target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A corrente - Adrian McKinty

>>  segunda-feira, 23 de setembro de 2019

MCKINTY, Adrian. A corrente. Rio de Janeiro: Editora Record, 2019. 378p. Título original: The Chain.

“ – Você tem que se lembrar de duas coisas – diz uma voz distorcida eletronicamente. – Número um: você não é a primeira e certamente não será a última. Número dois: lembre-se, não é pelo dinheiro. É pela Corrente.” p.16

Esse foi um dos thrillers mais divulgados por aqui esse ano. Fora a divulgação da Editora bem interessante, ainda conta com uma lista de autores consagrados enchendo a contracapa de elogios. E eu estava como? Estava louca para ler e com as expectativas nas alturas! Hoje conto para vocês o que achei de A corrente do Adrian McKinty.

Sobrevivente. Rachel Klein superou o divórcio, venceu um câncer e estava perto de começar um novo emprego como professora de filosofia. Estava bastante preocupada, porque sua médica analisou seus exames e marcou uma consulta de urgência. Ela se dirigia para lá, achando que isso era a pior coisa que poderia lhe acontecer. Ledo engano...

Kylie Klein, 13 anos, estava esperando o ônibus escolar quando foi sequestrada. Não deu tempo de correr, não deu tempo de pensar, uma arma, um homem, e de repente ela estava presa em um carro. Uma mulher assustadora avisa para ela ficar quieta, só sua mãe poderá salvá-la.

Vítima. Rachel recebe uma ligação, a pior ligação de sua vida. Uma mulher avisa que sua filha foi sequestrada e que, se ela não fizer exatamente o que lhe foi ordenado, sem chamar a polícia, sua filha morre. Simples assim, a mulher promete. Se você fizer qualquer coisa errada, eu mato sua filha e começo de novo, eles estão com meu filho, é pela corrente. Primeiro você transfere 25 mil dólares...

Sequestrador. Depois você sequestra uma criança. É isso mesmo, para você ter sua filha de volta você precisa sequestrar o filho de alguém. A mãe dessa criança precisa sequestrar outra, e só então sua filha é libertada. E você não fala sobre isso para ninguém, você segue as regras e obedece, ou sua filha morre. E é assim que Raquel, uma mulher comum, se torna uma mulher capaz de qualquer coisa.

Criminoso. Você se torna um sequestrador para ter seu filho de volta. Se mesmo depois de recuperar o filho, a pessoa contar para a polícia, a represaria é grande. Uma família inteira assassinada, a Corrente protege a Corrente. Qualquer membro pode ser ativado novamente, para resolver algum problema. Obedeça, se quer continuar vivo, se ama sua família. 

Eles acreditam que qualquer um é capaz de fazer qualquer coisa pelos filhos. Que o medo mantém todos na linha. Mas o que acontece quando alguém tenta quebrar a Corrente?

~~~~~~~~~~

Uma premissa dessa bicho... O enredo desse livro é incrível! A ideia é excelente e muito interessante. Lembram daquelas correntes que rolavam muito antigamente? De cartas, de e-mail “se você não fizer isso vai ter 7 anos de azar”. Aqui isso toma proporções inimagináveis. São mães, pessoas comuns, que de repente estão comprando armas, cordas, procurando um local isolado para manter uma criança refém. Pesquisando perfis, selecionando vítimas, cometendo crimes.

E o leitor ali agoniado, devorando cada palavra. Você torce muito pela coitada da Rachel e por Kylie, para que dê tudo certo e ela volte para casa. Mas isso significa torcer para que a Rachel consiga realmente sequestrar uma criança, deixando mais um casal desesperado. Você fica ali pilhado, torcendo, e só depois pensa... “tadinha da menina! ”. A gente realmente não sabe até que ponto uma pessoa pode ir, por um filho, por amor.

Eu comecei alucinada, mas já tinha medo dos desdobramentos, no meu histórico do livro no Skoob, escrevi assim logo no início do livro: “Gente, que livro louco!!! Que o santo dos bons livros proteja para que não caguem tudo no final, porque prevejo um nota 5!!!”. Porque a ideia é original, é diferente e interessante, mas daí conseguir desenvolver e fechar isso bem é outra história. E aí? E aí caros leitores, foi um balde de água fria!

Pois é, acabei me decepcionando com o desenrolar da história e principalmente com a conclusão. De repente fica mais lento, o ritmo cai muito e começa a ficar sem graça. A narrativa é bem simplória, isso eu achei desde o início, mas o ritmo louco fazia com que eu nem reparasse. Mas é como se a linguagem fosse de um jovem adulto, sei lá, bem thriller para iniciante.

Mas ok, se fosse só isso, o problema realmente foi que a conclusão foi muito aquém do esperado. Tive toda aquela expectativa com o grande cérebro por trás da Corrente, imaginei um grupo forte e muito inteligente... para depois pensar, ah era só isso? E aí o autor joga um monte de informação entediante sobre matemática, informática e sistema de rastreamento. E de repente, por coincidência, está todo mundo no mesmo lugar e tudo se resolve. E fim. Sério gente? Acho que ele queria publicar logo e terminou de qualquer jeito, não tem explicação.

Para mim foi uma ideia “foda”, mas muito mal executada. Ficou simplório, ficou corrido. E aí você pega um livro cheio de elogio do Stephen King, da Tana French e vários outros autores de suspense, e obviamente, a gente espera mais.

Mas calma lá, se você não é um leitor assíduo de thrillers e suspense, se esse não é um estilo que você costuma ler, provavelmente vai amar. Leitores mais maduros no gênero, com certeza irão esperar mais e se decepcionar.  

Deixando de lado o meu problema com a parte  final do livro, foi uma leitura rápida e que eu gostei muito. Ótimos personagens, trama intrigante, impossível não gostar de Rachel, Kylie, Pete e não torcer por eles. E claro, depois disso tudo você pensa em todos os pais que conhecem e fica pensando. Até onde eles iriam pelos seus filhos? Até onde você iria??!

Se eu indico? Ah eu indico sim! Eu curti, vale a leitura. Só não é essa Coca-Cola toda, não é a última bolacha do pacote, nem a.... ah vocês já entenderam. Leiam, mais com moderação!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5): 3.5

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de setembro

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO