target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares - Ransom Riggs

>>  terça-feira, 25 de outubro de 2016

RIGGS, Ransom. O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares. São Paulo: Editora Leya, 2015. 336p. (O orfanato da Srta. Peregrine, v.1). Título original: Miss Peregrine’s home for peculiar Children.

“E foi assim que alguém extremamente suscetível a pesadelos, terrores noturnos, arrepios, ataques de pânico e a ver coisas que na verdade não estão ali se convenceu a fazer uma última excursão à casa abandonada onde uma dúzia ou mais de crianças tinham encontrado seu derradeiro fim.” p.96

Com milhões de cópias vendidas no mundo, traduzido para mais de 40 idiomas e com estreia recente no cinema, esse livro deu o que falar. O autor usou fotos reais para criar uma história de fantasia adolescente, dando um ar de suspense e mistério. Vou confessar que nunca tive muita vontade de ler, quando lançou não me atraiu. Mas muita gente fala tão bem que fiquei curiosa e comprei. E ele saiu da fila com a ajuda do Clube das chocólatras. Confiram o que achei de O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares do Ransom Riggs.

Jacob Portman cresceu ouvindo as fantásticas histórias do seu avô. Durante a Segunda Guerra Mundial ele foi o único da família a escapar da morte, sendo enviado da Polônia para um orfanato na Inglaterra. Ele contava para Jacob sobre as crianças extraordinárias que viviam lá: uma criança que levitava, um menino que tinha abelhas dentro deles, outro que podia carregar qualquer peso... dentre outras. Ele amava todas as histórias e aventuras do avô. Quando ficou maior, começou a perceber que tudo aquilo não passava de contos de fadas, e parou de acreditar.

Até que tudo mudou. Jacob estava com 15 anos quando recebeu um telefonema do avô, desesperados, falando que os monstros estavam caçando e ele não tinha como se defender. Jacob imagina que é um dos surtos atuais do avô, mas corre até sua casa para tentar ajudar, mas chega tarde demais. Jacob ficou traumatizado e assustado, insistia que um monstro havia assassinado o avô. Depois de um tempo, com remédios e tratamento, começou a melhorar, mas não conseguia deixar aquilo para trás. Com a ajuda de seu psiquiatra, convence os pais a deixa-lo viajar até a ilha onde toda as histórias aconteceram, para visitar o orfanato onde o avô foi criado. Aos 16 anos e acompanhado do pai, ele chega para visitar as ruínas do lugar. 

Ele encontra mais fotos estranhas, daquelas crianças diferentes. Fica sabendo que todas foram mortas na mesma data, durante um ataque alemão. Quando está prestes a achar que tudo isso era uma grande besteira, ele faz uma descoberta que irá mudar sua vida para sempre.

~~~~~~~~~


Quando começo a ler um livro que a maioria das pessoas ama e acho um porre - infelizmente foi o que aconteceu aqui-, sempre acho que tem algo de errado comigo rsrs. Não li no momento certo, tinha expectativas diferentes, etc. Pode até ser algo assim, mas esse livro passou longe de me conquistar. Eu realmente achei fantástica a ideia das fotos – o autor pegou várias fotos antigas, de colecionadores, e as usou para criar a história. E a escrita dele é muito boa! A história é ágil, tudo acontece em um ritmo bom e a narrativa é interessante.  Porém, isso foi a única coisa de que gostei.

Não me apaguei aos personagens, o mais interessante é o avô que morre logo no início. Jacob é muito depressivo, muito bobão, tinha preguiça dele. E das outras crianças também não gostei. Achei a mocinha lá que fica gostando dele (que incrivelmente havia namorado seu avô, uma coisa esquisita que beira ao incesto rs), Emma, muito chata. As outras crianças e seus dons são estranhos. Gostei do Milard, o menino invisível, e só. Os outros tem uns dons grotescos. Uma menina com uma boca na cabeça (eca!), a menininha que levita e não consegue parar no chão, uma que faz nascer plantas, outra que levanta qualquer peso... e blablabla. Tem também a professora, a Srta Peregrine, que se transforma em um falcão peregrino, que explica ao Jacob tudo sobre aquele lugar.

[Aqui contém spoilers sobre o mistério do livro. Se não quiser saber, salte este parágrafo] A fantasia em si é bem esquisita. O autor explica que no mundo existem as pessoas normais e as pessoas peculiares. Entre o segundo grupo, existem pessoas como a Srta Peregrine, que protegem essas crianças. Em um momento de perigo (quando a bomba atingiu o orfanato) ela criou um buraco no tempo e levou todo mundo para lá. Dentro desse lugar eles reviviam sempre o mesmo dia. Imaginem que chatice? Por dezenas de anos? Se saíssem por muito tempo eles iriam envelhecer rápido e morrer. Ou seja, eles estavam realmente presos ali. E Jacob acha tudo lindo, eu achei tudo um porre. Ele cogita largar tudo para morar lá. Imagina, ficar todo dia no mesmo lugar com as mesmas pessoas, fazendo as mesmas coisas? Sem envelhecer, vivendo o dia de novo e de novo?! Não foi atoa que o avô de Jacob saiu fora daquela loucura.

Achei tudo muito sacal. Quando ele chega na ilha, o que descobre. Quando alguém do mal chega lá, eu já saquei logo quem era. Tudo que acontece dali até o final achei chato. O confronto no farol foi bem bobo. O cara lá armado... era só enviar o menino das abelhas e pronto rsrs. Esperava algo mais assustador, mais suspense, de terror não tem nada.

E será que vale a pena assistir ao filme? Ainda não sei se vou ao cinema. Acredito que no cinema vá ficar mais sinistro as cenas. Pelo trailer dá para ver algumas mudanças nos dons (como a menina com o dom do “ar”), mas parece até mais legal rs. O filme tem direção do Tom Burton e no elenco Eva Green (Miss Peregrine), Asa Butterfield (Jacob), Samuel L. Jackson (Barron) e Ella Purnell (Emma).


Não sei se foi o estilo ou enredo em si, mas eu esperava gostar mais. Reconheço que a narrativa do autor é ótima e a ideia das fotos muito legal, mas é só. Eu não indico. Não sei ainda se vou animar a ler o resto da trilogia... Quem leu me conte o que achou.

Adicione ao seu Skoob!

Trilogia O orfanato da Srta. Peregrine:
  1. O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares (Miss Peregrine’s home for peculiar Children)
  2. Cidade dos etéreos (Hollow City)
  3. Biblioteca de almas (Library of souls).

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO