target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Á beira da loucura - B. A. Paris

>>  segunda-feira, 19 de novembro de 2018

PARIS, B. A. Á beira da loucura. Rio de Janeiro: Editora Record, 2018. 350p. Título original: The breakdown.

“Mas essa notícia sobre Jane me chocou até a alma – me chocou tanto que demorou um pouco até tudo se organizar em minha mente e eu ser atingida pela terrível constatação de que foi Jane que vi naquele carro ontem á noite, foi Jane que olhou para mim pela janela enquanto eu passava por ela, foi Jane que deixei lá para ser assassinada. O pânico que sinto é comparável apenas à culpa que me pressiona, me sufocando.” p. 45

Não conhecia o trabalho da autora e peguei esse livro para ler sem grande expectativa, ela tem outro livro lançado aqui, Entre quatro paredes, que está nos meus desejados faz tempo, e ainda não comprei. Eu sabia apenas que era um thriller psicológico, e como adoro o estilo, fui conferir a trama de À beira da loucura da B. A. Paris.

Cass é uma professora, casada e ainda sem filhos. Seu marido não pode ter filhos e como se casaram há pouco tempo, ainda não discutiram o assunto. Ela e Matthew moram em um lindo chalé afastado da cidade, um paraíso próximo a uma floresta. Tudo muda em uma noite de tempestade...

Cass cortou caminho por uma estrada deserta, um lugar que o marido sempre fala para ela evitar. No meio da chuva forte, um carro parado no estacionamento. Ela vê uma mulher, para e espera... como nada acontece e a mulher não desce para pedir ajuda, ela vai para casa. No dia seguinte, descobre que a mulher foi morta naquele lugar. Consumida pela angustia e pela culpa, ela não consegue se conformar. Pensa que poderia ter ajudado e a mulher estaria viva. Ou que se tivesse ido até lá, poderia estar morta também. E considerando o fato de que o assassino ainda está solto e ela mora em um lugar isolado, fica cada vez mais assustada. Quando descobre que a mulher assassinada era Jane, um moça com quem ela havia começado uma amizade, fica ainda mais arrasada.

Ela não conta para ninguém o que aconteceu, um pouco com medo do marido ficar bravo por ela ter passado por aquele local, mas principalmente com vergonha por não ter feito nada para ajudar. Nem sua melhor amiga, Rachel, sabe a verdade e de como ela está sofrendo. Com todo o seu nervosismo, Cass começa a ter sérios lapsos de memória.  Sua mãe morrera de demência, diagnosticada quando ela ainda era uma jovem senhora, e Cass tem pavor de ter herdado a doença. Ela começa a esquecer coisas, confundir compromissos e fica cada vez mais nervosa. Quando alguém começa a ligar para a sua casa e desligar sem falar nada, ela tem certeza de que está sendo perseguida pelo assassino, ou perdendo completamente a razão.

~~~~~~~~~~~~

O livro é tenso e bem angustiante, narrado apenas por Cass, acompanhamos seu desespero crescente e solitário. Eu fiquei nervosa em boa parte da leitura, sem imaginar o que aconteceria a seguir. E no fim, apesar de ter matado a charada, adorei a leitura.

A narrativa é boa, flui bem. Os sofrimentos da mente de Cass são palpáveis, da muita pena da protagonista. Ao mesmo tempo, eu me irritava com a sua burrice em alguns momentos rs. Cass tem lapsos de memória, o leitor não sabe no que confiar, ao mesmo tempo, sua paranoia com tudo o que aconteceu mantem a leitura tensa até o final.

Desde o início eu tinha uma teoria sobre o que estava acontecendo. E pensei que iria achar bem fraco se fosse exatamente isso. E no final, eu estava certa, achei a charada muito fácil de desvendar. Mas, apesar disso, a protagonista me surpreendeu muito pela forma como reagiu a esse desfecho e me conquistou no final. Só não fui um favorito porque termina com alguns pontos em aberto, eu queria um epílogo que explicasse o restante e não teve. Achei o final bem no ar, mas como thriller eu gostei muito.

Por ser narrado apenas por Cass, os outros personagens não foram tão bem desenvolvidos. Acho que como thriller psicológico tem que ser assim mesmo, só conhecemos as outras pessoas pelos olhos do narrador. Mas eu queria conhecer melhor alguns amigos dela do trabalho e outros personagens secundários. Mas não foi algo que tenha faltado, é bem característico desse gênero.

Esse livro ficaria fantástico no cinema, com uma atuação boa seria um suspense de arrepiar. Quem sabe não vira filme? Eu iria adorar.

Depois da leitura, fiquei ainda mais ansiosa para comprar o outro livro da autora, espero conseguir ler logo e contar para vocês. Quem leu me conte o que achou, quem curte esse gênero não pode perder, leiam!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5):

Comente na resenha, preencha o formulário e concorra ao Kit Top comentarista de novembro!


Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO