target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Filhos do Éden - Eduardo Spohr

>>  quarta-feira, 2 de novembro de 2011


SPOHR, Eduardo. Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida. São Paulo: Editora Verus, 2011. 576p.

“O exilado sorriu, ao recordar as ocasiões em que ela tentara, inutilmente, impor sua autoridade, e como ele reagira a isso. Parecia fazer séculos desde que haviam se encontrado pela primeira vez no porão. A caverna de gelo, a perseguição na estrada, a jornada pela floresta... Eram como sonhos agora – distantes, utópicos.”p.413

O brasileiro Eduardo Spohr ficou conhecido depois do grande sucesso de seu primeiro livro, A batalha do apocalipse, que começou conquistando o público que acompanhava o autor através do site Jovem nerd e caiu no gosto geral do público, principalmente depois da sua reedição lançada pela Editora Verus. ABDA narrava a vida de Ablon – um general renegado – que foi expulso do céu após uma batalha contra Miguel – o príncipe dos anjos – em defesa dos homens na Terra. O novo livro é mais ágil e alterna a narrativa nos dias atuais com cenas cronologicamente anteriores a ABDA, conheça a história de uma capitã do exército rebelde e de um anjo exilado em Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida.

Há uma guerra no céu que já se arrasta por séculos. Nos dias atuais a guerra civil entre os Arcanjos Miguel e Gabriel devasta os sete céus. Miguel – o príncipe dos anjos –  luta pela destruição da humanidade; Gabriel - Mestre do Fogo, Anjo da revelação ou a Força de Deus - revoltou-se contra os desmandos do irmão e deu início a guerra civil. Com as legiões divididas entre o Quarto e o Quinto céu alguns generais receberam permissão para viver na Terra e por lá ficaram. Até que receberam a convocação de voltar, todos teriam que lutar por Miguel. Aqueles que desobedeceram à ordem foram exilados e proibidos de voltar ao céu.

Enquanto o Quarto céu está sitiado pelos campos de guerra, dois anjos são enviados à Terra com uma importante missão. Eles precisam resgatar Kayra e seu guardião, que partiram em uma missão secreta e não retornaram. Kayra Centelha Divina é uma Ishin – celeste responsável por governar as forças elementais: fogo, terra, água e ar -, capitã do exército revolucionário de Gabriel e uma Ishin que domina o elemento fogo.

Na Universidade de Santa Helena – RJ eles encontram a pista que procuram. Leviah o Amigo dos homens é um Ofanim – Anjos da guarda, seres bondosos que vagam no plano astral ajudando os homens e tem o poder de controlar emoções – e pretende cumprir sua missão sem machucar nenhum inocente. Seu parceiro na missão é Urakin o Punho de Deus, um guerreiro forte e corajoso.

Mas a missão dos dois se revela ainda mais difícil quando finalmente encontram Kayra, por algum motivo desconhecido ela não se lembra de nada; ela diz se chamar Rachel, uma simples humana, e se assusta com tudo que aqueles dois caras – que se dizem anjos – falam para ela. Uma portadora do fogo desmemoriada é um perigo até para ela mesma e eles logo precisam de ajuda.

Denyel é um dos querubins exilados, um dos ex-agentes do Arcanjo Miguel. Leviah pede sua ajuda naquela missão, enquanto Urakin não confia nas intenções do querubim. Denyel tem seus próprios interesses, depois de séculos vivendo na Terra suas atitudes são muito diferentes dos anjos. Kayra alternava momentos de grande irritação com curiosidade, mas não confiava no exilado.

“- Cada porta aberta leva a muitas outras, portanto, quanto mais aprendemos, mais afastados estamos da verdade. Por isso, minha filosofia é simples: dirija rápido, mantenha-se bêbado e nunca dispense uma boa briga.
Ela riu, diante do paradoxo que encerrava o anjo Denyel – era sábio para tantas coisas, e potencialmente fútil para outras.”p. 283

Paralelamente acompanhamos a história do Primeiro Anjo, o líder dos sentinelas, anjos enviados por Deus para fundar e orientar as primeiras vilas humanas. No passado eles foram punidos por se recusarem a fazer parte das grandes catástrofes, agora buscam vingança.

O grupo de Kayra enfrentará demônios e os anjos enviados por Miguel para arrancar-lhes a verdade. Conhecerão o temido Andril – o anjo branco - e seus temidos soldados: Forcas – um anjo que assume a forma de leão – e Yaga: Sombra da morte – uma Hashmalin – anjos da punição, torturadores, conseguem controlar espíritos e as trevas.

Em uma corrida contra seus inimigos eles buscam uma chave, que possibilitará a entrada para as ruínas de Athea, uma das colônias de Atlântida. A cidade esconde uma passagem, que se descoberta possibilitará aos exércitos de Miguel a invasão da Cidadela de Fogo, onde estão as tropas de Gabriel, vencendo e pondo fim a guerra milenar.

Falei horrores e não sei se a resenha está à altura de explicar a complexidade do enredo de Spohr; sua narrativa é descritiva, mas sem se tornar cansativa e suas tramas são riquíssimas. Faltam-me palavras para descrever cenários, personagens e criar uma linha de tempo plausível. O que posso dizer é que Filhos do Éden é um livro independente, pode ser lido antes de ABDA sem problemas e tem um ritmo mais rápido do que o livro anterior.

O fato de Kayra não ter ideia de quem é, e de sua missão garantir muitas surpresas à trama permite ao autor explicar novamente suas castas, anjos e poderes angélicos – sem se tornar repetitivo para o leitor que já conhece este mundo. O novo livro é mais esclarecedor, gostei de conhecer novos personagens e acompanhar os anjos que são apenas soldados nesta batalha. Outra coisa legal, é que enquanto em ABDA as lutas eram épicas e cheias de poderes angelicais, em FDE as lutas são mais reais, com socos, tiros, sangue – os anjos podem se ferir e se recuperam quando se alimentam - consegui visualizar melhor as batalhas.

Acho que aqui o leitor consegue ver os anjos sob uma ótica mais humanitária; eles têm personalidades diferentes, qualidades e defeitos. Meu personagem preferido é Denyel, ele não tem medo de nada, não poupa a língua e não tá nem ai para o que as pessoas esperam dele – faz aquele estilo anti-herói muito bem, com um jeito meio canalha. Kayra e sua falta de memória é legal por um lado, chata por outro rs. Nada contra, mas não é uma personagem que me conquistou.

Se você gostou de ABDA leia sem dúvida, você vai conhecer mais sobre o mundo do autor e descobrir que muitas aventuras podem surgir deste universo único. Spohr se destaca sem dúvida no cenário nacional, seu livro cria uma linha do tempo e uma divisão angélica inexistentes na literatura de ficção. Se você ainda não leu ABDA pode começar por este livro sem problema, personagens e tramas diferentes, livros completamente independentes. 

Eu ainda prefiro ABDA, sou muito fã de Ablon e Shamira. Mas aguardo ansiosamente a continuação de Filhos do Éden. Leiam!

Série Filhos do Éden de Eduardo Spohr

  1. Filhos do Éden: Herdeiros de Atlântida
  2. Filhos do Éden: Anjos da morte

 Avaliação ( 1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO