target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Flores partidas - Karin Slaughter

>>  segunda-feira, 12 de agosto de 2019

SLAUGHTER, Karin. Flores partidas. Rio de Janeiro: HarperCollins Brasil, 2016. 464p. Título original: Pretty girls.


“Como meu pai, dediquei a vida a tratar de animais, mas foi a primeira vez que estabeleci uma ligação entre as coisas terríveis que as pessoas fazem com os animas e as coisas ainda piores que fazem com outros seres humanos.
Aquilo mostrava como uma corrente machucava a carne, como chutes e socos feriam. Aquela era a maneira como um ser humano ficava quando partia para um mundo que não o valorizava, não o amava, não queria que ele voltasse para casa.
Sua mãe estava certa.
Os detalhes acabaram comigo.” p.12

Eu amo a série policial Will Trent da mesma autora, uma pena que a Editora Record lançou só até o quarto volume até hoje. A Editora HarperCollins começou a lançar alguns da série Will Trent, mas os últimos, então não posso ler ainda. Mas enfim... esse é um livro individual, eu já tenho faz tempo na estante, mas demorei a ler. Confiram o que achei de Flores partidas da Karin Slaughter.

A família Carroll se despedaçou há 24 anos, quando a filha mais velha, Julia Carroll, 19 anos na época, desapareceu sem deixar rastros. Os pais fizeram de tudo, a policia insistiu que a moça tinha fugido, nada foi descoberto. Sua duas irmãs cresceram com essa dor. Depois disso, os pais se separaram, a irmã do meio começou a usar drogas... Nada nunca mais foi o mesmo.  Elas nunca esqueceram, e nunca se recuperaram.

Alguns anos depois, Lydia Carroll contou para a irmã mais nova, Claire, que o namorado de Claire tinha tentando estuprá-la, ela não acreditou. A mãe ficou do lado de Claire. Lydia foi embora e nunca mais voltou. Claire se casou com o namorado.

Dezoito anos depois, Claire descobre que não sabe tudo sobre o marido. Paul Scott parecia ser um nerd certinho, um arquiteto dedicado. Mas Claire encontra vídeos escondidos em seu computador, vídeos pesados que mostram mulheres sendo torturadas, estupradas e mortas. Ela não sabe nem se são vídeos reais ou ficção amadora. E não entende como o seu Paul, pode assistir aquilo e gostar.

Ela começa a investigar, e descobre que a verdade, está muito longe da vida perfeita que ela imaginava ter.

~~~~~~~~~~~

Perfeitamente agoniante, pesado e arrasador. O suspense tem algumas pontas soltas, mas foi uma leitura que mexeu comigo, amei o enredo.

Os personagens são o ponto forte do livro: complexos, sofridos, bem desenvolvidos e muito humanos. A narrativa em terceira pessoa se alterna entre os personagens, e também em passado e futuro. Temos o pai das meninas que escrevia cartas para a filha desaparecida, e Claire e Lydia no presente, com tudo o que estava acontecendo. A mãe das meninas, Helen, tem pouco destaque no livro, e seu personagem deixa um pouco a desejar, até que ela se redime totalmente mais para o final. Paul nunca me enganou rs, eu só esperava pra ver o tamanho do problema.

A forma como os desdobramentos vão se apresentando, tendo Claire sempre na berlinda e Lydia envolvida, mesmo sem querer, faz com que o livro seja mais um thriller psicológico do que um suspense, até porque tem cenas bem pesadas e angustiantes. A narrativa é ágil, e as vezes elas pararam para contar algo do passado, ou tinhamos as cartas do pai, e eu ficava já ansiosa para saber o que aconteceria a seguir.

A trama de suspense em si é meio sacal. Eu desconfiei logo do culpado, dos envolvidos e de várias coisas. Mas outros desdobramentos surpreenderam bastante. Infelizmente não posso contar demais rs.

Eu só não dei nota 5, porque algumas coisas não me convenceram ou ficaram mal explicadas, principalmente tudo o que envolve o FBI. Outras coisas que no início da leitura achei sem noção, foram bem explicadas pela autora. Eu curti o final, me surpreendeu a atitude de algumas pessoas e cheguei a ficar de queixo caído em uma cena.

Ah, existe um e-book com um conto que é o prequel dessa história. A garota de olhos azuis conta a história de Julia, antes de tudo acontecer. Eu acabei lendo depois desse, é um conto curtinho e não acrescenta tanto, até porque já li sabendo o que aconteceria com Julia no final. 

Bom, eu adorei e indico para todos os fãs do estilo. Até quem não costuma ler muito suspense ou thriller, a narrativa é bem romanceada e você se apega muito aos protagonistas. Leiam!!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5):


Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de agosto!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO