target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Viaje com as séries #144 - 8ª Temporada de The Voice

>>  segunda-feira, 9 de março de 2015

The Voice é uma das competições musicais que mais gosto. Como sempre defendo, acho muito interessante o fato dos jurados estarem de costas para o palco, assim a aparência não influencia na apresentação vocal quando eles apertam o botão de “I want you”. Sem falar que é super divertido acompanhar as reações deles quando a pessoa dona da voz não é nada como eles esperavam.

Quase nada de Photoshop aqui.

No dia 23 de fevereiro a oitava temporada da atração estreou, com a volta de Xtina e com a permanência de Pharrell, que se mostrou um excelente treinador. Até aqui, a química entre os quatro está bem legal de acompanhar, inclusive as briguinhas e chamegos da dupla Shevine.
Adam começou com zica, quase dois episódios inteiros sem que conseguisse um cantor para seu time. Eu fiquei querendo ir lá cantar só pra escolher ele – isso caso alguém virasse a cadeira, o que eu acho bem difícil. Aliás, acho que nem passaria pela pré-seleção. Mas ele conseguiu e sua confiança aumentou bastante. Ele sempre será meu queridinho.
Pharrell está imbatível, como na temporada passada. O fato de ele ser um produtor de sucesso conta bastante, mas o que mais pega são suas palavras. Ele sabe direitinho o que falar para conquistar alguém pro seu time e ainda fica surpreso quando é escolhido. Sua lábia e percepção são de outro nível. Nessa primeira fase, ele é o coach a ser vencido.
Blake é o Blake. Usa sempre suas vitórias como argumento, ri da cara do Adam quando vence dele e sempre que pode, inclui um goró na jogada. Uma figura. Geralmente ele é escolhido pelas meninas mais jovens, já que ganhou com Danielle, e também pelos artistas country, porque sim.
Xtina voltou e está animada. Com as garras de fora, ela quer ganhar pela primeira vez o programa e tirar as vitórias das mãos masculinas. A bicha é arrasadora, quando solta a voz é espetacular.


Nesta primeira fase, é difícil escolher um preferido. No entanto, algumas audições e histórias de vida se destacam. Hoje a Sony exibe o quarto episódio da temporada e o último com as audições às cegas. Então os times estarão completos e iniciam as batalhas, que é quando os coaches mais erram, unindo dois candidatos cheios de potencial para batalhar entre si. Também nesta fase eu não consigo me conectar muito com os competidores ainda, gosto de ver o que eles são capazes nas batalhas. Assim eles conquistam minha torcida.





Até o Adam encarou fazer uma audição.


E meu potencial favorito até agora é Sawyer Fredericks, de apenas 15 anos.


O último campeão foi Blake, com o Craig, desbancando o favorito Matthew, treinado pelo Adam. Apesar de sempre querer que o Adam ganhe, torço para que nesta temporada ocorra algo diferente. Você já começou a assistir, tem algum favorito?


Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO