target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Gone de Michael Grant

>>  sexta-feira, 17 de setembro de 2010


GRANT, Michael. Gone: O mundo termina aqui. Rio de Janeiro: Galera Record, 2010. 519p. (Gone, V.1) Título original: Gone.

NUM PISCAR DE OLHOS, TODOS DESAPARECEM. SOMEM.

Acabei de ler o livro e em seguida comecei a escrever a resenha, conto isso porque neste momento um monte de emoções contraditórias passam por mim, a história é surpreendente, inovadora, chocante, aterrorizante, emocionante, macabra... posso pensar em mais diversos adjetivos, mas vou apenas tentar descrever para vocês a magia ou o terror de Gone de Michael Grant.

Era apenas uma manhã comum na Escola da Praia Perdida e quase todas as crianças da cidade estudavam ali; exceto as pequenas demais que estavam na creche e os alunos ricos e “problemáticos” que eram enviados a Academia Coates. Bom, era o terceiro horário e Sam Temple junto com grande parte dos alunos tentava não dormir na aula de história, seu pensamento ia longe... estava na praia, surfando com Quinn Gaither (seu melhor amigo que também estava ali sentado). Mas estou aqui divagando e nada disso importa, o que importa foi que neste momento o Professor de Sam desapareceu, simplesmente sumiu no meio da sala de aula.

Alguns alunos ainda tentavam entender se estavam sonhando ou ficando malucos quando intempestivamente Astrid Alliston, conhecida como Astrid Gênio, entrou na sala e olhou diretamente para Sam:

“Ele não pôde desviar o olhar, como faria normalmente, porque o olhar dela não era desafiador nem cético, como de costume: estava apavorado. Seus olhos normalmente penetrantes, de um azul cheio de discernimento, estavam arregalados, com branco demais aparecendo. 
- Eles sumiram. Todos simplesmente... desapareceram.
- E sua professora? perguntou Edílio.
- Sumiu também. – respondeu Astrid.
- Sumiu?
- Puf – disse Quinn, agora sem rir tanto, começando a pensar que talvez não fosse uma brincadeira, afinal de contas.” Pg.13

Em pouco tempo eles descobrem que não só os professores, mas todo mundo com mais de 14 anos desapareceu como em um passe de mágica. E se ainda pudesse ficar pior eles estavam isolados do mundo, sem sinal de celular, sem TV ou internet, presos naquela cidade abandonada. O desespero tomou conta de todos, onde estavam os seus pais, onde estava a ajuda, sem nenhum adulto, sem médicos, estavam por conta própria.

Havia crianças para cuidar, bebês para alimentar, casas pegando fogo, carros batidos por toda a cidade, gritos, choro e um monte de crianças vagando sem direção. No meio de tudo aquilo Sam apareceria como uma grande esperança, ele que no passado havia salvado várias crianças de despencar em um despenhadeiro. Mas no caos, surgem também os vilões. Os valentões da escola se autodenominam líderes e aos mais fracos só restam à obediência cega. O confronto será inevitável. 

Neste mundo novo cada um terá que escolher seu lado, os jovens estão mudando, de uma maneira estranha começam a desenvolver novos talentos e alguns se destacam entre eles.  E é então que chegam à cidade os riquinhos da Academia Coates e a guerra está armada. Ficaremos conhecendo o frio Caine Soren, o psicótico Drake e o resto de sua turma assustadora. Ali ninguém é mais criança e eles serão capazes de tudo para sobreviver. E cuidado, o tempo está acabando, pois no dia do seu aniversário de 15 anos... você também pode “puf” desaparecer!

Bom, não sei se já deu para você ter uma idéia de tudo que acontece neste livro, o mundo que você conhece já não existe e a lei do mais forte, a solidão, o desespero e todos os perigos pelo qual passam aquelas crianças transforma muitas delas em animais irracionais, enquanto outras se destacam para ajudar e lutar pelo bem comum. Vemos a jovem Maria Terrafino virando babá e administrando a creche, Albert que reabre o Mc Donald e fornece alimento as crianças e a pobre Dahra Baidoo transformada em enfermeira da cidade. Não se esqueça que todos têm no máximo 14 anos.

Sam é um jovem bom e determinado, justo e leal aos amigos e que sabe agir nos momentos de necessidade. Porém ele nunca quis ser um líder, ele quer apenas ser um surfista e ficar em paz e tem muito medo do poder que possuí. Astrid é uma personagem encantadora além de muito inteligente e além de todos os problemas tem que cuidar de Pete, seu irmão autista de 4 anos. Tem outros personagens muito legais como Edilio, Lana e seu cachorro Patrick que passam por uma trágica história, mas com uma determinação sem limites.

O livro tem um enredo fantástico, uma narração alucinante e é emoção da primeira a última página. Gone é diferente de tudo que você já leu. Um lugar próximo ao fim dos tempos, crianças sofrendo e poderes surgindo. Quem acompanha a série Heroes, Lost e conhece O senhor das Moscas tem uma idéia do que vem por ai. Eu mergulhei na história e me envolvi profundamente, impossível fechar o livro e desgrudar de toda a ação e de tantas reviravoltas.  É tudo muito tenso!

Agora o livro em algumas partes exagera no quesito violência, exagera e muito. O autor não polpa brigas, sangue e muita dor e mortes. O problema é que estamos falando de uma história vivida inteiramente por crianças e no final minha cabeça tava zonza de tanta atrocidade. Então tenho que alertar, Gone tem uma trama fenomenal? Com certeza. Mas não é um livro para quem tem estômago fraco, se impressiona fácil e decididamente não é um livro para pré adolescentes. 

Quem já leu “A mão esquerda de Deus” e se impressionou, saiba que aqui a coisa fica pior, embora o autor misture momentos de descontração, de romance e até algumas piadas. O clima não é sombrio durante todo o livro, mas quando ele resolve aterrorizar... sai de baixo.  Por outro lado o autor mantém uma linguagem leve, sem utilizar de palavras de baixo nível e sem explorar o lado sexual dos personagens. Até o  romance que surge é bem inocente.

Eu pessoalmente adorei o livro, com as ressalvas que citei acima. A história evolui muito bem e alguns dos mistérios da trama são bem explicados, como os desaparecimentos e as mutações. A série já está indo para o quarto livro e não tenho idéia do que mais vai acontecer na Praia Perdida. Vou esperar ansiosamente pela continuação, a luta entre o bem e o mal continua e em Gone ninguém sabe o que pode acontecer.

"- Então seu pai desaparece e você nem quer saber por quê?  - perguntou Caine. - Interessante. Eu sempre quis saber quem eram meus pais de verdade.
- Deixe-me adivinhar: secretamente você é um mago que foi criado por trouxas.
O sorriso de Caine foi frio. Ele levantou a mão com a palma para a frente..."


Série Gone de Michael Grant
  1. Gone (Título original: Gone)
  2. Fome (Título original: Hunger)
  3. Mentiras (Título original: Lies)
  4. Praga (Título original: Plague)
  5. Medo (Título original:Fear)
  6. Light (ainda não lançado no Brasil)
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO