target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Viaje com as séries #146 – iZombie

>>  segunda-feira, 23 de março de 2015

O que uma pessoa com vários episódios de séries atrasados faz? Normalmente os coloca em dia, mas eu adiciono mais séries na grade. Já tinha lido algo sobre a nova empreitada da CW e acabei deixando de lado, mas com a estreia na última semana, resolvi conferir. Adorei!


Como o nome já diz, tem zumbis na área, mas não é em nada parecido com The Walking Dead, por exemplo. Em iZombie Liv é uma médica residente talentosa e está noiva de um cara gato e super gente boa, ou seja, está no caminho certo. Mas ao aceitar o convite de uma colega de trabalho para uma festa, vê sua vida virar de cabeça pra baixo, literalmente acabar.
A agitação, que ocorria em um barco, teve um surto de zumbis e, ao que tudo indica, quase todo mundo morreu. Só quem se salvou foram os poucos que pularam na água quando tudo começou a acontecer e Liv, que não está bem viva. Ela foi arranhada por uma das criaturas e agora é uma morta-viva com necessidade de comer cérebros. Para conseguir seu alimento essencial, ela larga o hospital e passa a trabalhar com o médico legista no necrotério e para não levar riscos ao noivo, rompeu com ele. Agora ela precisa se adaptar ao novo estilo e não levantar suspeitas sobre si.


Para ajudar, sempre que come um cérebro, ela tem flashes da vida da pessoa que morreu, acessa suas lembranças, o que é bem interessante para ajudar a solucionar as mortes misteriosas. Com seu “dom”, ela passa também a ajudar o detetive Clive Babinaux, novato na polícia e que precisa mostrar serviço. Aparentemente um caso policial será resolvido por episódio. Liv também conta com a ajuda de seu chefe, o Dr. Ravi, um gênio que nota logo a peculiaridade de sua assistente e que passa a fazer pesquisas para ajudá-la. Para ele, existe um tipo de cura para a “zumbidade” da moça.


A produção mistura drama, comédia e tem aquele toque de sobrenatural, o que achei perfeito. Liv é engraçada, uma protagonista que mesmo sendo uma zumbi, cativa. A explicação para o surto de zumbi foi ótima, uma nova droga que o povo começou a usar na festa e prometia “fritar” o cérebro foi o estopim da coisa toda e, aparentemente, terminou por ali. Ninguém sabe de nada, não existe um surto, as pessoas não estão lutando contra os zumbis. E a explicação para Liv não ser uma zumbi como os que estamos acostumados, completamente sem vida e inteligência, se dá pelo fato de ela comer cérebros. Ela só o come o necessário para manter sua humanidade. Sério, eu adorei! Vale citar que a série é uma adaptação dos quadrinhos da DC de mesmo nome criado por Chris Robertson e Michael Allred.


Depois da rasgação de seda, é claro que a série ganhou um espacinho na minha grade. São 42 minutos aproximadamente por episódio e a notícia boa é que a estreia, que ocorreu no dia 17 de março, foi bem sólida, iZombie é a série novata com segunda maior audiência, perdendo apenas para The Flash. Tomara que signifique pelo menos mais uma temporada.

A série ainda não tem data de estreia no Brasil.



Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO