target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

O casal que mora ao lado - Shari Lapena

>>  quinta-feira, 18 de maio de 2017

LAPENA, Shari. O casal que mora ao lado. Rio de Janeiro: Editora Record, 2017. 294p. Título original: The couple next door.

“- Talvez você tenha esquecido de trancá-la. Bebeu muito.
Mas Anne não dá ouvidos a ele. Já está dentro de casa, subindo correndo a escada e atravessando o corredor até o quarto da filha, com Marco ainda em seu encalço.
Quando chega ao quarto do bebê e vê o berço vazio, ela grita.” p.13

O suspense psicológico vem cada vez mais ganhando mercado por aqui, são vários lançamentos do gênero. Esse chegou de surpresa aqui em casa, mas o título e a trama me chamaram a atenção, e saiu rápido da fila. Hoje conto para vocês tudo sobre O casal que mora ao lado da Shari Lapena.

Anne Conti está sofrendo com a depressão pós-parto e raramente quer sair de casa, ainda mais se sentindo gorda e desajeitada como agora. Mas seu marido Marco, insiste em aceitar ao convite para jantar dos vizinhos. A vizinha, Cynthia, não gosta de crianças e os dois, depois de muita discussão, resolvem deixar a filhinha de seis meses, Cora, em casa dormindo. Eles levam a babá eletrônica e vão olhar como a criança está a cada meia hora. Ela não queria, mas o marido a tranquilizou, afinal, eles estariam na casa ao lado.

Porém, ao voltar para casa, depois do jantar e de muito vinho, Anne percebe que a porta da frente está entreaberta. Ele corre até o berço. Mas é tarde demais, Cora desapareceu. Desesperados, chamam a polícia. Que ao investigar, começa a desconfiar do que realmente aconteceu ali. Segredos, mentiras e reviravoltas surpreendentes, podem destruir uma família.

~~~~~~~

Começa de forma promissora, não vou negar que é um suspense que prende o leitor até o final, mas o suspense se perde em algum momento, e o que era para ser um suspense excelente, vira uma série de reviravoltas forçadas e personagens mal justificados. Não foi uma leitura ruim, mas é raso e simplista demais para os amantes do gênero.

O início é muito bom. Anne e Marco vão inocentemente a um jantar, a vizinha sem noção não gosta de crianças e pede que não levem a bebê; além de flertar com Marco o tempo inteiro, enquanto seu marido parece não notar nada. Quando eles voltam para casa, Cora desapareceu. A polícia chega e após a investigação inicial, desconfia que um dos dois matou a criança, o outro ajudou a encobrir. Durante a investigação várias reviravoltas acontecem e novos fatos vêm a tona. Até aí tudo ótimo.

Porém, a autora logo revela coisas demais, entrega tudo de bandeja. Você não tem a sensação de que faz parte da investigação – algo crucial nesse gênero. A parte dos policiais é muito fraca, o detetive encarregado, Rasbach, some no meio da história e vira um reles coadjuvante. Os personagens são rasos, nada convence realmente. E acho que ela quis consertar uma história fraca, inserindo várias reviravoltas e surpresas, mas não passou credibilidade.

Eu não posso contar muito, para evitar spoilers. Mas simplesmente não me convenceu nenhuma das motivações dos personagens envolvidos. E aquele acontecimento final, pareceu só algo jogado para chocar o leitor. Outra coisa estranha é o título “ O casal que mora ao lado”. Ele remete a algo que irá acontecer com o outro casal, os que os convidaram para jantar. E tudo gira só em torno do casal protagonista, ou seja, o título para mim já não faz sentido.

Venho acompanhando muitos livros desse gênero, o famoso suspense psicológico. Vieram vários lançamentos na onda do mais famoso, Garota exemplar. E tiveram muitos livros bons depois dele. Porém, uma grande parte não convence. Os autores falham em quesitos principais, como a construção psicológica dos personagens e o envolvimento do leitor com a trama. Ou então constroem personagens sem sal, ou antagônicos, que acabam com a química com o leitor. Eu sinto que vou lendo, lendo, sem conseguir me envolver realmente. E no fim ao invés de me impressionar com a surpresa, eu penso, ah, era isso. Ok. Em vários tenho a impressão de que começou com uma premissa legal e se perdeu no meio do caminho, como é o caso desse livro.

Quem quer apenas um passa tempo divertido e não conhece muito do gênero, acredito que irá gostar. Aos leitores exigentes já aviso, tem muita coisa melhor por aí. Quem leu me conte o que achou!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO