target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Tolos e mortais - Bernard Cornwell

>>  quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

CORNWELL, Bernard. Tolos e mortais. Rio de Janeiro: Editora Record, 2018. 362. Título original: Fools and mortals.


“Nunca li nada desse autor”. Foi a primeira coisa que pensei quando recebi o livro de divulgação da Editora Record. A segunda coisa que pensei é que se a história era sobre o irmão de William Shakespeare, “interessante” é o mínimo que se pode dizer sobre a história. Então, pensei em ler logo para saber o que acharia. A terceira coisa que pensei é que esse autor tem livro pra caramba, se parar para analisar os títulos que foram colocados na folha de rosto deste livro. Agora posso dizer se minha curiosidade sobre livros do autor está satisfeita por enquanto, para sempre, ou se este não serviu como parâmetro.

Richard Shakespeare é o irmão mais novo de ninguém menos que William Shakespeare. Sim, aquele famoso que escreveu a história de amor mais famosa e mais trágica de todos os tempos: Romeu e Julieta. Contudo, Richard não é ninguém, se comparado ao irmão mais velho. Richard busca um lugar ao sol no mundo do teatro, mas é tudo muito sofrido e ele precisa se esforçar ao máximo para ser ouvido e ganhar dinheiro para viver. Ele não aguenta mais fazer papel de mulher nas peças que o irmão escreve, não aguenta mais ser ridicularizado pelo irmão e não aguenta mais ganhar pouco e ter que praticar pequenos furtos, às vezes, para ganhar mais.


                                                        ____________

Vamos começar desta vez falando sobre a capa, que eu achei particularmente interessante com os trechos de escrita e uma imagem de Shakespeare que estamos acostumados a ver em qualquer livro de pesquisa sobre o autor, e até mesmo na internet.

A história é narrada por Richard, e, no início, tive a sensação de que todo aquele ambiente teatral, as falas, as peças, os bastidores iam me conquistar e me hipnotizar. Ainda estou esperando.

O que aconteceu, infelizmente, é que, primeiramente, não conseguia engatar na história. Achei tudo muito morno e ficava aguardando o ápice ou alguma discussão que fizesse sentido, principalmente entre os irmãos Shakespeare, mas não aconteceu. Nesse caso, talvez para mim tivesse funcionado melhor se a história fosse sobre algum autor/escritor/diretor de teatro que não fosse William Shakespeare. 

William foi apresentado pelo autor, em minha opinião, como um cara mesquinho, debochado, e sua rivalidade com o irmão se mostrou cansativa e repetitiva.

Repetitivas, também, foram as reclamações e algumas passagens que Richard repetia. Dava vontade de falar: “Ta bom, já sei”. Assim, quando o final chegou, eu fiquei mais aliviada de ter terminado do que sentindo algo positivo em relação à história em si.

Infelizmente, tive mais expectativas do que resultados. Contudo, a conclusão a que cheguei foi a de que o livro não serviu como parâmetro para decidir se lerei mais alguma história do autor ou não, acho que vou ter que ler mais alguma para tirar a prova. J

Sei que muitas pessoas vão curtir a história. Vi alguns comentários de pessoas que gostaram. Infelizmente, faço parte do time que não indicaria. Mas não se chateiem, a vida literária também tem dessas coisas.


Adicione ao Skoob!


Avaliação (1 a 5):






Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top comentarista!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO