target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Sombrio - Luke Delaney

>>  segunda-feira, 7 de março de 2016

DELANEY, Luke. Sombrio. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2016. 460p. (D. I. Sean Corrigan, v.2). Título original: The keeper.

“- A polícia? Como teriam alguma chance de nos encontrar aqui embaixo? O que poderia leva-los a... ele? Você o ouviu, você o viu. Ele é completamente louco. A polícia gosta de coisas que fazem sentido, um motivo que possam entender. Quem poderia entender esse doido? – Louise riu baixo e cinicamente, o esforço fazendo-a tossir. – Que policial na face da terra poderia algum dia entender esse louco o bastante para encontrá-lo? Se esse homem existe, que Deus tenha piedade da sua alma.” p.342

Estou numa fase em que só quero ler ficção/romance policial, vocês vão ter que aguentar meus assassinos sanguinários por um tempo rs. A continuação de Brutal supera o primeiro volume e deixa o leitor roendo as unhas até  o final! Confiram o que achei de Sombrio, segundo volume da série D. I. Sean Corrigan do Luke Delaney.

Pode conter spoilers se você não leu o primeiro volume, confira a resenha de Brutal.

Sean Corrigan está acostumado com o ritmo do trabalho, com as longas noites longe da família, com as reclamações da esposa e o remorso por ficar tão pouco com as filhas pequenas. Mas ele não consegue ser diferente, caçar assassinos faz parte do que ele é. Sean tem um sexto sentido para psicopatas, os abusos que sofreu no passado o moldou de forma diferente. Agora sua equipe tem um novo desafio, salvar uma vitima que ainda está viva.

Louise Russell, 30, desapareceu misteriosamente de sua própria casa enquanto o marido estava trabalhando, tudo indica que ela foi levada contra a sua vontade.  Quando o corpo  de uma mulher é encontrado na floresta, estuprada, sodomizada e estrangulada, ele sabe que os crimes estão ligados. Percebe que está lidando com um louco, que não vai parar a menos que seja pego. As mulheres são mantidas em cativeiro, até que ele resolve mata-las... e substituir por uma nova.

A Sargento-Detetive Sally Jones está tentando se recuperar do ataque de um assassino (ver Brutal), ela sobreviveu por pouco, seu rosto está sempre cansado e abatido, aparentando ter mais do que seus 34 anos. Mas ela é antes de tudo uma policial, e precisa ser forte e seguir em frente, fazer o possível para cumprir o seu dever.

O assassino é um homem obcecado, odeia todo mundo, menos a única mulher que já amou. Ele não pode mais tê-la, então ele procura em mulheres parecidas o seu verdadeiro amor. Mas claro que nenhuma delas atinge a expectativa, logo se revelam putas e são imediatamente descartadas. Ele vai continuar procurando a sua alma gêmea, a não ser, que Sean o encontre.

~~~~~~

Luke Delaney apresenta um enredo consistente, uma narrativa ágil e que mais uma vez surpreende. O livro prende a atenção do início ao fim, o leitor acompanha a visão da policia, do assassino e das vítimas. A narrativa em terceira pessoa se alterna entre vários ângulos, em alguns momentos isso é angustiante. Você passa o livro torcendo pelas mulheres em cativeiro, que estão correndo contra o tempo..

Uma mulher morta, outra sequestrada para ficar no lugar. As cenas do assassino com elas são de arrepiar. A tortura psicológico, os devaneios de um homem completamente lunático, é tudo muito pesado e muito viciante. As descrições são excelentes, dava nojo daquele homem, pavor por aquelas mulheres. E Sean passando perto, mas não chegando a lugar nenhum, o desespero crescendo.

Os personagens são muito falhos, muito humanos. Sean é um ótimo policial, mas um pai e marido ausente. Sally aterrorizada pelo que aconteceu há poucos meses e muitas vezes falhando no trabalho, Donnelly estranhamente fuçando em tudo de todo mundo da delegacia, ainda não sei se gosto ou não dele.

Em Brutal eu comentei que o lado sensitivo do detetive me incomodou. Aquilo dele descobrir muitas pistas apenas pensando como o assassino, era quase algo mediúnico. Nesse volume eu já sabia desse aspecto, não me foi estranho, cheguei até a gostar. Talvez porque as pistas estavam ligadas também as provas físicas, não ficou como se ele descobrisse as coisas do nada. Gostei muito dos desdobramentos, foram menos previsíveis. Mudaram o título nacional novamente, não gostei, o título original seria traduzido como O guardião, e faz muito mais sentido pensando na mente perturbada do assassino.

Agora, aquilo de você já saber o assassino desde o início, tem pontos positivos e negativos. Foi interessante saber tudo sobre aquela mente completamente lunática, mas tira o clima você não poder “caçar o assassino” junto com o protagonista. Você já sabe quem mata, sabe quem ele é e como pode ser encontrado, e eu fiquei meio puta da policia passar perto e morrer na praia rs. Fiquei arrasada com algo que aconteceu, não posso contar porque seria spoiler, mas ainda não me conformo aff.

Eu gostei muito da leitura! Para quem é fã de ficção policial é uma ótima pedida. Os livros são muito ligados, então não é interessante lê-los fora da ordem. Espero que os outros cheguem rápido, ansiosa por mais do detetive. Leiam!

Adicione ao seu Skoob!

Série D. I. Corrigan do Luke Delaney
  1. Brutal (Cold killing)
  2. Sombrio (The keeper) 
  3. The toy taker (os demais não lançados no Brasil)
  4. The jackdaw.
Interligados:
0.5 Redemption of the dead
0.6 The network

Avaliação ( 1 a 5):

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de março.

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO