target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A lista de Brett - Lori Spielman Nelson

>>  segunda-feira, 28 de março de 2016

SPIELMAN, Lori Nelson. A lista de Brett. São Paulo: Editora Verus, 2014. 364p. Título original: The life list.

“- A Elizabeth escreveu uma carta para você e pediu que eu a lesse em voz alta. Não me pergunte por que eu não posso apenas lhe entregar a carta. – Ele abre um sorriso engraçadinho. – Você sabe ler, não?
Escondo um sorriso.
- Escuta, eu não faço a mínima ideia do que minha mãe estava pensando. Antes de hoje, eu diria que, se ela pediu a você que lesse a carta em voz alta para mim, é porque havia um motivo. Mas hoje já não sei de mais nada.
- Imagino que ainda seja esse o caso. A Elizabeth tinha seus motivos.” p.30

Eu não sei se existe algum YA com a capa parecida, ou se foi loucura minha mesmo, mas eu sempre achei que esse livro era sobre um adolescente, tentando realizar os últimos desejos de sua vida diante de uma doença terminal... É um romance adulto! Não tem doença nenhuma, e Brett é uma mulher!! Mas não foi só isso que me surpreendeu na história hehe, confira o que achei de A lista de Brett da Lori Spielman Nelson.

Brett Bohlinger, 34, achava que tinha sua vida toda planejada. Era diretora de marketing da empresa da família, sua mãe ficou muito rica com a empresa e Brett vivia uma vida de luxo. Tinha um namorado lindo e bem sucedido, uma casa moderna com ele e acreditava ser muito feliz. Sua grande tristeza era a doença da mãe, um câncer que acabou tirando sua vida.

Ela achava que tudo ia ficar bem, apesar da dor dilacerante da perda,  iria seguir em frente. Assumir a presidência da empresa, já que os dois irmãos mais velhos tinham suas carreiras em outro lugar, deixar o namorado feliz e superar tudo. Mas sua mãe pensava diferente.

No dia da abertura do testamento, enquanto seus irmãos recebem seus milhões e outros bens, Brett recebe apenas uma carta. Nessa carta a mãe resgata uma lista de sonhos, que a própria Brett havia escrito na adolescência, e diz que ela precisa completar toda a lista para receber sua herança.

O amor incondicional pela mãe faz com que Brett tente entender e aceitar seus desejos, mas está deprimida, de luto, e incapaz de pensar na maldita lista. Alguns itens parecem simples, outros impossíveis. Alguns são aterrorizantes, outros exigiriam que ela mudasse toda a sua vida. Relutante a principio, aceita começar a lista, em busca de auto conhecimento e dos seus sonhos esquecidos. Sua mãe está sempre por perto, e aos poucos, parece que Elizabeth tinha realmente muito para lhe dizer.

~~~~~~~~

Comovente e encantador. Como vocês viram no início, eu não esperava muita coisa, ou melhor, não era nada do que eu esperava rs. Não sei se isso influenciou, mas eu simplesmente me apaixonei por esse livro! O enredo é tocante, fofo, mas tem também momentos divertidos. Os personagens são excelentes, Brett é uma mulher com pouca auto estima, mas é visível seu amadurecimento durante o livro. E os personagens secundários são incríveis, até o seu cachorro é cheio de personalidade rs.

No livro tudo muda da água para o vinho. No começo você acha tudo loucura: a atitude da mãe com a única filha (como ela tem coragem de fazer isso com a pobre Brett enquanto seus irmãos mais velhos estão ricos e tranquilos), o comprometimento de Brett com aqueles desejos malucos (tipo ter um cavalo!), a forma como ela aturava o namorado idiota, a atitude esnobe do irmão mais velho, Brett desempregada e pobre, etc. Depois tudo começa a fazer sentido, aos poucos o leitor vai fazendo parte daquele plano junto com a mãe e torcendo para que tudo dê certo.

Além do romance emocionante, sensível e do toque divertido, a autora fala sobre auto estima, confiança, superação. Fala de como abrimos mão dos nossos sonhos muito fácil e vamos deixando a vida passar. Um livro inteligente, que trabalha com muita sensibilidade os anseios e desejos que fazem parte da vida de uma mulher. Nada é tão preto no branco, nem tão certo, ou tão errado. Principalmente, fala do amor incondicional entre mãe e filha, e como a perda da mãe pode tirar a vida da filha dos trilhos. Fala também da ausência do pai, e da forma como Brett fez tudo para agradá-lo, sem nunca conseguir o seu amor.

Adorei Brett, torci tanto por ela! Mesmo quando ela agia de confusa e boba, nunca falava não para nínguem e tentava ver tudo pelo lado bom, apenas seguindo em frente. Depois Brett se transforma em uma pessoa melhor. Os “pretendentes” aparecem e mudam durante o livro. Temos o namorado Andrew, o advogado gato Midar, o misterioso psicólogo no telefone, o cara desconhecido que ela sempre esbarra casualmente andando na rua. Você não tem ideia do que vai acontecer, isso foi uma das coisas que mais curti, do casal principal não ser muito óbvio.

Parando depois para pensar, não é daqueles livros perfeitos que eu imploro para que todos leiam. Olhando friamente, enxergo alguns problemas que poderiam fazer  o livro perder pontos na minha avaliação: com tantas opções o relacionamento não é bem desenvolvido, o final é um pouco corrido e mesmo com o epílogo deixa uma sensação de que faltou algo, o início é muito descritivo e Brett cansa com sua falta de amor próprio... Mas eu amei tanto, mas tanto, que relevei tudo isso. Nem prestei atenção, foi favorito, foi muito amor por esse livro.

Claro que eu indico! Vocês deveriam ler e acredito que podem adorar como eu. Leiam ^^

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5):

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de março.

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO