target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A arte da criatividade - Rod Judkins

>>  segunda-feira, 14 de agosto de 2017

JUKINS, Rod. A arte da criatividade.Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2017. 288p. Título original: The art of creative thinking.

Este foi um livro que considerei difícil de resenhar. Como fazer uma resenha de uma obra curta, ideal para consulta, um mini manual de criatividade? Toda e qualquer forma que surgia em minha cabeça de elaborar essa resenha acabava por parecer ortodoxa e ultrapassada, nada fiel aos ensinamentos do autor. Então fui protelando... Até o ponto que decidi deixar para lá e simplesmente escrever.... Ai, não é isso que sempre faço?

Não espere uma grande obra literária, com início, meio e fim. Não espere personagens, roteiro, clímax. Não espere sequências. Não esperem um livro comum. Este é um livro de consulta, feito para ser lido fora de ordem, de cabeça para baixo, de um lado para o outro, no chão, na cama, na escola, no ônibus, da maneira que desejar. E também não espere uma resenha comum.

Adorei essa ideia de não ter ordem (em outra vida devo ter sido anarquista), e me entreguei à bagunça. Cada dia abria numa página e lia os capítulos em doses homeopáticas. Não foi nada que mudou a minha vida, ou conceitos totalmente inovadores, ou algo do tipo “AI MEU DEUS COMO NUNCA PENSEI NISSO ANTES”. Foi interessante. Foi legalzinho. Valeu a pena.

Justamente pela ideia do livro, sugiro que os interessados adquiram a versão física (que é mais barata que o livro digital, na maioria das lojas). E sugiro que aqueles que sofrem ao pensar fora da maldita caixa tenham esse livro como uma maneira de consulta e um incentivo para brincar de imaginar, usar a criatividade em diversas situações corriqueiras. Pode ajudar!

Alguns casos foram interessantes, como Beatles, J.K Musa Rowling, e os estilistas... Mas o que eu tiro é que não há um manual de “como ser criativo”. Ser criativo é justamente sair do manual. E ao fazer um manual sobre a arte da criatividade, o autor acaba não sendo criativo… Entenderam o paradoxo eterno e infinito?

O que levei dessa obra? A noção de que criatividade não é coisa de artista, de publicitário. A criatividade está presente em nossas vidas a todo o momento. Toda hora temos a oportunidade de sair da maldita caixa que molda nossos pensamentos e emoções e fazer diferente. Isso que nos faz ser notados. Que nota dou ao livro? Serei criativa e não darei nota, pois isso é de esperar, e quero ser diferente. Serei diferente ao simplesmente indicar, sem juízos de valores, e esperar que todos que leram essa vinha viagem em forma de resenha exerçam no dia de hoje (o dia que leram estas palavras) um ato criativo, e compartilhem a experiência nos comentários abaixo. Que tal?

Começando por mim: Eu acredito que fui criativa hoje ao não dar nota ao livro e incentivar os leitores do blog a fazer diferente, exercer a arte da criatividade. Agora é sua vez!

Adicione ao seu Skoob!


Comente, preencha o formulário, e concorra ao Top Comentarista de agosto!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO