target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Prazeres proibidos - Laura Lee Guhrke

>>  quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

GUHRKE, Laura Lee. Prazeres proibidos. Alfragide: Editora Dom Quixote, 2009. 318p. (Guilty, v.1). Título original: Guilty Pleasures.

“- Quero dizer que a rapariga não tem um pingo de romantismo no sangue. Se tivesse um dote, ou se a relação familiar com  esse barão fosse conhecida, teria maiores probabilidades de vir a se casar; mas, de outra forma, estás a dedicar-te a um caso perdido. Basta olhar para ela para se saber isso.
- Eu não sei nada disso, e tenho olhado bastante para ela nos último dias. Julgo que muitos homens de boas famílias a achariam encantadora.
- Encantadora? Com aquele carrapito horrível que ela usa e aquelas roupas desinteressantes, a rapariga sobressai tanto como um insecto num galho de árvore.” p. 50

Minha primeira leitura de uma edição portuguesa! Sempre tive curiosidade com o português de Portugal e este livro caiu com uma luva, já que além disso ele também é o primeiro de uma série onde somente o quarto volume foi lançado no Brasil. O meu livro do mês de fevereiro do Clube das chocólatras é de um estilo que tenho lido bastante ultimamente, os chamados romances de época ou romances históricos. Hoje vou contar para vocês do que achei de Prazeres proibidos da Laura Lee Guhrke.

Daphne Wade, 23 anos, encontrou no emprego como restauradora na Inglaterra a única saída para seus problemas. Depois de viver anos trabalhando ao lado do pai em várias escavações ao redor do mundo, ela terminou sozinha, longe de todos e sem recursos; quando o pai faleceu de repente. Sem opções resolve aceitar uma vaga que havia sido oferecida ao pai, e chega as terras onde sua mãe nasceu. Inteligente  e batalhadora, logo se torna indispensável para a restauração das peças da escavação do Duque, que pretende abrir um museu em Londres.

Anthony, o Duque de Tremore, tem hoje 29 anos, mas herdou muito cedo a responsabilidade que seu título trazia. Perdeu os pais quando era ainda criança e tomou para si a tarefa de administrar um lar, cuidar de seu título e da irmã mais nova, Viola Courtland, hoje casada com um homem que não a merece.

Para Daphne, Anthony é o homem mais bonito e interessante que já conheceu. Ao observá-lo trabalhando sem camisa no meio da escavação a moça mal cabe em si de desejo. Ela se apaixonou por ele à primeira vista. Mas Anthony mal olha para a moça com óculos pesados e um enorme avental de trabalho cobrindo o corpo, que gagueja sempre que fala com ele e nem consegue erguer o rosto.

Quando Viola visita o irmão e declara suas intenções de ajudar Daphne a conhecer rapazes e a se casar, Anthony desdenha da ideia. Para o Duque ninguém olharia duas vezes para aquele patinho feio. O que o Duque não sabia é que estava partindo o coração da moça. Ela agora está determinada a odiá-lo, e quer estar o mais longe possível de suas terras. A menina tímida e gaga se foi, agora ele precisa convencer uma jovem furiosa e, quem diria, de lindos olhos violetas, a permanecer ao seu lado, pelo menos, até a inauguração do museu.

~~~~~~

A autora se inspirou nos contos de fadas para construir esta historia e foi o que pensei logo no início, antes mesmo de pesquisar sobre o fato. Para mim é a legítima historia do patinho feio, da moça linda e inteligente que estava escondida atrás de roupas e óculos horríveis. Tem toda aquela coisa do Príncipe que vai se interessar por ela e etc e tal.  A leitura é deliciosa, desses romances leves e divertidos que você lê em uma sentada.

Eu entendo a coisa toda do conto de fadas, mas achei Daphne bobinha e inocente demais, funcionou para ficar divertido, mas me deu preguiça em alguns momentos. O Duque é egoísta e pretensioso, chega a irritar, até que ele resolve mudar para conseguir o que quer e vamos conhecendo-o melhor.

Eu estava com medo de estranhar a edição de Portugal. E realmente tem palavras e expressões bem diferentes, eu ria no começo quando lia “rapariga” toda hora, depois me acostumei. Mas achei palavras bem diferentes, a maioria dá para entender pelo contexto do livro, mas até fui pesquisar uma coisa ou outra porque fiquei curiosa. Olhem só, por exemplo: carrapito = coque, caldeirões = poltronas, ananisis = abacaxis. Além disso temos palavras onde a grafia é só um pouco diferente, como óptimo, insepto, cobarde, etc.

Eu quero muito o restante da série, o único que tenho foi o quarto lançado no Brasil, Muito mais que uma princesa. Pela leitura do primeiro volume deu para perceber que Viola, a irmã de Anthony, e Dylan, o melhor amigo do Duque, voltarão como protagonistas. Mas os protagonistas do quarto livro não aparecem nesta historia; pelo sobrenome imagino que o Ian Moore seja parente do Dylan.

Como a maioria destes romances cada livro conta a historia de um casal, então da para ler fora da ordem e você não precisa ler a sequencia caso não queira. Mas eu prefiro ler certinho e espero rever estes protagonistas nos próximos volumes.

Para os fãs de romance é uma ótima leitura, mais do que indicada. Para quem quiser conferir os livros Portugueses, não deixem de procurar na Wook. Eles entregam no Brasil, mas como este livro foi um presente, ainda não comprei nada por lá. Leiam. ^^

Série Guilty da Laura Lee Guhrke
  1. Prazeres proibidos (Guilty pleasures) – Daphne e Duque de Tremore
  2. Todos os teus beijos (His every Kiss) – Dylan Moore
  3. A cama da paixão (The marriage bed) - Viola
  4. Muito mais que uma princesa (She’s no princess).
* Com exceção do último, todos os títulos na edição de Portugal.

Avaliação (1 a 5):

Comentou? Preencha o formulário diariamente e participe do Top Comentarista de Fevereiro.

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO