target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Outsider - Stephen King

>>  segunda-feira, 17 de setembro de 2018

KING, Stephen. Outsider. Rio de Janeiro: Editora Suma das Letras, 2018. 528p. Título original: The Outsider.

“- Preciso que responda mais uma pergunta, e quero que faça isso olhando nos meus olhos. Você matou Frank Peterson?
O olhar de Terry nem hesitou.
- Não matei.
O policial Keene levou Terry. Ralph ficou sentado onde estava, esperando que Keene voltasse para levá-lo pelas três portas trancadas entre a sala de interrogatório e o ar livre. Agora, tinha resposta para a pergunta que Jeannie mandou que ele fizesse, e a resposta, dada com contato visual firme, era não matei.
Ralph queria acreditar nele.
E não conseguia.”  p.159

E mais um dos sucessos do Stephen King, chega por aqui! Acho que se continuar nesse ritmo, mais uns... 10 anos... e eu termino de ler todos os livros do autor rs.  Eu sou fã das suas reviravoltas mirabolantes, seus ótimos personagens e suas tramas que normalmente me surpreendem. Esse é o último lançamento do autor nos EUA, foi lançado bem rápido no Brasil (obrigada Suma) e hoje conto para vocês o que achei de Outsider!

Frank Peterson era um menino de 11 anos, uma criança feliz, até ser brutalmente assassinado em um parque da pequena cidade onde morava. O garoto foi espancado, sodomizado, teve partes da carne arrancada.  O que restou da família Peterson, mãe, pai e irmão mais velho, estavam desolados e revoltados, clamando por justiça.

Terry Maitland é treinador da liga-infantil de beisebol, professor de inglês, bem casado e pai de duas filhas. Um homem conhecido e adorado na cidade. Até que testemunhas e impressões digitais, levam a sua prisão. Os policiais o abordam no meio do jogo, com o estádio lotado, em frente a sua esposa Marcy e suas duas filhas, Sarah e Grace. A prisão do treinador, deixa a cidade em polvorosa.

Ralph Anderson é o detetive encarregado do caso. Ele não hesita em ordenar uma prisão rápida e ostensiva, fazendo com que toda a cidade saiba que Terry era o principal suspeito do crime. O desgraçado treinou o seu filho, ele não tinha dúvidas da culpa do treinador. O promotor público, Bill Samuels, também não tem dúvidas, eles têm amostras de DNA que logo irão provar a culpa de Terry.

Howie Gold é o advogado que assume a defesa de Terry. Com a ajuda de Alec Pelley, investigador, eles querem provar que Terry é inocente. As provas são contundentes, a defesa tem uma carta na manga. Quem será o culpado?

~~~~~~

Que livrão!! Esse é bem no estilo do King que eu gosto, começa já apresentando personagens interessantes, uma ótima trama, e logo tem uma reviravolta que me deixou de queixo caído. Eu já esperava o toque de sobrenatural (é só olhar a capa...), mas depois da página 179... eu fiquei chocada foi com algo bem “real”. Ah um aviso IMPORTANTE: Um personagem importante da Trilogia Bill Hodges aparece aqui, e têm muitos spoilers sobre o final da trilogia nesse livro, então quem ainda não leu e quer ler (valem a pena, livros excelentes), não leia este livro antes!

Voltando ao enredo, eu curti bastante a estruturação do livro. Começa como uma boa ficção policial, o assassinato da criança, alguém que ninguém imaginaria preso pelo crime, e todos decidindo se acreditam ou não nele, que jura não ter cometido o crime. Eu torci por Terry, gostei dele de cara, e acreditei na sua inocência (mesmo com digitais, DNA e etc..., afinal, é King!). Por outro lado, também adorei Ralph, o detetive que é tido como vilão no início por causa da prisão pública e do tratamento dele com Terry. Ralph aos poucos vai se revelando um homem integro, e capaz de tudo para descobrir a verdade. Aí acontece um desdobramento que me deixou arrasada, e de queixo caído com o que o autor faz.

Depois disso o sobrenatural acontece, como em muitos do autor não foi algo que me chocou. Mas o suspense foi incrível! Alguém capaz de fazer o que fez, sem ninguém saber o que vem a seguir é realmente assustador.  E é então que reencontramos uma personagem querida, Holly Gidney, o que foi uma surpresa feliz. Quem leu a Trilogia Bill Hodges vai adorar reencontrá-la. Eu não sabia da ligação entre os livros e fiquei muito contente com o aparecimento da personagem, por outro lado, já fiquei com medo do King matar ela aqui kk. O final foi muito bom, um pouco corrido e com coisas que se resolveram fáceis demais (mas já me acostumei com os finais do autor).

Apesar do sobrenatural ser bem sinistro, não é um livro de terror para mim, é um suspense. Mas eu normalmente não sinto medo em livros, acho que em um filme ficaria bem mais  sinistro.

Quem não gosta de spoiler, pule esse parágrafo! Vi alguns leitores reclamando dessa mudança brusca de policial para sobrenatural. O que acontece é que King escreve sempre muito bem, e aí ele vem com a parte policial muito bem construída, cheio de mistérios que o leitor vai tentando junto desvendar. E de repente, ele taca um sobrenatural no meio, ou seja, nada precisa ser explicado, o sobrenatural cai de paraquedas e resolve tudo. E muita gente odeia isso rs, eu entendo. Mas nesse livro não me incomodou esse desdobramento, com essa capa, eu já estava esperando exatamente algo do tipo. Vi também comparações com outros vilões do autor, mas como não li os livros citados, não sei dizer.  

Eu amei a leitura e me surpreendi em várias partes. Adoro livros que saem do comum, e Stephen King para mim, é sempre uma ótima aposta nesse sentido. Quem leu me conte o que achou, leiam!!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5):

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top comentarista de setembro no blog!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO