target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Eu te darei o sol - Jandy Nelson

>>  quinta-feira, 3 de setembro de 2015

NELSON, Jandy. Eu te darei o sol. São Paulo: Editora Novo Conceito. 2015. 382p. Título original: I’ll give you the sun.

“- Posso ficar com ele?
Isso me surpreende. Ela nunca me pediu um desenho antes. Sou péssimo em me desfazer deles.
- Em troca do sol, estrelas, oceanos e todas as árvores, prometo que vou pensar no assunto – digo, sabendo que ela jamais concordará. Jude sabe muito bem como prezo o sol e as árvores. Nós dividimos o mundo desde os cinco anos. Estou vencendo no momento; a dominação do Universo está ao meu alcance pela primeira vez.
- Está falando sério? – pergunta ela, endireitando-se. Irrita-me perceber como ela está ficando alta. É como se ela estivesse sendo esticada à noite. – Assim só me restam as flores, Noah.
Certo, penso. Ela nunca vai conseguir. Está acertado, mas não está. Ela estende a mão e pega o bloco, olhando o retrato como se esperasse que o inglês conversasse com ela.
- Certo – diz ela. – Árvores, estrelas, oceanos. Tudo bem.
- E o sol, Jude.
- Ah, claro – diz ela, surpreendendo-me completamente. – Eu te darei o sol.” p.82

O céu está em todo lugar, primeiro livro da autora, ainda é um dos meus YA favoritos. E é claro que minhas expectativas estavam nas alturas quando vi que mais um livro da Jandy Nelson sairia no Brasil. E hoje compartilho com vocês tudo sobre Eu te darei o sol.

Noah e Jude, 13 anos, são irmãos gêmeos e incrivelmente unidos. Para Noah eles compartilham a alma, um sempre adivinha o que o outro está sentindo, o que está para dizer antes mesmo que as palavras fossem ditas. Mas ao mesmo tempo, eles sempre disputaram tudo! O amor dos pais, atenção, a divisão do universo. Apesar de todo o amor que sentem um pelo outro, são potencialmente invejosos, e vivem disputando tudo ou pregando peças mutuamente para se superarem.

Talvez tudo tenha começado com a preferência do pai por Jude. Noah é um artista, de alma e coração, ele desenha em pensamento, enxerga imagens e cores quando olha para alguém. Ele é pequeno para a idade, tem pavor de mar, é péssimo em esportes. Jude é a menina dos olhos do pai, adora nadar, é surfista, ama aventuras. A mãe permanece neutra, aparentemente ama os filhos igualmente. Mas enquanto Jude entra primeiro na adolescência, e é toda maquiagem e roupas curtas e da pouca atenção a arte, Noah se revela o verdadeiro artista da família. E com isso ele ganha o amor da mãe, toda a atenção que queria, em longas visitas aos museus da cidade. A mãe quer que os dois se inscrevam na CSA no próximo ano, a escola de arte. Isso é o sonho de Noah, já Jude deseja a normalidade de um ensino médio comum.  Noah conhece Brian, o novo vizinho, eles logo ficam amigos e Noah está encantado com o garoto, Jude observa o irmão solitário, que sofria bullying, fazer um novo amigo.  Ela tem a turma dos surfistas e outros interesses.

Três anos se passaram. 
Jude e Noah estão completamente separados, quebrados. Algo aconteceu para acabar de vez com a relação entre os irmãos. Ela se transformou em uma sombra, ele se transformou em algo que nunca seria. Jude fala com o fantasma da avó morta, é completamente antissocial, e precisa urgente encontrar uma solução para sua vida. Ambos carregam no ombro uma grande culpa. Eles precisam se reencontrar, refazer o mundo, juntar duas histórias.

“Arrisque-se (uma, duas, três, quatro vezes). Reconstrua o mundo.”

~~~~~

Alguma dúvida de que eu amei?! Gente, eu amei!! Que livro lindo! Já adianto que nem todo mundo vai ter a mesma opinião, a autora é muito poética, sua narrativa é mais sensível, uma mistura de drama e romance que se desenvolve de forma mais lenta, muitos dos sentimentos são apenas sutilmente abordados no início. O leitor precisa mergulhar naquele mundo, enxergar com os olhos dos protagonistas.

Falando neles, o livro se alterna entre dois momentos. Noah narra a partir dos 13 anos, Jude narra dos 16 anos em diante. Você sabe que aconteceu algo sério nesse meio, algo que separou os irmãos e mudou a forma como os dois viam o mundo. Só aos poucos o leitor vai descobrindo tudo o que aconteceu, inclusive algumas resenhas e a própria sinopse do Skoob falam mais do que deveriam, aconselho que vocês tenham cuidado com o que irão ler sobre o livro, pelo menos quem, como eu, odeia spoilers.  Eu gostei dos dois, Noah é encantador, é aquele personagem que ganha logo o coração do leitor. Mas nós estamos dentro de sua mente; para o resto do mundo, ele é um garoto estranho, solitário e introspectivo. Jude já é mais contraditória, uma adolescente amargurada, confusa, cheia de arrependimentos. Ela é completamente neurótica, um pouco hipocondríaca e muito supersticiosa. Mas eu gostei de Jude, da forma como ela teve coragem para achar seu eixo e mudar o rumo de tudo.

O livro aborda essencialmente família. É um livro sobre o amor entre irmãos, que mesmo quando se amam incondicionalmente, inevitavelmente irão disputar várias batalhas. Como diz tão bem a capa “o amor é apenas a metade da história”.  Amor X ego. Amizade X inveja. Ao mesmo tempo fala de temas contemporâneos como homossexualismo, bullying, redes sociais.

E fala muito sobre arte. Noah é desenhista e pintor, Jude é escultora. As descrições das obras saltam aos olhos, é um livro que eu adoraria ver no cinema, se fosse feito sob esse mesmo olhar. É muito interessante ver que a mesma arte que une os talentos da família, acaba por distanciá-los.

Em minha opinião é um dos melhores YAs do ano, e olha que o outro da autora, continua sendo meu favorito. Apesar de ser reconhecível o estilo da Jandy Nelson, os livros são essencialmente diferentes. Não gostar de O céu está em todo lugar, ou amá-lo, não é certeza de amar ou não essa história. O título é perfeito para ele, é um livro que passa muita energia positiva, é uma história iluminada. Dessa de causar arrepios, sorrisos e lágrimas.

Sou passional com esse livro! Já vou logo avisando, meu coração doeu quando vi resenhas no Skoob falando que ele é lento, chato, sem graça, que Jude é chata. Não se enganem, é um livro sério, tratado de forma leve. Se vocês não gostarem nem me digam hahaha, brincadeira. Jude e Noah são mais que personagens, eles entraram no meu coração. Eu quase tirei um ponto porque achei o final um pouco corrido, queria mais, mas há, é muito amor por esse livro. Leiam!!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação ( 1 a 5):

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de setembro!

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO