target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Adeus à inocência - Drusilla Campbell

>>  sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

CAMPBELL, Drusilla. Adeus à inocência. São Paulo: Editora Novo Conceito, 2013. 272p. Título original: Little girl gone.

“Vendo estrelas, ela tombou para a frente. Willis pego-a nos braços e a ajudou a sentar-se, e ela chorou de gratidão pela força de seus braços, pela delicadeza de suas mãos. Ele se ajoelhou diante dela, levantou-lhe a camiseta e colocou a face contra a barriga dela, envolvendo-lhe a cintura com os braços. Ela sentiu os lábios dele moverem-se contra sua carne enquanto ele falava.
- Deus me ajude, Madora, o que eu vou fazer com você?” p.180

Um livro que me chamou a atenção pela sinopse bem forte e pela grande carga de drama. Os juvenis mais dramáticos me atraem e estava curiosa desde o lançamento. Hoje vou falar para vocês sobre Adeus à inocência da Drusilla Campbell.

Madora perdeu o pai aos 12 anos e no processo, perdeu também a mãe. Ela sempre culpou a mãe pelo suicídio do pai, depois da morte a mãe entrou em uma espécie de atordoamento e não se importava muito com as atitudes da filha. Foi assim que a menina cresceu no meio de companhias ruins e muitas drogas. Em uma dessas viagens, Willis a resgatou. O rapaz mais velho cuidou dela e ela logo estava apaixonada. Ele tinha grandes planos para o futuro dos dois, e algum tempo depois eles fugiram e foram morar juntos. Viveram por cinco anos em uma casa no meio do nada no deserto na Califórnia.

Longe de tudo e afastados de todos, Madora cuidava da casinha em que viviam e de alguns animais machucados que apareciam por lá. Enquanto isso, Willis trabalhava como cuidador de idosos e sonhava em entrar na faculdade de medicina. O que para ela era uma vida protegida, era mais um cativeiro, Madora não podia trabalhar fora e não tinha contato com ninguém.

As coisas pioram quando Willis sequestra uma adolescente grávida, tão abandonada e malcuidada como Madora foi há anos atrás, e decide cuidar dela. A moça estava mais interessada em fugir para longe daquele maluco, mas Madora acredita que Willis só deseja o bem da garota.

Ao mesmo tempo, Madora conhece Django, um menino curioso que chegou até a casa de bicicleta e que tenta ser seu amigo. Aos 12 anos Django perdeu os pais em um acidente e se mudou para uma pequena cidade com a tia. O garoto é mais inteligente do que ela imagina, e logo nota algo estranho na vida de Madora. Ela tenta deixar tudo isso de lado, mas começa a perceber que sua vida não é tão boa quanto ela pensava.

A vida de todos eles está entrelaçada, resta saber se Madora terá coragem de mudar seu destino.

~~~~~~

Fraco e mal escrito. A trama é interessante e pode até agradar ao leitor menos exigente, mas as falhas do livro são gritantes. A escrita é sofrível e apesar do livro fluir bem – porque você fica curioso com tudo o que está acontecendo -, tem trechos confusos e diálogos muito mal construídos. 

A leitura foi rápida - estava curiosa para saber o que aconteceria no final -, mas não criei vínculo com a protagonista, não consegui gostar de uma menina tão sonsa e patética. Tudo bem, ela apesar de não ter sido sequestrada, sofria da conhecida Síndrome de Estocolmo, ela acreditava que Willis era um cara legal, que só queria cuidar dela. Da para entender, mas eu não consegui me simpatizar. Django é um personagem mais legal, mas eu já estava com tanta preguiça do livro que isso não salvou a historia.

Os dramas não me afetaram, tem morte por acidente, suicídio e várias outras situações pesadas que eram jogadas durante o livro. Mas elas foram jogadas, de um jeito tão mal feito que para mim não fizeram nenhuma diferença. Digo isso porque geralmente cenas tristes e fortes me emocionam e aqui, nada.

O final foi tão corrido e mal escrito que eu achei que a autora queria se livrar logo da historia. Não sei se este é seu trabalho inicial (sinceramente, não tive saco de pesquisar), mas o resultado foi sofrível. Acho que nem o tradutor e revisor tiveram saco... pelo tanto de erro de revisão que eu vi no livro rs. :P

Enfim, eu não curti, esperava uma historia emocionante de um sequestro onde o refém se apaixonava pelo sequestrador e encontrei isso ai que vocês viram. Portanto eu não indico, leiam por sua conta e risco hehe. Quem leu me conte o que achou. ^^

Avaliação (1 a 5):

Comentou? Não esqueça de preencher o formulário do Top Comentarista de Dezembro!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO