target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Uma Viagem Adaptada: Filme x Livro #1

>>  quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Oi, como estão? Hoje estreia a coluna Uma Viagem Adaptada: Filme x Livro, na qual falarei sobre filmes baseados em livros. Espero que vocês gostem.


O filme que falarei hoje é Amanhã - Quando a Guerra Começou. O livro já foi resenhado pela Nanda, e você pode conferir a resenha aqui.  


Filme lançado em 2010, com a direção de Stuart Beattie, é baseado no livro homônimo escrito por John Marsden. Teve um orçamento aproximado de US$ 27 milhões.


(Alguns pôsteres do filme)

Ellie (Caitlin Stasey) e Corrie (Rachel Hurd-Wood), são melhores amigas desde sempre, e é delas que vem a ideia de acampar em um lugar um tanto distante, que é conhecido como Inferno - não pelo fato de ser exatamente um Inferno, mas por ser desabitado e de difícil acesso. Elas nem ao menos sabem se alguém já estivera lá antes -, em busca de aventura, mas claro, querem companhia.

O primeiro que elas convidam é Kevin (Lincoln Lewis), namorado de Corrie. Depois Homer (Deniz Akdeniz), o garoto engraçado, vizinho de Ellie, que se mete em confusões dentro e fora da escola. Fiona (Phoebe Tonkin), a garota riquinha que mora na cidade. E, apesar de primeiramente não está na lista, Ellie resolve chamar Lee (Chris Pang). Por último, temos Robyn (Ashleigh Cummings), a garota vinda de uma família religiosa.

Está fechado! O grupo com sete adolescentes parte em busca de um programa que foge totalmente do cotidiano deles.

Após um certo tempo de viagem no carro dos pais de Ellie, eles chegam ao local desejado. O Inferno era melhor do que eles esperavam. Lago, silêncio, natureza, sol, isolamento, tudo que eles precisavam para descansar e ter um momento apenas para eles. Faziam fogueira de noite, dormiam em sacos de dormir, e a comida não era lá aquela coisa, mas eles não ligavam para isso, estavam ali por aventura e pronto.

Após alguns dias, um pouco antes de voltarem para suas casas, já faziam planos para futuros acampamentos no Inferno. Eles realmente gostaram do lugar, mas infelizmente não poderiam ficar para sempre. Disseram adeus ao Inferno e seguiram o rumo.

A primeira casa que eles teriam que passar para chegar nas outras era a de Ellie, e é lá que eles têm os primeiros sinais de que algo está errado. A cachorra de Ellie está morta, a casa está sem energia, os telefones não funcionam, a internet também não.
“Não sei o que está pensando. Não é possível. Impossível! esse tipo de coisa não acontece aqui!”
Indo de casa em casa, o único sinal de vida que eles encontram é do cachorro do Kevin, Flip. Sem demoras vem a desagradável e assustadora descoberta: a cidade que eles moram havia sido invadida e os moradores tinham sido aprisionados - alguns até mortos.

Sete adolescentes sozinhos em uma cidade em guerra. Eles querem sobreviver, mas não serão capazes de abandonar seus familiares. Então, eles vão à luta.

Esse filme me conquistou. Primeiro com a escolha do elenco, que conta com atores ótimos e também por conseguir me fazer ficar tenso, nervoso. A história é diferente dos filmes que assisti e foi muito bem dirigida. Possui um mínimo romance, mas nada demais.

O Inferno é um lugar maravilhoso. Localizado praticamente no meio do nada, possui belezas naturais como cachoeira, floresta e rochas, que graças à ótima fotografia do filme, foi mixada com a descontração e entusiasmo dos adolescentes.

Além do bom suspense, tensão, bela fotografia, ótimos atores, ainda temos a questão dos personagens. Isso foi o que mais me conquistou. No começo do filme, conhecemos brevemente um pouco sobre os personagens, e é impressionante a evolução deles ao decorrer do filme. É possível ver a forma que eles mudam quando trabalham sob pressão, a forma que agem ao perceberem a dimensão de uma guerra e as atitudes que têm quando se dão conta de que é matar ou morrer.

livro, assim como o filme, é narrado em primeira pessoa. Quem conta toda a história é Ellie, ela foi escolhida para escrever tudo que acontece com eles. Eu acho que esse deve ser um dos motivos que nos impede de ir mais fundo no sentimento de cada um dos outros personagens. Mas de qualquer maneira, a história é muito bem narrada e possui bastantes detalhes. O livro não é grande e a leitura te envolve rapidamente. Acho que o autor cometeu algumas falhas ao atribuir a certos personagens capacidades que foram adquiridas praticamente de uma hora para outra, mas isso a gente releva. É um livro que eu recomendo! Estou louco para ler as continuações – sete livros, vou falir -, então fica a indireta para presente de natal, rs.



Como disse, a adaptação ficou ótima, e tanto o filme quanto o livro são maravilhosos! Houve poucas mudanças no roteiro, o que me agradou. Não deixem de assistir e muito menos de ler, pois garanto que você ira gostar muito. Não tem como dar outra nota ao filme...    

Avaliação de 1 a 5

Então, vocês já leram o livro ou assistiram ao filme? O que acharam?

Abraços.







Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO