo tempo em que é uma adolescente responsável em casa, com boas notas e preocupada em ajudar o pai, principalmente com a irmã, Carrie também demonstra seu lado um tanto rebelde, que desrespeita as regras impostas pela chefe, sai na noite de Manhattan com Larissa e chega atrasada em casa.


Carrie tem 16 anos, mas não é daquelas meninas chatinhas, cheias de atitudes drama queen, como já escrevi, ela é centrada e isso que chama a atenção e dá pontos para a produção. Um dos momentos que mais me chamou a atenção foi quando ela viu Sebastian com Donna no carro, na noite em que voltou tarde de Manhattan. Qualquer garota surtaria, mas aquela cidade a mudou, e ela teve uma reação completamente sensata, madura.

Confesso que as partes sobre seguir em frente após a perda da mãe mexeram muito comigo. E quando Dorrit some e só volta no outro dia bêbada e responde as preocupações e repreensões de Carrie com a frase “você não é minha mãe”, desabei a chorar com Carrie e sua resposta: “Eu daria tudo para ter mamãe aqui e não precisar fazer o papel de a mais responsável…”. Aiai, doeu mais ainda quando finalmente o pai das meninas resolve encaixotar as coisas da mãe no closet, um lugar que ele mantinha intocável até então.


Enfim, não quero me alongar mais. A série é gostosinha, super curtível – acho que inventei isso agora – e merece a atenção de vocês. O enredo é ótimo e o andamento das situações também. Fico um pouco preocupada com a questão da audiência, mas torço para que ela supere o mau começo e vingue! Ah, essa primeira temporada terá, inicialmente, 13 episódios.

Como falei das músicas, deixo aqui as que embalaram o primeiro episódio da série: Material Girls – Madonna, Let The Music Play – Shannon, Just Can’t Get Enough - Depeche Mode, Burning Down The House - Talking Heads, Bette Davis Eyes - Kim Carnes e, chave de ouro, Girls Just Want To Have Fun – Greg Laswell. Merece ou não merece uma conferida?

Informações gerais
  • Gênero: Drama;
  • Duração: 42 minutos;
  • Produtores: Miguel Arteta, Candace Bushnell, Len Goldstein, Josh Schwartz, Amy Harris, Stephanie Savage;
  • Elenco: AnnaSophia Robb, Freema Agyeman, Chloe Bridges, Austin Butler, Matt Letscher, Stefania Owen, Ellen Wong, Brendan Dooling, Katie Findlay.

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO