target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A garota que perseguiu a lua - Sarah Addison Allen

>>  quinta-feira, 24 de julho de 2014

ALLEN, Sarah Addison. A garota que perseguiu a lua. São Paulo: Editora Planeta, 2012. 240p. Título original: The girl who chased the moon.

“- Você nunca ficou com saudade de casa?
- Estou sempre com saudade de casa – ela disse sem olhar para ele. – Só não sei onde é minha casa. Há uma promessa de felicidade por aí. Eu sei disso. Até sinto às vezes. Mas é como perseguir a lua: bem na hora em que você acha que a tem, ela some no horizonte. Eu fico triste e tento seguir em frente, mas depois o maldito troço volta na noite seguinte, me dando esperança de pegá-la novamente.” p.175

Todos falam muito bem da autora e há tempos queria ler algo dela, mas confesso, o que me fez querer o livro desesperadamente foi esta capa, tão linda! Claro que aí ele ficou séculos na estante parado, agora finalmente foi a minha leitura do mês de junho do Clube das gêmeas. Eu descreveria o estilo da autora como um romance com um pé na fantasia, e hoje conto para vocês o que achei sobre A garota que perseguiu a lua da Sarah Addison Allen.

A cidade de Mullaby, Carolina do Norte, é conhecida pelo seu churrasco, seu tamanho pequeno e seu ar pitoresco. Este é o novo lar de Emily Benedict, 17 anos, uma moça que volta à cidade onde a mãe nasceu após sua morte, em um repentino acidente. Emily nem sabia que tinha algum parente, até ser enviada para morar com o vovô Vance. Ele é calado, estranho e uma espécie de gigante. Pelo menos, é o homem mais alto que Emily já viu.

E não é só o avô gigante que é estranho. As luzes misteriosas que parecem correr perto de seu quintal e o papel de parede que aparentemente, muda sozinho, são apenas alguns aspectos peculiares de sua nova vida. Solitária e sem saber como se adaptar, Emily conhece Win Coffey, o filho do prefeito que sempre aparece do nada pela cidade. Ele é engomadinho demais, bonitinho demais... e bastante misterioso.

O que mais a perturba é a maneira como seu nome causa desconforto nas outras pessoas, primeiro ela descobre que a mãe – uma pessoa altruísta e que criou a filha para sempre ajudar o próximo – era uma das patricinhas da escola, que deixou um rastro de ódio em seu passado. A aproximação dela com Win também parece ser vista de forma negativa por todos, Emily tem um monte de perguntas sem respostas.

Julia Winterson, 36 anos, voltou a morar na cidade após a morte do pai. Ela nunca pretendeu voltar, mas precisava quitar as dívidas do pai antes de vender o restaurante onde ele dedicou grande parte da vida, o restante do tempo era voltado para atender as muitas exigências de sua madrasta. Julia tem um passado amargurado, um grande arrependimento e o coração partido. A cidade trás péssimas recordações, de sua adolescência rebelde e solitária.

E um dos seus maiores arrependimentos está sempre por perto, Sawyer é lindo, um sedutor homem do sul, que parece estar sempre por perto, atraído pelos seus doces. Ele também tem um dom singular, que o deixa ainda mais atraído pelos bolos da Julia. Ele já partiu seu coração no passado, ela não quer deixar que isso aconteça novamente.

Sabendo como essa é uma fase difícil da vida, Julia se aproxima de Emily, disposta a cuidar da garota, sabendo que ela não tem culpa dos erros da mãe. Juntas, elas irão contar uma história romântica, doce e com um toque de magia.

~~~~~~~

Sempre tive curiosidade em conhecer a autora, e ela não me decepcionou. Foi uma leitura despretensiosa, leve e muito gostosa. A narrativa é ótima, a autora não desperdiça palavras, criando uma trama concisa, com bons personagens e enredo marcante.

Adorei os dramas, gostei mais da história da Julia do que a da Emily, talvez por ser uma história adulta. Emily não é uma menina rebelde, fresca ou cheia de mimimi pela situação em que vive, o que me fez gostar muito dela. Não gostei tanto de Win e por isso, não liguei muito para o romance entre eles. Já Julia e Sawyer aquecem as páginas, os dois têm muita química e eu suspirava cada vez que apareciam.

A parte de fantasia é bem sutil, mas é parte inerente a trama. Não é nada que vai ser descoberto ou explicado, são só coisas que fazem parte da cidade, não entra em mérito a credibilidade da coisa, como os papeis de parede do quarto da Emily, que mudam sozinhos rs.

Eu vou reclamar de uma coisa, e não dei 5 por conta disso, o final. Ah, achei que a história da Julia foi tão corrida, o que eu mais queria acaba acontecendo, mas não é narrado, fiquei arrasada. Virei as páginas esperando um epílogo e fiquei inconformada quando vi que era só um adendo explicando as fases da lua aff.

Apesar da apresentação suave, a autora consegue abordar dramas familiares, bullying e outros temas sérios. Enfim, eu achei fofo e indico, uma leitura leve e muito gostosa. Quem já leu me conte o que achou, quero outros livros da autora na estante. ^^

Avaliação (1 a 5):

Comente, preencha o formulário e concorra ao Kit Top comentarista do mês de julho!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO