target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Um mundo melhor - Marcus Sakey

>>  segunda-feira, 15 de agosto de 2016

SAKEY, Marcus. Um mundo melhor. Rio de Janeiro: Editora Galera Record, 2016. 420p. (Brilhantes, v.2). Título original: A better world.

“Eu sei que você imaginou nós de mãos dadas cantando ‘Kumbaya’ enquanto elaborávamos uma nova constituição, mas a coisa não funciona assim. Construir um mundo melhor é um negócio sangrento. E é melhor você se decidir sobre com quem realmente se importa. – John jogou o cigarro pela beira do precipício. Porque ou você está conosco... ou com eles.” p.351

Brilhantes, o primeiro livro da trilogia, me surpreendeu muito. Uma trama de ficção científica que envolve política, conspiração e terrorismo. Nenhum dos lados detêm a razão, mas todos querem a supremacia. De um lado os humanos “normais”, de outro os “brilhantes”, humanos com uma genética superior, que lhe garantem dons incríveis. Tudo começou quando crianças começaram a nascer com dons, e foram  chamados de Brilhantes, logo começaram a ser temidos por aqueles considerados “normais”. E hoje vou falar da continuação com Um mundo melhor do Marcus Sakey.

Em Brilhantes ficamos conhecendo Nick Cooper, um agente Brilhante, com um dom para rastrear. Ele é um agente do governo, especializado em caçar superdotados. Nick faz o que mandam, captura suas presas com vida, ou não. Quando sua nova missão é capturar o terrorista mais procurado do país, Nick começa a perceber que nem tudo é como imaginava.

A partir daqui contém spoilers se você não leu o primeiro livro.

Nick Cooper desmascarou uma conspiração que envolvia ninguém menos do que seu chefe e o próprio Presidente dos EUA. Nick derrubou um presidente, e empurrou o diretor do DAR – Serviços Equitativos -, do alto de um prédio. Ele percebeu que os Brilhantes não mereciam ser escravizados, controlados ou exterminados. Sua filhinha de 5 anos era uma Brilhante, e ele queria um futuro melhor para ela.

Ele lutou para que eles fossem aceitos e a paz fosse instaurada. Liberou um vídeo que mostrou nacionalmente todo o complô contra os Brilhantes. E depois se afastou. Agora o país tinha um novo Presidente, e ele queria Nick como seu consultor. Sua primeira tarefa era localizar o grupo terrorista Brilhante conhecido como Filhos de Darwin. O grupo vinha provocando atentados em três cidades americanas, deixando o país a beira de uma guerra civil.

Por mais que Cooper se esforce, as coisas estão cada vez piores. Cidades em quarentena, revoltas, incêndios, violência. A guerra é iminente. Ele quer evita-la. Todos buscam “um mundo melhor”, mas antes, querem destruir o inimigo.

~~~~~~

Essa trilogia é muito diferente e bem interessante, gosto muito do enredo e da evolução da história. Esse segundo volume me lembrou da série de TV House of cards, onde os golpes políticos mudam o destino de um país. O cenário é atual, porém temos os humanos superdotados, os Brilhantes. Eles possuem dons diversos: inteligência superior, dons de rastreamento, musicais, de informática avançados, etc. O dom muda de pessoa para pessoa. E são divididos por níveis, os mais fortes são os Brilhantes de primeira geração, como Cooper.

O governo enxerga os Brilhantes como um problema a ser controlado. Crianças são tiradas dos pais e levadas para colégios internos que praticamente fazem uma lavagem cerebral, tudo isso feito em segredo. Querem implantar chips em todos os “anormais” para monitorá-los. Os Brilhantes enxergam os humanos como um ser inferior, querem o controle, o poder. Consideram isso a única chance de não serem escravizados. Claro que nem todos pensam assim, mas a divisão é praticamente essa.

Esse volume é mais lento do que o anterior, demorei umas 150 páginas para empolgar, mas depois disso só melhora. E aí acontecem cada loucura leitura de tirar o fôlego. O livro tem muita ação e muitas reviravoltas, uma característica que vimos também em Brilhantes. Shannon arrasa, tem um tal de Soren, um Brilhante de dar medo. O John Smith é escorregadio, você nunca sabe quais são as intenções do cara. Surge um novo personagem “normal”, o Ethan. Muito do livro foi narrado por ele, as partes mais longas e sem graça. Achei desnecessária muita coisa, poderia ter sido mais ágil em alguns momentos.

No geral gostei muito, a parte final foi ótima e emocionante. Gostei mais do primeiro pela demora na evolução desse, mas o enredo em si achei excelente. A trilogia é adulta, inteligente e bem diferente. Quem curte o estilo precisa conhecer, leiam!

Adicione ao seu Skoob!

Trilogia Brilhantes do Marcus Sakey
  1. Brilhantes (Brilliance)
  2. Um mundo melhor (A better world)
  3. Written in fere (ainda não lançado no Brasil).
Avaliação ( 1 a 5): 3.5

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top comentarista de agosto!

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO