target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Deixei você ir - Clare Mackintosh

>>  quarta-feira, 19 de julho de 2017

MACKINTOSH, Clare. Deixei você ir. Rio de Janeiro: Editora Intrínseca, 2017. 368p. Título original: I let you go.

“A exaustão toma conta de mim e me encolho com os braços em volta dos joelhos e o rosto pressionado contra o tecido áspero de minha calça jeans. Sinto que estou sendo tomada por uma onda de emoção e ela explode dentro de mim com tanta violência que mal consigo respirar. A dor é tanta que parece impossível que eu ainda esteja viva; que meu coração continue a bater mesmo dilacerado. Quero fixar uma imagem dele na minha mente, mas tudo que vejo ao fechar os olhos é seu corpo imóvel e sem vida em meus braços. Deixei você ir, e jamais me perdoarei por isso.” p.90

Um trágico acidente. Uma criança morre atropelada. O motorista foge. Depois disso todos precisam lidar com o que aconteceu. Com cara de drama e ares de romance, a inglesa Clare Mackintosh estreia com um thriller psicológico que surpreende qualquer leitor. Deixei você ir vai te tirar da mesmice literária, vamos conferir?

Era uma tarde chuvosa, mãe e filho andavam de mãos dadas pela rua, contando sobre seu dia. Com apenas 5 anos, o pequeno Jacob estava empolgado e alegre. Quando chega em frente a sua casa ele solta a mão e atravessa a rua correndo… Um segundo, um impacto. E uma criança morre. Uma mãe devastada grita. O motorista, foge sem prestar socorro.

A morte de uma criança é algo sempre trágico, mas a frieza do motorista, que acelera e foge, deixa a população da cidade de Bristol, na Inglaterra, revoltada. Cabem aos policiais Ray Stevens e seus colegas, Kate e Stumpy, investigar o caso. Sem testemunhas, sem uma placa, eles não têm muito com o que trabalhar. Consumido pelo trabalho, Ray começa a colocar sua vida pessoal em risco. Sua esposa e seus filhos, estão sempre em segundo plano.

Jenna, consumida pela dor com a morte de Jacob, deixa tudo para trás e parte sem rumo. Acaba chegando a uma pequena cidade costeira no País de Gales. Solitária, com pouco dinheiro, vive isolada e tenta lidar com sua dor. Aos poucos ela começa a reconstruir sua vida, e tem esperanças de um futuro melhor.  Até que o passado bate à sua porta, e a obriga a lidar com tudo o que aconteceu.

~~~~~~

Que livro fodástico! Ok, começa meio lento, a tragédia já acontece de cara e você não cria aquele apego pela criança, mesmo sendo, claro, muito triste. E aí segue meio lento, você com pena da Jenna, mas sem se apegar muito ao drama todo. Até que acontece algo que deixa o leitor com cara de besta, jeito de burro e totalmente perdido. E essa reviravolta me ganhou completamente! Não amei tudo no livro, mas a autora escreve muito bem e me enganou direitinho. E só de pensar que é seu romance de estreia… já vejo muita coisa boa vindo em seguida. Para quem curte Gillian Flynn, Liane Moriarty… Clare Mackintosh é outra autora para ficar de olho.

Infelizmente, não posso comentar muita coisa e essa resenha vai ser mais curta. Não tem como eu falar sem entregar o tchan da história, então vocês terão que ler para descobrir. Eu gostei muito da construção da trama, a autora soube quando colocar cada reviravolta e desenvolveu muito bem os personagens. Todos são humanos e muito falhos. Ray agindo como um idiota com a esposa, vontade de dar uns tapas. Kate se deixando levar por uma situação fadada ao fracasso. Jenna fugindo do passado, sem nunca encarar de frente sua dor e depois pagando as consequências por isso. O doce Patrick, o veterinário bonzinho que foi uma luz no meio de tanta gente doida.

Eu senti muita pena de Jenna, mas também quis dar uns tapas na mulher. Personagens femininas fracas não são o meu forte. Eu queria que ela acordasse, fizesse alguma coisa, e seu silêncio colocava tudo em risco. Não entendo como tudo começa sem que a mulher enxergue essas coisas, cada pequeno gesto do Ian era uma revelação. Mas apesar da personagem irritar as vezes, sua complexidade é muito interessante.

Faltou alguma coisa para eu amar, talvez por me irritar com a protagonista em alguns momentos, e por achar o final exageradamente novelesco. Só por isso não foi um favorito, mas eu adorei a história e indico com fervor. Leiam esse livro!! Não pesquisem muito sobre ele, não tentem matar a charada antes da hora, só  aproveite a leitura!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5):

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de Julho!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO