target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

O lago místico - Kristin Hannah

>>  quarta-feira, 7 de janeiro de 2015


HANNAH, Kristin. O lago místico. São Paulo: Editora Novo Conceito, 2014. 350p. Título original: On mystic lake.

“Subitamente tudo ficou real, com aquele gesto que ele não permitiu. Seu marido queria o divórcio. Ela recuou a mão e percebeu que estava tremendo.
- Eu devia ter feito isso já faz tempo, Annie. Não estou feliz. Não estou feliz com você faz anos.
O choque daquilo foi diferente de tudo o que ela já havia experimentado. Estava em todo lugar, espalhando-se por ela em uma onda de torpor atrás da outra. Sua voz estava presa lá dentro, e não conseguia arrumar um modo de soltá-la.
- Não acredito que estou dizendo isso – ele pronunciou suavemente, e ela ouviu sua respiração entrecortada e pesada. – Estou saindo com uma pessoa... uma mulher.” p.19

Sou fã da Kristin Hannah, seus livros são marcantes, com uma carga dramática alta e grandes lições de vida através de romances lindos e tristes na mesma medida. Quando vejo livro novo da autora meus olhos até brilham, e hoje conto para vocês minhas impressões sobre O lago místico.

Annie Colwater está apavorada com a ida da única filha para Londres, onde ela irá fazer um intercâmbio, sente seus dias sendo tomados pelo vazio e não sabe como ela e o marido vão lidar com a solidão. Blake é um advogado importante e está sempre ausente trabalhando. A casa já parece enorme e solitária. Annie se casou muito jovem e largou a carreira para cuidar da casa e da filha, é mãe e esposa em tempo integral, uma mulher que construiu um lar perfeito para as pessoas que mais ama. Qual não é sua surpresa, quando seu marido anuncia um caso e o pedido de divórcio, como se não fosse nada demais. Foram vinte anos, de dedicação plena e generosidade, para ser largada como um trapo velho.

Inconsolada e deprimida, viaja para a casa do pai em Mystic, a pequena cidade onde cresceu. O pai lhe aconselha a se reerguer e esperar, tem certeza que Blake irá se arrepender e voltar. E Anne sonha com isso, que ele coloque a cabeça no lugar, termine sua crise de meia idade e volte para casa. Aos poucos ela começa a se e reerguer e tenta seguir em frente.

Ao saber que sua melhor amiga da época de colégio faleceu, Annie procura o marido de Kathy e também seu amigo na época da escola, Nick Delacroix. Eles se afastaram quando ela se mudou e virou a esposa de um homem rico, agora se arrepende de ter perdido o contato. Nick está destruído pela morte trágica da esposa. Sua filha pequena, Izzy, está traumatizada com a perda da mãe e a ausência do pai, que quando não está trabalhando, está bebendo. A menina parou de falar, depois sentiu que começava a desaparecer, primeiro uma mão, depois a outra.

Ser esposa e mãe é tudo o que Annie faz de melhor, ela decide cuidar de Izzy e ajudar Nick a se reerguer. Aos poucos começa a se encantar com aquela garotinha e a se sentir feliz como há muito tempo não se sentia. Até que algo acontece e Annie precisará fazer a escolha mais difícil de sua vida.

~~~~~~

Minha opinião pode até ser tendenciosa, gosto muito do estilo da autora e com este livro não foi diferente. Adorei os personagens, o cenário, o enredo e as questões importantes que foram abordadas. Só tenho uma reclamação, o final é muito no ar, muito mesmo. Se não fosse tão óbvio o que aconteceria a seguir, diria que não teve final algum, mas o leitor consegue imaginar os desdobramentos. Obviamente eu queria o ápice e nesse sentido me decepcionou, até estranhei, normalmente a autora fecha muito bem suas histórias. E no final do livro tem uma entrevista com a autora, estava lendo e ainda faltavam muitas páginas... aí termina... aff.

Tirando minha frustração com o final, leitura excelente.  Começando pela protagonista, Annie é uma mulher que não desperta empatia no início. Imaginem uma mulher bonita e bem de vida, que é traída e largada pelo marido, e mesmo assim planeja tudo já pensando em seu retorno, nem pensa em não perdoá-lo, para Annie essas coisas “acontecem”. Com o tempo você começa a torcer muito por ela, principalmente pelo seu amadurecimento no decorrer da história. Sua filha adolescente também é muito madura e constantemente questiona a posição da mãe em relação ao marido. Blake é um idiota, este é o papel dele rs. Já Nick é um cara legal que está destruído pela morte da esposa. Ele é também a paixão adolescente da Annie, então vocês já imaginam o "climão" durante meio livro rs.

A narrativa de Annie domina grande parte do livro, mas a autora também da voz a Nick, Blake e Izzie, a menina é fofa e achei que a autora desenvolveu bem a narrativa infantil.

Outro aspecto interessante são os temas que a autora aborda na obra, entre eles, o papel da mulher como esposa e mãe X a mulher que vive para a carreira. A forma como a mulher que vive para o marido e os filhos pode ver a vida perder o sentido quando não tem mais os filhos em casa, ou o próprio marido. O conceito tradicional de família é visto por Annie como o único objetivo de sua vida, ela não consegue conceber outra forma de viver. O luto e o alcoolismo estão lado a lado, assim como o álcool no comportamento instável do marido. A dor da perda é mostrada também sob o olhar de uma menina de 6 anos, que não sabe como lidar com tudo isso e se fecha.

Os livros da Kristin Hannah são sempre favoritos na estante e este não foi diferente, ele emociona e garante momentos de muita tensão e algumas surpresas. Quem já conhece a autora me conte o que achou, leiam!

Avaliação (1 a 5):

Comente e participe do sorteio do Top comentarista de Janeiropreencha o formulário!

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO