target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Eu sou o peregrino - Terry Hayes

>>  terça-feira, 17 de maio de 2016

HAYES, Terry. Eu sou o peregrino. Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 2016. 688p. (Peregrino, v.1). Título original: I am a pilgrim.

“- Quero que você encontre alguém – disse Sussurrante. – Não sei qual o nome que está usando agora, mas, durante muito tempo, ele se chamou Scott Murdoch.
O assistente especial olhou para a foto que Sussurrante empurrou sobre a mesa, um rosto em segundo plano circulado cuidadosamente.
- Quem é? – perguntou ele.
- Anos atrás, ele era conhecido como Navegante. Provavelmente é o melhor agente de inteligência que já existiu.
O assistente especial sorriu.
- Pensei que fosse você;
- Eu também – respondeu Sussurrante. – Até conhece-lo.” p. 281

Thriller policial sempre me chama atenção, e esse tem uma média alta no Goodreads, um dos critérios para entrar na minha lista de desejados atualmente rs. E a sinopse deixa qualquer um curioso. Conheçam Eu sou o peregrino do Terry Hayes.

Começou com o corpo de uma mulher encontrado em um hotel barato em Nova York. Mas na verdade, os eventos estavam ligados, e tudo tinha começado muito antes disso. Com uma pai decapitado em praça pública na Arábia Saudita. Ou com um homem tendo os olhos arrancados, ainda vivo, na Síria. Três estrangeiros são sequestrados no Afeganistão, seus corpos são encontrados queimados, cobertos de cal. Ninguém nunca esqueceu o 11 de setembro, depois disso, a forma como os EUA enxergam a espionagem e os estrangeiros mudou muito. Mas essa nova conspiração, seria muito, muito pior.

Um homem sem nome está no hotel, em Manhattan. Enquanto todos os outros imaginam mais um crime passional, ligado ao sexo e as drogas, ele sabe que poucos crimes são tão perfeitos. O rosto da mulher foi dissolvido em ácido, seus dedos também, seus dentes foram arrancados. Nenhum traço de DNA foi encontrado. A assassina, porque ele tem certeza que é uma mulher, não deixou rastros. As dicas para cometer um crime tão perfeito, seguiram fielmente as dicas de um livro sobre criminalística, que ele mesmo escreveu. O homem misterioso será o único capaz de descobrir a ligação entre todos esses eventos.

No passado ele foi um grande agente americano de espionagem. Aposentou, sumiu no mundo. Agora ele precisa ser encontrado. Eles precisam que o Peregrino volte a caçar. Um inimigo implacável precisa ser eliminado. Um homem sem rosto, sem passado e que pode estar em qualquer lugar do mundo. A vida de bilhões de americanos depende disso.

~~~~~~

O livro é enorme. E o início é muito, muito lento. Me deu preguiça porque demora a mostrar para o que veio. Mas depois melhora muito, a trama prende, o enredo é muito bem construído! Vale a pena, mas o leitor precisa ter paciência para as partes excessivamente descritivas e para a evolução lenta. O livro é dividido em quatro partes, e as duas últimas salvam o livro do marasmo e o final é muito bom!  Como parece que vai ser uma série, com livros independentes, espero que o segundo seja mais ágil, pelo menos não vamos ter mais tantos flashbacks sobre o passado do protagonista, assim espero.

Os personagens são ótimos. Todos muito bem construídos (o mínimo também, com o livro detalhado do jeito que é rsrs). Do protagonista ao assassino, todos os detalhes da construção das personalidades são mostrados. Você conhece bem cada um deles, e o Peregrino é incansável. De um lado o assassino, conhecido como Sarraceno, um homem inteligente com um plano de vingança minuciosamente planejado. De outro o Peregrino, esperto, minucioso, que não desiste nunca e não perde nenhum detalhe. O cara achava uma agulha no palheiro, incrível a capacidade de dedução dele. E como tudo vai fazendo sentido aos poucos, sem pontas soltas. Ben Bradley, um investigador de homicídios e um herói do 11 de setembro, é um personagem secundário muito queridinho, gostei muito de todas as cenas em que ele aparecia.

O enredo é muito bom. Até os inúmeros flashbacks, mesmo cansativos, fazem sentido no decorrer do livro. Pessoas solitárias, dispostas a tudo para conquistar um único objetivo, triste e muito realista. A ameaça da uma agonia... porque se der certo, senhor! Mas é aquele negócio, quase dormi no início, e acompanhei com muita expectativa o final rs. Então vai de gosto do leitor mesmo.

O livro é repleto daquelas frases tensas, inseridas pelo narrador para prender a atenção do leitor. Elas me deixam irritada e curiosa rs. Algo tipo: "Havia uma coisa, porém, que deixei escapar, algo que me faria refletir pelo resto da vida sobre o erro que cometi." Ai gente, que raiva que isso dá!

O livro aparentemente é o primeiro de uma série. Mas não foi divulgado o título nem previsão do segundo, então é aguardar. De qualquer forma serão histórias independentes, porque o final desse é muito redondinho. Imagino que só tenham personagens em comum.

A história ficaria ótima no cinema, seria mais ágil hehe. Indico para fãs de espionagem e ficção policial. O livro é muito bem construído, mas exige certa maturidade para curtir esse tipo de trama. Leiam!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação ( 1 a 5):

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de maio.

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO