target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Mentiras - Michael Grant

>>  sexta-feira, 30 de novembro de 2012


GRANT, Michael. Mentiras. Rio de Janeiro: Galera Record, 2012. 378p. (Gone, V.3) Título original: Lies.

“Vou queimá-lo, disse a si mesmo. Vou queimá-lo centímetro a centímetro. Vou transformá-lo num pedaço de carvão. Vou reduzi-lo a cinzas.
Matá-lo. Destruí-lo. Destruir os restos dos restos dos restos.
Vamos ver se ele voltaria de lá.” p.174

Continuo entusiasmada com esta série totalmente diferente, como eu disse na resenha do livro anterior “alguma coisa entre O senhor das moscas e Heroes, com uma pegada meio Jogos Vorazes e um cenário que me lembra de Lost.” Gone é uma série publicada para o público infanto-juvenil, mas os livros são tão fortes que não indico para leitores muito jovens e acho que o público adulto também vai amar. É muita adrenalina! Com muita disputa pelo poder, morte, guerras e traições. Confiram o enredo do terceiro livro da série com Mentiras do Michael Grant.

Em Gone todas as pessoas com mais de 15 anos desaparecem no mesmo instante, e o restante das crianças ficam presas na cidade, dentro de uma espécie de domo sem saber como sair ou o que aconteceu com o resto do mundo. Sozinhos eles se organizam para sobreviver, precisam cuidar dos bebês e dos mais novos. Logo a comida fica escassa, a luz acaba, todos querem consumir, mas ninguém pensa em produzir. Quando algumas crianças começam a desenvolver poderes especiais, a guerra entre os humanos e as “aberrações” tem início.

A partir daqui contém spoilers para quem não leu os dois livros anteriores.

“Não existia uma escapatória fácil. Tudo que Howard havia dito era verdade. Ela podia ver a verdade refletida na expressão atordoada de Albert. Os dois, os espertos, os inteligentes, os grandes defensores da verdade, da equidade e da justiça, não tinham feito nada enquanto outros trabalhavam até a exaustão” p.268

Depois de sete meses as coisas parecem ter chegado a um nível mais organizado no LGAR (Limitado à Garotada da Alameda da Radiação). Bom, dentro do caos anterior, pode se chamar de ordem. Drake está morto, a turma de Caine está de volta a Academia Coates e eles conseguiram organizar a Creche dirigida por Maria, o exército comandado por Edílio e o Conselho da cidade – dirigido por Astrid e que tem como membros SamHowardJohnDekka, Edílio e Albert, cinco humanos e duas aberrações. A moeda criada por Albert é a principal responsável pela ordem, agora as crianças trabalham para ganhar dinheiro e o trocam por outras coisas, como comida e artigos de pequena necessidade. Mas aqueles que estão a frente do trabalho estão se sentindo sempre exaustos, a ponto de desistir.

Mas novos medos chegam para botar lenha na fogueira. Como o talento de Orsay, conhecida agora como A Profetisa, ela começa a ter visões de fora do LGAR, diz conversar com os pais das crianças em sonhos e jura que o “Grande Quinze Anos” não é uma tentação a ser evitada, e sim a salvação de todos eles. Se todos acreditarem nela vão fazer “Puf” ao completar 15 anos, o que para Sam significa a morte nos braços da escuridão.

Lana, a curadora, continua sempre estranha e muito cansada, sozinha e perturbada. A curadora é a única intocável por ali, todos precisam dela e não se atrevem a desafiá-la, nem mesmo o bando dos humanos liderado por Zil. Eles casam e matam aberrações, a guerra está declarada. Mas Astrid impede Sam de lutar contra os humanos, diz que a violência não vai levar a nada. Enquanto Sam está de mãos atadas outra coisa estranha começa a acontecer... mas será que mesmo naquele lugar bizarro os mortos podem voltar a vida? Será?

~~~~~~

Michael Grant acaba com meu pobre coração, acontece tanta coisa sempre! Os personagens sofrem tanto... e quando você pensa que algo está melhorando só piora tudo novamente. É chocante como o autor maltrata seus protagonistas, e nem quando algo bom acontece – como as visões de Orsay – nós não sabemos se é algo bom ou se é mais uma Mentira da escuridão.

O próximo livro se chama Praga, tenho medo só de pensar. No fim deste livro algumas pessoas já começam a adoecer, então você imagina o que nos espera. A única coisa que me desanima com esta série é isso, é tudo muito pessimista e tudo que está ruim... pode piorar. Às vezes fico pensando em como ele vai conseguir chegar até o final da série com alguns personagens vivos hehe.

Neste livro Sam está exausto e sua mente está apavorada ainda com a tortura que viveu nas mãos de Drake. Com nosso herói meio fora de combate, a galera humana aproveita para botar o terror. Astrid faz uma cagada atrás da outra com seu discurso inteligente, pensa muito e não chega a lugar nenhum. Ela e suas brigas com Sam o tempo todo me irritaram, e olha que eu adorava a personagem. A “mãe Maria” também está no limite, seus remédios para depressão acabaram e a menina sofre de bulimia, anorexia e mais algumas doenças.

Neste volume surge também alguns personagens novos, a turma de Sanjit com 5 crianças. Eles foram adotados por dois artistas muito ricos e agora estão sozinhos em uma ilha. Qualquer semelhança com o casal Brad e Jolie não é mera coincidência rsrs, pelo menos eu achei que o autor deu umas indiretas para os atores.

Esta é uma série que eu indico para todos que querem uma aventura diferente, muitos caracterizam a série como distopia, mas para mim ela não se encaixa neste estilo. É sim uma aventura infanto-juvenil emocionante e bem diferente! Leiam!

Série Gone de Michael Grant
  1. Gone (Título original: Gone)
  2. Fome (Título original: Hunger)
  3. Mentiras (Título original: Lies)
  4. Praga (Título original: Plague)
  5. Medo (Título original: Fear)
  6. Light (ainda não lançado no Brasil).
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO