target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A herança - John Grisham

>>  segunda-feira, 4 de maio de 2015

GRISHAM, John. A herança. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2014. (Jake Brigance, v.2). Título original: Sycamore Row.

“Quero que este testamento seja defendido a todo custo e sei que o senhor pode fazê-lo. Especificamente, deixo de fora dele meus dois filhos adultos, seus filhos e minhas duas ex-esposas. Não são pessoas boas e vão lutar, portanto prepare-se. Meu patrimônio é substancial - eles não têm ideia do tamanho – e, quando isso vier à tona, eles vão atacar. Lute contra eles Dr. Brigance, até o fim. Nós temos que prevalecer.” p.30

Quem leu Tempo de matar, ou assistiu ao filme, já conhece alguns dos personagens dessa história, principalmente, o destemido advogado Jake Brigance. Vinte anos após a publicação, os fãs do autor não esperavam por uma continuação e ficaram em polvorosa. O rei dos thrillers jurídicos, John Grisham, volta a Clanton para mais um atribulado julgamento com A herança.

Essa resenha não contem spoilers sobre Tempo de matar, mas não deixe de ler o livro anterior antes deste. A herança conta muito da outra história, uma forma de relembrar o leitor dos acontecimentos passados.

Três anos se passaram em Clanton, Mississippi. O então jovem advogado Jack Brigance, tornou-se famoso durante um julgamento de homicídio que parou o Estado. O mais infame homicídio racial da história da cidade. Em 1988 Jake não é mais tão novo assim, agora tem certa experiência, mas ainda não se recuperou dos problemas do passado. Está quebrado, seus clientes não têm dinheiro, seus casos são simples e não rendem muito.

Tudo muda quando Jake recebe uma carta, uma carta de um homem morto. Seth Hubbard, 71 anos, estava morrendo lentamente de câncer, quando os médicos dizem que o tratamento só irá adiar o fim, resolve se matar. Planeja tudo muito bem, deixa até as instruções para seu enterro. Além disso, elabora uma carta, instituindo Jake como advogado do seu espólio. Na carta renega seu testamento anterior e avisa que a briga será grande, que Jake deverá brigar até o fim para garantir que seu novo testamento seja válido.

“Tenho dois filhos – Hershel Hubbard e Ramona Hubbard Dafoe – e eles têm filhos, embora eu não saiba quantos, pois não os vejo há algum tempo. Excluo ambos os meus filhos, espeficamente, e todos os meus netos de qualquer herança do meu patrimônio. Eles não receberão nada. Não sei os termos legais necessários para “excluir” uma pessoa de uma herança, mas minha intenção, aqui, é proibi-los completamente – meus filhos e netos – de receberem qualquer coisa de mim.” p.32

Além de deserdar toda a família, Seth deixa 90% de sua herança, que depois virá a ser estimada em mais de 20 milhões de dólares, para sua empregada negra, Lettie Lang. Começa então o maior julgamento da história da contestação, com os filhos lutando para invalidar o último testamento, escrito a mão, que deixa toda a família de fora e dá tudo para uma simples empregada negra.

~~~~~~

O racismo no sul dos Estados Unidos é um assunto muito abordado pelo autor, sempre de forma brilhante. Aqui mais uma vez temos dois lados, os negros torcendo por Lettie e Jake querendo garantir a vontade de Seth. Enquanto os brancos acham um absurdo uma negra herdar tanto dinheiro, tirando tudo das mãos da família branca. Lettie será acusada, ridicularizada, todos querem saber o que fez Seth fazer tamanha loucura. E ninguém sabe, o testamento não diz, Lettie não sabe, ou diz não saber. 

O livro é narrado em terceira pessoa com um diferencial, o autor utiliza aquele “narrador onisciente”, que muitas vezes já adianta o que vem a seguir. Com frases que faz o leitor se descabelar como “e eles não imaginariam o que viria a seguir” ou “e tudo desmoronaria em poucas horas” rs. O autor tem uma narrativa brilhante, que me prendeu do início ao fim. Eu não fazia ideia do que iria acontecer, em como tudo poderia terminar.

Os personagens são excelentes! Jake já era um queridinho do livro anterior, o xerife Ozzie está de volta, o promotor do caso anterior Rush continua um pé no saco. E o povo da cidade em geral, os fofoqueiros de plantão, o louco do Lucien, os advogados amigos de Jake, a turma está todo lá, como acontece em todas as pequenas cidades. Temos muitos personagens novos, o núcleo todo envolvido no julgamento.

O julgamento em si é muito interessante, no livro anterior o leitor tinha um lado certo pelo qual torcer, sem sombra de dúvida. Aqui, apesar de sempre torcermos pelo lado de Jake e pelo fim do preconceito, há aquela linha de pensamento, onde todo mundo para e pensa se é injusto o pai não deixar nada para a família, mesmo os filhos sendo dois bostas hehe.

O autor choca o leitor com o racismo no Mississipi, o julgamento agora já ocorre em 1988/89, mas o autor deixa claro que as coisas não melhoraram, que a cabeça dos homens agora e no passado, entre as décadas de 30 e 60, continua muito forte. Mesmo após o fim da segregação, manteve-se a separação entre negros e brancos nas pequenas cidades. Um dos muitos exemplos citados no livro, os brancos ficam revoltados porque uma família negra compra uma casa que era de um branco, falando que vai desvalorizar todo o bairro. Agora imaginem, um júri praticamente todo branco, conceder a uma negra uma herança que fará dela a mulher mais rica da cidade?

O circo está armado e mais uma vez aplaudo o autor de pé. Só não dei porque achei o final, pós julgamento, muito corrido. Também porque queria que alguns personagens sofressem mais hehe. Queria saber de mais algumas coisas e o autor não mostrou nada.

De qualquer forma é um livrão, amo thriller jurídico e o autor arrasa. Para quem gosta do estilo ou quer conhecer o John Grisham é uma ótima pedida. Leiam!

Adicione este livro ao seu Skoob!

Compre em oferta na Amazon!

Jake Brigance do John Grisham
  1. Tempo de matar  (A time to kill)
  2. A herança (Sycamore Row)

Avaliação (1 a 5): 4.5

Comente, preencha o formulário e concorra ao Kit Top Comentarista de maio!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO