target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Viaje com as séries #205 – Divagações sobre The Voice US

>>  quarta-feira, 25 de maio de 2016



*Sem spoilers

Chegou ao fim ontem nos Estados Unidos mais uma edição do The Voice, a décima, e com ela uma certeza: duas temporadas por ano é demais. Fica saturado. Acho que as primeiras três temporadas que acompanhei foram super empolgantes, até que comecei a deixar de lado, ver umas partes e abandonar outras...
Nesta temporada foi assim, curti muito as Blinds e as fases até play-offs. Depois dos shows ao vivo perdi o interesse. Sempre aqueles cantores country prevalecendo sobre outros que mereciam ficar por mais tempo, uma provável campeã despontando e passando a se achar demais, uma sem sal que eu não suportava sendo salva a cada semana. Parei. Nem a final eu vi, li o resultado na página da atração.
Acredito, e algumas pessoas que conversei também, que uma edição por ano seria o ideal. Manteria o espectador mais interessado. Mas isso nem de perto sou eu quem decide, né? O caso é que continuando assim, é bem provável que o interesse diminua cada vez mais. Apesar de ter sido o Adam que fez assistir ao programa, o formato dele é bem interessante só que nem dá muito tempo de sentir saudade.
Sem falar que o campeão da edição anterior fica esquecido muito mais rápido, porque em poucos meses uma nova edição começa e um novo campeão passa a ser procurado. E a gente começa a pegar o modo de votar do povo lá, já sabe que esse que gostamos não deve seguir em frente (e mesmo assim ficamos tristes) e sabe que aquele outro segue porque canta o estilo que a maioria que vota prefere.



Por apenas uma edição de The Voice ao ano, eu voto sim! :p
Na próxima edição, Xtina e Pharrell saem de cena e entram Miley Cyrus e Alicia Keys, o que imagino será interessante de assistir. São jurados bem diferentes. Adam e Blake não saem de lá, talvez essa também seja uma falha do programa, porque eles são os que mais venceram a competição. No entanto, a química e as brincadeiras entre eles também fazem toda a diferença. E eu bem que ficaria triste se não pudesse ver o Adam lá. ♥
Você acompanha The Voice? Concorda comigo ou acha que está bom do jeito que está? O que mudaria no programa?
Comenta aí! ;)



Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de maio.

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO