target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Assassinatos demais - Colleen McCullough

>>  terça-feira, 3 de setembro de 2013

McCullough, Colleen. Assassinatos demais. Rio de Janeiro: Editora Bertrand, 2012. 444p. (Carmine Delmônico, v.2). Título original: Too many murders.

“... um policial que investiga um assassinato usa muitas técnicas para obter informações, porém, mais que isso, também as utiliza para saber, no pouco tempo que tem, que tipo de pessoa ele está interrogando. Durante nossa primeira entrevista, o senhor foi descortês e arrogante, o que me deixa à vontade para pisar nos seus calos, ainda que seus calos estejam dentro de sapatos feitos à mão. O senhor insinua que tem o poder de me fazer...hã... ser disciplinado, mas devo lhe dizer que nenhuma autoridade levará em conta suas reclamações, porque todos que têm autoridade me conhecem. Eu conquistei minha posição, não a comprei.” p.134

Esta série policial não é muito conhecida, nem aqui nem nos EUA; talvez porque a autora é australiana. Porém seu nome é muito conhecido por seu romance mais famoso, Pássaros feridos. Obviamente ambos tão diferentes, que nem parecem da mesma autora. Hoje vou falar sobre o segundo volume da série policial Carmine Delmônico, com Assassinatos demais da Colleen McCullough.

Contém spoilers se você não leu o livro anterior, apenas sobre detalhes da vida pessoal do detetive. Veja também a resenha de Liga, Desliga.

Dois anos se passaram desde os assassinatos daquele que ficou conhecido como Fantasma. O ano é 1967, a cidade Holloman, Connecticut.  O mundo se divide com o avanço da Guerra Fria, eventos que deveriam ficar bem longe de uma pequena cidade. Mas Holloman é o berço da Universidade Chubb e da gigante de armamentos, Cornucópia. Muita gente poderosa circula por aqueles prédios.

O detetive Carmine Delmônico é um homem realizado, depois de solucionar os assassinatos terríveis ele conquistou uma posição privilegiada na policia, e agora, ao lado da esposa Desdemona e do filho recém nascido, ele não tem o que reclamar da vida. Sua filha adolescente Sophie veio morar com eles, Carmine não poderia estar mais feliz. Um homem na idade dele e pai, sua esposa uma gigante que ainda causa furor por onde passa – com sua enorme altura e exuberância.

Mas a vida doméstica de Carmine está prestes a acabar, e Holloman presencia uma violência pouco comum para a pequena cidade. Doze assassinatos acontecem em um único dia, e Carmine se lança com unhas e dentes em mais uma caçada.

Com a ajuda dos sargentos-detetives Abe Goldberg e Corey Marshall, e da sua inteligente secretária Delia Carstairs, ele tenta desvendar um mistério insolúvel. As mortes são muito diferentes, algumas atrozes, outras sutis.
“Vejamos – disse Silvestre, contando nos dedos. – O bebê. A mãe do bebê. O cara da estricnina no suco de laranja. O estupro com assassinato. A prostituta... coitada da velha Dee-Dee!... Os três negros mortos a tiros. O reitor da faculdade de Dante, com cianureto. O grande chefão da Cornucópia...Todos juntos somam dez. E quem mais, por piedade?” p. 41
Como se não fosse suficiente, o detetive ainda precisa lidar com um possível espião Russo, e com o FBI se metendo em seu caso. E Carmine tem uma ideia muito improvável, mas que insiste em voltar a sua mente, será que seria possível haver uma relação entre estas mortes?

~~~~~~~~~~

A série se destaca principalmente pelo período histórico em que se passam as historias, pois na época ainda não existiam grandes avanços nas técnicas de investigação criminal. O legista tem poucos aparelhos a disposição, as investigações são feitas muito mais por entrevistas e dedução do que por provas conseguidas em um laboratório.

Acho a premissa muito interessante, outro fato importante é o embasamento histórico da obra. A autora é inteligente, ela joga com a Guerra Fria e com a batalha silenciosa entre os EUA e a Rússia. São planos de espionagens, possíveis segredos bélicos, e muito trabalho extra para o detetive. Ela foca muito também nos direitos das mulheres, que na época eram ainda vistas com olhares tortos se ocupassem uma posição de destaque no mercado de trabalho. É o início também das Universidades mistas, a o ato de aceitar mulheres na universidade gera polêmica durante a narrativa.

A vida de Carmine também mudou muito, ele está mais humanizado, e suas cenas com a esposa e os filhos são fofas. Além disso o detetive chega a ser divertido com toda sua observação e sua curiosidade sem limites. Ele fuça até descobrir tudo sobre determinada pessoa, e vai muito além do que ele realmente precisaria para prosseguir no caso.

Este livro está bem melhor que o primeiro volume, tanto a solução do mistério, quanto a investigação e o carisma de Carmine, a série evoluiu muito. Eu espero que não demorem muito a lançar o próximo, mesmo os livros sendo bem independentes, eu fico curiosa para saber o que vem a seguir.

Algumas cenas são bem tensas, em uma cidade pequena ninguém está seguro em uma investigação.. E tem cada personagem que dá medo, alguns Carmine olha e já pensa, este ai não é o assassino, mas pode me dar trabalho no futuro.

Eu indico para quem gosta do gênero e de uma leitura mais detalhada, Carmine é metódico, a parte histórica do livro é bem inserida no enredo e isso tudo deixa a narrativa mais lenta. Eu adorei, leiam!

Série Carmine Delmonico da Colleen McCullough
  1. Liga, Desliga (On, Off)
  2. Assassinatos demais (Too many murders)
  3. Naked Cruelty (os demais ainda não lançados no Brasil).
  4. The prodigal son.
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO