target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Belle - Lesley Pearse

>>  quarta-feira, 19 de setembro de 2012


PEARSE, Lesley. Belle. São Paulo: Editora Novo Conceito, 2012. 560p. Título original: Belle.

“Nada na vida de Belle tinha sido tão terrível quanto atravessar Londres sendo prisioneira daqueles homens. Ela podia ouvir seu coração bater, estava banhada em suor frio e seu estômago estava se agitando assustadoramente como se ela tivesse doente. Nem o jeito como se sentiu quando viu o que o homem estava fazendo com Mille não era tão ruim como agora. Porém uma vozinha dentro dela dizia que não devia fazer ou dizer nada que fizesse os homens ficarem mais irritados com ela. Ela tinha visto do que Kent era capaz quando realmente estava com raiva.” p.84

O livro de hoje - que tem uma das capas mais bonitas que eu já vi - é um romance incomum, não por ser inédito e original e blábláblá. Mas sim por ter capacidade de transmitir ao leitor várias sensações diferentes: de asco a esperança, de descrença a coragem, incredulidade, força, superação, dor. Nós embarcamos em uma longa viagem junto com a protagonista, torcemos por ela e nos emocionamos com ela. Conheçam Bella de Lesley Pearse.

Belle Cooper, 15 anos, tinha uma vida tranquila e protegida, apesar do que se podia imaginar. A menina nasceu e cresceu em um bordel nos arredores das ruas caóticas de Seven Dials, em um tipo de estabelecimento que fervilhava na Londres de 1910.  E até um garoto desconhecido abordá-la na rua e dizer “Você deve ser uma prostituta, você vive num bordel!” ela nunca tinha pensado que era diferente, ou ao menos, sabia o que aquilo queria dizer.

O garoto em questão era Jimmy Reilly, 17 anos, que havia se mudado há pouco para o bairro e só queria chamar a atenção da menina linda, de doces olhos azuis e lindos cabelos negros e encaracolados.  Apesar da péssima primeira impressão os dois acabam amigos. Annie, sua mãe, era a dona do bordel, uma mulher seca e muito distante. Mas Belle tinha Mog, a empregada que cuidava dela e de tudo na casa. As duas ficam sempre nos cômodos do porão e ela nunca ia aos andares de cima a noite.

Até aquela noite fatídica, em que ela se encontrava no local e na hora errada, e acaba por presenciar um terrível assassinato. Na mesma noite ela descobriu o que significava um bordel, o que fazia uma prostituta, e como os homens poderiam ser assustadores. E enquanto ainda estava arrasada com tudo isso, o assassino volta e sequestra Belle, levando-a para Paris.

“Mas a expressão do homem era realmente assustadora. Ele olhava para Belle como se não se alimentasse há semanas e ela fosse um bife apetitoso para o jantar. Seus olhos brilhavam, ele tinha suor na testa e estava lambendo os lábios. Madame acabou de falar e puxou Belle para perto do homem, e então ele a empurrou na cama.Com uma ultima observação que Belle sentiu que significava: Ela é toda sua agora. Madame saiu, fechando a porta atrás dela.”

E é então que Belle começa uma nova vida, não por escolha, mas para sobreviver. De Paris para a América, de menina inocente para prostituta. Vendida, escrava branca, vítima. A menina inocente vai aprender da pior maneira como é a vida adulta, como seu sonho de ter uma loja de chapéus pode ser substituído facilmente pela esperança de, apenas, voltar para casa.

~~~~
Inicialmente a premissa do livro me lembrou muito de Cruzando o caminho do sol, que por sinal eu amei. Ambos os livros tratam do tráfego de meninas muito novas e da venda delas para a prostituição. Porém enquanto ele tem uma narrativa mais poética, bonita e cheia de esperança por trás de toda a tragédia, Belle é mais realista e descritivo, com uma narrativa seca e crua.

Lesley Pearse é também autora de Roubada, da mesma Editora, eu ainda não li, mas vi muitos elogios sobre ele. A autora não poupa o leitor de nenhuma descrição, nem das maldades das quais as meninas são forçadas a suportar, nem das cenas em que elas vão se prostituir de boa vontade e nem de detalhes da época. Como as prostitutas evitavam a gravidez usando desinfetante e colocando uma esponja na vagina. Ou de como elas lavavam e verificam o pênis dos “clientes” para procurar sífilis e outras doenças venéreas.

Pelo parágrafo acima você já percebe que este não é um livro indicado para qualquer leitor, a narrativa é pesada, a abordagem sexual é constante e nem um pouco suavizada,e o sofrimento que vemos aquelas meninas passar é de cortar o coração. Pior ainda é saber que o livro se passa em 1910, mas poderia se passar no mundo atual e nada disso teria mudado. Bom, não indico o livro para leitores muito jovens e nem para quem não goste de cenas mais explícitas e fortes.

O encanto do livro para mim, além da aventura cheia de reviravoltas e o suspense que te mantém grudada em suas muitas páginas, é na capacidade do ser humano de se adaptar e de lutar para sobreviver. Belle tinha tudo para se perder, não seu corpo, mas sua alma. E a menina doce e boa consegue lutar por uma vida melhor, consegue ver uma saída onde muita gente só veria desespero. Belle é uma lição de coragem, perseverança e amor próprio. Mas é também alguém que se adaptou as circunstâncias, e remou com a maré ao invés de lutar contra seu destino.

No geral foi uma leitura extremamente satisfatória, mas algumas coisas fizeram com que eu não amasse o livro. Primeiro porque a narrativa da autora flui bem, mas poderia ser mais elaborada; achei a narrativa fraca e repetitiva em alguns momentos. Segundo porque o livro tem diversos erros de digitação – ruge vira rogue, vendendo vira vencendo e por ai vai. E por último, achei algumas coisas estranhas, o tempo que se passa durante a narrativa que começa quando ela tinha 15 anos, depois citam que em determinado período ela já era maior de idade, o que não faz sentido. Não posso falar mais por causa dos spoilers, quem leu compartilhe sua opinião.

Este é um daqueles livros que dariam um ótimo filme, outros personagens se destacam bem na trama e narrativa se alterna bem entre todos eles. Belle conhece muita gente, quebra a cara tantas vezes que achei exagerado – sabe aquela coisa de tudo dar errado até a penúltima página? Pois é, me irrita. E mesmo assim eu adorei, não amei, mas adorei a leitura. Indico para quem não tem medo de uma leitura mais forte e busca uma historia diferente. Leiam!


Belle de Lesley Pearse
  1. Belle (Belle)
  2. Entre o amor e a paixão (The promise)
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO