target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Viajando em vídeo
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Lançamentos

Sendo Nikki - Meg Cabot

>> quarta-feira, 15 de junho de 2011

CABOT, Meg. Sendo Nikki. Rio de Janeiro: Galera Record, 2011. 320p. (Airhead, v.2). Título original: Being Nikki.

“Aí eu lembrei. A razão de eu estar tão deprimida, quero dizer.
Foi também quando me soltei das pedras do penhasco.
É que, de repente, ser comida por tubarões me pareceu melhor do que ouvir o resto da história de Brandon.
Porque eu tinha ouvido um monte de histórias parecidas durante o mês passado – vindas não somente de Brandon, mas de garotos de tudo o que é lugar de Manhattan – e eu fazia uma boa ideia de como isso ia terminar. Para uma garota de 17 anos – e que supostamente estava saindo com o filho único de seu chefe – Nikki Howard tinha tido, definitivamente, muitas companhias masculinas.”pg.12

Meg Cabot consegue misturar nerds, o mundo fashion das modelos, ficção científica, romance e se dar muito bem. Suas séries adolescentes são fofas e muito divertidas e esta é mais um bom exemplo. A continuação de Cabeça de vento é até melhor que o primeiro livro da trilogia, hoje vou falar de Sendo Nikki de Meg Cabot.

Emerson Watts era no fundo uma adolescente nerd e que odiava tudo relacionado a modinhas, gente famosa e coisas fofas de meninas. Seu jeito independente e seguro só fez com que sua grande paixão continuasse eternamente sendo apenas seu melhor amigo; Christopher era lindo de um jeito largado e desleixado, mas Em o conhecia bem o suficiente para enxergar por trás das roupas nerds. E agora nem sua melhor amiga ela era mais, tudo por culpa de Nikki Howard, a modelo mais cotada do momento em Manhattan.

A partir daqui contém spoilers se você ainda não leu Cabeça de vento.

Quer dizer, por culpa da “morte” de Nikki Howard, ou pelo menos, da morte de seu cérebro. Isso mesmo, através de uma troca de cérebro feita em uma cirurgia clandestina pelas empresas Stark Emerson acaba no corpo da super modelo.  E era isso, agora ela era Nikki, rica, super famosa, cheia de roupas chiques e namorados – sim você leu bem o plural – famosos. Tinha Brandon o filho único do chefe, lindo, rico e apaixonado. Ou Gabriel Luna o cantor inglês que acabara de lançar uma música em sua homenagem. E ainda Justin o namorado de Lulu sua colega de apartamento e melhor amiga. (Sim, Nikki era também meio vadia).

Nikki, não Em. Emerson nunca nem tinha dado um beijo antes de “morrer” e agora ela era Nikki, a vadia cheia de namorados. Todos menos o que ela realmente queria, já que agora Christopher nem sabia de sua existência e estava arrasado pela perda da melhor amiga. Ela bem que tentou dar umas dicas, se matriculou em sua antiga Escola, mas não teve nenhum sucesso em conquistá-lo ou em chamar sua atenção.

E se isso era motivo de depressão, ela não tinha a menor ideia do que ainda estava por vir. Agora além de se acostumar com a vida caótica de modelo ela ainda tinha que conviver com um passado, que claro, não lembrava de ter vivido. Primeiro a mãe de Nikki desaparece misteriosamente e agora ela tinha um irmão! E Steven estava muito bravo com ela e muito preocupado com a mãe.

Ela resolve ajudar Steven, precisa participar de um desfile ridículo no fim do ano, dar conta de suas fotos de modelo em penhascos cheios de tubarões e passar nas provas da escola. Além disso precisava vigiar a irmã mais nova Frida - que era obcecada pelos famosos - e ajudar Christopher, que queria se vingar da morte de Em destruindo as empresas Stark. E quem disse que a vida de uma top model era fácil?

Me divirto muito com as histórias da Meg, morro de rir com os desdobramentos surreais e adoro o monte de carinhas lindos dando sopa para a protagonista. Como a mente de Em está no corpo de Nikki ela virou uma super modelo, mas a cabeça ainda é da nossa querida nerd. E claro que ela não sabe de nada sobre o passado de Nikki e isso lhe causa muitos problemas, principalmente com os garotos.

E eles, lógico, não entendem nada do que está acontecendo com a menina e querem conquistá-la. O personagem de Christopher é fofo e eu fiquei o livro todo torcendo para ele finalmente perceber que era Em no corpo de Nikki. Tudo muito fantástico e surreal, e não tinha nada que ela pudesse fazer para mudar isso.

Os personagens novos como Stevan são ótimos, gosto muito também da Lulu com seu jeito maluquinho e desligado. O final me surpreendeu e estou curiosa para ler o terceiro volume.

Este é um teen chick-lit bem leve e voltado para os fãs do gênero, quem gosta de livros mais adultos acredito que não vá gostar muito, mas para os fãs de YA books a leitura é imperdível. Meg é fantástica, adoro os livros da autora e este é mais um que eu adorei. Leiam!

Trilogia Airhead de Meg Cabot
  1. Cabeça de Vento (Airhead)
  2. Sendo Nikki (Being Nikki )
  3. Na passarela (Runaway)
Avaliação ( 1 a 5):

Postar um comentário

Obrigada pela visita, de sua opinião, participe e volte sempre =^.^=

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO