target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

1Q84 - Haruki Murakami

>>  quarta-feira, 6 de março de 2013


Murakami, Haruki. 1Q84. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2012. 430p. Título original: 1Q84. (1Q84, v.1).

“Era necessário criar um termo especial para diferenciar o mundo novo daquele mundo anterior em que os policiais ainda usavam revólveres. Até mesmo os gatos e os cachorros recebiam nomes. Um novo mundo também precisava de um.
1Q84 – É assim que vou chamar esse mundo novo, decidiu Aomame. Com a letra Q, de Question Mark; um quê de dúvida, de interrogação.” p. 160

Meu interesse por este livro surgiu quando vi que ele venceu como melhor livro do ano, na categoria “Best Fiction”, o Goodreads Choice Awards 2011; para vocês terem uma ideia quem ganhou em 2012, na mesma categoria, foi o famoso The casual vacancy. Fiquei curiosa para conhecer o autor e historia, e me surpreendi. Vou falar do primeiro volume da trilogia do japonês Haruki Murakami com 1Q84.

O ano é 1984, o local é a cidade de Tóquio, Japão. Temos dois personagens principais, a narrativa irá alternar os capítulos entre eles até o final. Começamos com Aomame. Ficamos sabendo que ela tem quase 30 anos, que é personal trainer em uma academia, e tem ainda uma profissão secreta – a de assassina. Ela nos diz que é bonita, capaz de seduzir um homem quando precisa, mas que seus seios são lamentáveis, o que atrapalha quando precisa do visual de mulher fatal. Bom, ela está em um táxi engarrafada na via expressa e ouvindo música clássica. O taxista, estranho e muito gentil, sugere que ela use uma escada de emergência no meio da avenida, cortando caminho. Ela aceita sua sugestão, e aos poucos vai descobrindo que de alguma forma passou a viver em um mundo distinto, que se revela aos poucos.

Tengo tem 30 anos e é professor de matemática, e também um escritor frustrado. Ele é persistente, escreve bem, mas ainda não conseguiu a historia ideal. Aquela digna de ser publicada. E com a sugestão de um editor “amigo” seu, Tengo acaba aceitando uma proposta inusitada. Reescrever o romance de uma garota de 17 anos, para concorrer ao prêmio literário de uma revista e lançar a menina como escritora de sucesso. Mesmo sabendo que isso não é ético e até criminoso, Tengo não resiste aos encantos da historia de “Crisálida de ar” e aceita a proposta. Ele fica conhecendo Fukaeri, uma menina de 17 anos linda e bem incomum. Ela tem um trauma do passado, algo aconteceu na comuna onde viviam seus pais e Fukaeri acabou fugindo de lá há 7 anos e nunca tocou no assunto. Ela não se importa que sua historia seja reescrita, diz que só queria contar o que aconteceu, dando a entender que a estranha ficção era real.

Aos poucos, estas duas historias vão criando pontos em comum, vão se entrelaçando. Vamos descobrindo pequenas relações entre os personagens, e vimos que ambos, estão vivendo em um universo diferente. Em uma historia de amor, abandono e mistérios que desafiam a realidade, acompanhamos os protagonistas e suas descobertas. Em uma trama diferente, e muito original.

“Na minha opinião, o que a organização de Takashima faz é apenas criar um bando de robôs incapazes de pensar. Eles retiram do cérebro o circuito que permite que a pessoa pense por conta própria. É um mundo semelhante ao que George Orwell descreveu em seu livro. Porém, como você bem sabe, não são poucas as pessoas que buscam avidamente viver nesse estado de morte cerebral. Viver desse jeito é muito mais fácil: não é preciso se preocupar com nenhum tipo de problema e basta acatar em silêncio as ordens dos superiores.” p. 177

~~~~~~

Haruki Murakami é sem dúvida um autor que se destaca na literatura contemporânea, o autor escreve de forma sutil, linear. Aos poucos ele nos conta sua historia, e muitas outras dentro dela. Seu enredo muda de uma historia para outra, nos remete aos passados de seus personagens, nos conta a vida de outras pessoas que cruzaram com eles, tudo isso de forma concreta e sem se tornar cansativo, apesar da escrita descritiva. Ao mesmo tempo o autor escreve de forma crua, suas referências sexuais são despidas de romantismo e paixão, sobra-se tesão e atração, algo feito apenas para “aliviar a tensão”. Este aspecto me chamou a atenção porque esteve muito presente nas duas historias.

Eu não tinha lido ainda nada do autor, e o livro me surpreendeu positivamente. É uma leitura mais densa e detalhista, cheia de críticas nas entrelinhas, portanto, não é um livro que indico para qualquer leitor. A obra é também claramente inspirada em 1984 do George Orwell e as influencias e semelhanças vão ficando claras no decorrer da trama. Como este é o primeiro livro de uma trilogia, imagino que as semelhanças com “o grande irmão” irão se aprofundar no segundo livro.

Uma coisa que eu não gostei foi que este livro não parece o primeiro de uma trilogia, parece um livro enorme que resolveram partir em 3 partes. O livro termina totalmente no ar, encerra um capítulo e fim. É estranho, a historia continua linear e não existe aquele ápice de fim de livro. Acho que foi a única coisa que desgostei.

Aomami e Tengo são personagens únicos, interessante como o autor conta aos poucos detalhes do passado dos dois, que acabam por aproximá-los e por ganhar a simpatia do leitor. Ambos são frios, decididos. Ambos tiveram uma infância complicada e agora acharam um caminho. Os dois veem o sexo apenas como uma atividade física.  A historia dos dois segue por caminhos diferentes, o leitor torce para que elas se cruzem.

Não posso falar muito sobre o mundo paralelo de 1Q84 sem contar spoiler, posso dizer apenas que tudo surge aos poucos, e que neste primeiro livro ainda fiquei perdida, sem saber para onde a parte fantástica da trama vai seguir. Outro fato interessante é que Tengo da inúmeras dicas de como escrever e como revisar uma obra, achei este processo muito interessante.

O livro é inteligente e o leitor tem que prestar mais atenção aos detalhes. Mesmo sendo um livro longo e descritivo, você percebe que não há informação desnecessária, que os fatos estão interligados. Pessoas, lugares, acontecimentos e ideologias. O autor expões opiniões diferentes e aborda alguns tabus da sociedade, deixando ao leitor um convite para pensar e tirar suas próprias conclusões.

1Q84 é um romance de mais de 900 páginas (e não devia ser visto como uma trilogia) de um autor que está na lista de cotados para o Prêmio Nobel de Literatura. E por isso, sei que não absorvi da obra tudo aquilo que deveria, mas fiquei encantada com a forma com que Murakami mistura cotidiano e fantástico. E ainda, como o autor se diferencia na escolha de palavras e no ritmo da narrativa. Leiam!!

Trilogia 1Q84 do Haruki Murakami
  1. 1Q84 – Livro 1
  2. 1Q84 – Livro 2
  3. 1Q84 – Livro 3
Avaliação (1 a 5): 4,5

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO