target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

As feiticeiras de East End - Melissa de La Cruz

>>  sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

DE LA CRUZ, Melissa. As feiticeiras de East End. São Paulo: Editora iD, 2012. 312p. (The Beauchamp family, v.1). Título original: Witches of East End.

“Freya tinha consciência de não ser perfeita e nunca alegou ser. No entanto, nunca faria nada para magoar alguém que amava tanto. Foi um escorregão, um acidente, nervos de noiva, suas próprias questões com compromisso. Afinal, fazia muito tempo que ela não tinha marido... mas agora ela estava pronta e determinada. Ela amava Bran e um momento (ou dois realmente, caso contasse exatamente) de fraqueza com Killian não mudaria isso. Não mudaria nada.” p. 119

Conheço a autora Melissa de La Cruz pela sua série vampírica juvenil, Blue Bloods, onde ela desenvolve uma mitologia diferente, os vampiros são anjos caídos e reencarnam em corpos humanos a cada geração. Sua série de bruxas não me chamou muito a atenção quando foi lançada, mas logo que vi sobre a série de TV baseada nos livros fiquei ansiosa para ler – mesmo a Kellen já tendo comentado que a série é bem diferente do livro. Eu já sabia que vinha alguma loucura por aí, mas o que mais me surpreendeu foi que não posso classificá-la como uma série YA, o livro tem um conteúdo bem adulto. Mas estou me adiantando, saibam tudo sobre As feiticeiras de East End.

Sim, elas são bruxas, feiticeiras poderosas! As mulheres da família Beauchamp escondem este segredo enquanto convivem com a pequena comunidade da ilha de North Hampton, NY. Pelos erros do passado e condenação por bruxaria em Salém, elas foram punidas pelo conselho, condenadas a não usar seus poderes e viverem eternamente como humanos comuns. Elas obedeceram por centenas de anos, e agora estavam ali, tentando levar uma vida normal. Mas o poder está sempre ao alcance das mãos, mesmo sem suas vassouras, os caldeirões ou as varinhas elas eram bruxas, tinham magia.

A mãe, Joanna, conhece inúmeros feitiços, mas seu dom principal é o de ressuscitar os mortos. A irmã mais velha, Ingrid, pode fazer feitiços e encantamentos, e tem o dom de prever o futuro. A mais nova, Freya, conhece  todas as poções, e além de seus muitos dons faz ótimos feitiços de amor.

Freya nunca esteve mais feliz, com 19 anos nesta vida, ela está noiva e planeja seu casamento com Bran Gardiner. Eles se apaixonam imediatamente e com apenas um mês de namoro ficam noivos, Bran é doce, carinhoso, um perfeito cavalheiro. Sua família milionária faz de Freya motivo de inveja em toda a ilha. Tudo estava indo muito bem, até a sua festa de noivado. Ela conhece o irmão do noivo, Killian Gardiner, e ele era tudo o que ela não podia querer. Freya faz uma grande besteira, da qual se arrepende em um dia e sonha no outro.

“Droga, ele tinha que ser tão bonito? Ela pensou estar imune a esse tipo de coisas. Que clichê: alto, moreno e bonito. Ela odiava caras arrogantes e metidos, que pensavam que as mulheres viviam para servir seus vorazes apetites sexuais. Ele era o pior criminoso do tipo, fazendo guinchar sua Harley; e que cabelo ridículo, aquele tipo de franja confusa e farta caindo nos olhos, aquele calor sensual de chega-mais. Mas havia outras coisas. Uma inteligência. O saber em seus olhos. Era como se, ao olhar para ela, ele soubesse exatamente o que ela era e como ela era. Uma feiticeira. Uma deusa. Alguém não desta Terra, mas também não fora dela. Uma mulher a ser amada, temida e adorada.” p. 27

Ao mesmo tempo, coisas estranhas e perigosas começam a acontecer na cidade. Uma estranha energia afeta as pessoas, algo está a espreita. E é ai que elas esquecem seus medos, e resolvem pagar para ver até onde ia a proibição do Conselho. Desenterram varinhas, voam, transformam-se em animais. Fazem feitiços, muitos deles. E quando ataques perigosos colocam a cidade em perigo, elas sabem que um mal maior está por trás de tudo. E irão enfrentá-lo.

~~~~~~~

Ok, se os vampiros da Melissa eram anjos caídos, nada mais lógico que suas bruxas serem deusas nórdicas imortais. J Ou com almas imortais, pois quando o corpo das filha perecia, a mãe as concebia novamente, ficava grávida, criava as meninas, até elas crescerem e viverem mais uma vez, como bruxas! Eu avisei... Zumbis e vampiros, participam rapidamente da historia, nenhum problema. Até a Blue Blood mais temida, Mimi Force, faz uma pontinha no livro, e Oliver está com ela. Fiquei curiosa em saber quando isso acontece na outra série, provavelmente no início do livro 5 que será o próximo a ser lançado.

Sei que parece confuso e completamente maluco, mas não me incomodou. Talvez por eu já conhecer o estilo da autora, a historia fluiu bem e me prendeu muito. Achei que algumas partes foram contadas de forma muito rápida ou pouco desenvolvidas. Apesar da narrativa se alternar entre as três bruxas, vários personagens mereciam mais destaque e ficaram a margem da historia, como os dois irmãos. Eu gostei das três, principalmente de Ingrid, que com certeza tem ainda alguns segredos que devem ser contados na sequencia. Seu jeito sério e tão sozinha precisa ser mais explorado.

Os dois rapazes são, claro, tudo de bom. Principalmente o bad boy Killian. O romance é mais físico do que eu imaginava, bem mais. Por isso para mim é um romance sobrenatural de bruxas, não uma série YA. Tem várias cenas hots, que embora leves, são  descritas e as personagens são adultas. Freya tem 19 anos nesta vida mas é uma bruxa milenar.  Foi uma grata surpresa.

Eu ainda não assisti a serie de TV, mas pelo que vi são muito diferentes. Agora que li o livro vou assistir a primeira temporada, vamos ver se vou gostar. Eu fico com a historia do livro, mas entendo porque simplificaram na série, era muita coisa maluca para filmar. Isso só de ler os comentários sobre ela, espero que tenha esta pegada mais hot por lá também.  

Pelo booktrailer do livro e a chamada da série vocês já podem perceber as diferenças:



Eu gostei da leitura, mas o livro poderia ter sido melhor explorado, senti alguns problemas de continuidade, várias coisas ficaram muito no ar. Fora que a historia dos irmãos no final não faz muito sentido, o comportamento dos dois não combina com o que eles queriam conquistar, não vou explicar para não deixar spoilers, mas não me convenceu.

Não sei se será uma série ou trilogia apenas, por enquanto temos três livros lançados nos EUA, e o segundo está para ser lançado por aqui. Eu adoro bruxas e curti a leitura, indico para quem curte o gênero. Mas tem que gostar do estilo da autora, ela mistura várias mitologias e seres diferentes, quem lê muito sobrenatural pega tudo rápido, mas um leitor que não lê tantos do gênero pode ficar confuso.

Série The Beauchamp Family da Melissa de La Cruz
  1. As feiticeiras de East End (Witches of East End)
  2. O beijo da serpente (Serpent’s Kiss)
  3. Winds of Salem.
Avaliação (1 a 5):

Comentou? Preencha o formulário diariamente e participe do Top Comentarista de Fevereiro.

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO