target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Doce perdão - Lori Nelson Spielman

>>  sexta-feira, 30 de dezembro de 2016


SPIELMAN, Lori Nelson. Doce perdão. São Paulo: Editora Verus, 2015. 320p. Título original: Sweet forgiveness.

“É preciso ter coragem para assumir uma culpa, afirmou Knowles. A maioria não se sente bem demonstrando vulnerabilidade. Em vez disso, escondemos nossa culpa bem no fundo, esperando que ninguém jamais a encontre. Mas soltar nossa vergonha nos liberta.” p.7

Eu amei A lista de Brett, um dos romances que mais gostei esse ano. E claro, fui correndo atrás do outro livro da autora lançado no Brasil. Correndo para conseguir... ler é outra história rs. Mas enfim, finalmente ele saiu da fila, e hoje conto para vocês o que achei de Doce perdão da Lori Nelson Spielman.

Hannah Farr, 34 anos, é uma apresentadora de TV famosa em New Orleans. Tem um programa diário, muitos fãs e namora o prefeito da cidade, Michael Payne. O único problema é que ela quer casar e ter filhos, e Michael fica protelando por causa da sua filha adolescente, que demanda toda a sua atenção.

Seu telhado de vidro é abalado quando ela recebe as famosas Pedras do perdão de Fiona Knowles. A ideia consiste em enviar duas pedras para alguém que você ofendeu, magoou, mentiu ou maltratou... enfim, alguém a quem você gostaria de pedir perdão. Se a pessoa lhe devolver uma delas, significa que você está perdoado. O problema é que Hannah nunca perdoou Fiona, que era a líder da turma de meninas que fizeram bullying com ela no colégio. Afinal, o que ela fez em seguida para mudar de escola, mudou todo o seu futuro.

A partir disso, ela começa a repensar todas as suas escolhas. Hannah passou muito tempo enterrando o passado, ela nunca perdoou o noivo que a traiu e que insistiu muito em dizer que a amava e que aquilo fora seu único erro. Uma parte dela pensa na vida que poderia ter tido, com um marido e filhos. Ela também nunca perdoou a mãe, com quem não fala desde os 16 anos, porque ela escolheu o namorado ao invés dela.

Aquelas duas pedras, desencadeiam uma série de ações que vão forçar Hannah a encarar o passado. Consertar os erros que cometeu e mudar sua vida, ou empurrar tudo para debaixo do tapete e seguir em frente.

~~~~~

A autora sempre trabalha temas interessantes e busca a evolução de suas personagens, fazendo com que elas amadureçam e aprendam algo. É interessante como um tema está sempre presente; em A lista de Brett, ela trabalha a autoestima e a superação. E eu amei, gostei da protagonista meio boba, mas boa gente, divertida. O tema aqui é o perdão, claro, e embora eu tenha adorado a discussão em si, queria esganar a Hannah.

A protagonista é confusa, cheia de arrependimentos e rancores eternos. Para mim é meio surreal, por mais bullying que tenha sofrido, uma mulher de 34 anos, odiar uma colega de escola até hoje. Sinceramente, eu nem lembro mais de quase ninguém com quem frequentei a escola, amigos ou inimigos rs. E aí, para piorar, ela nunca fala de nada com ninguém, esconde todos os seus segredos, tem fama de ser fechada.... mas resolve se abrir com a apresentadora concorrente. Ah pelo amor de Deus, vai ser burra assim lá na... Para anta só falta as penas mesmo aff.

E, apesar disso tudo, o livro é bem escrito e emocionante. Eu me emocionei duas vezes com cenas tristes e lindas que aconteceram. E a Hannah melhorou muito durante o livro, ela realmente amadureceu, embora tenha precisado de tudo ir pelos ares para ela mudar.

Foi uma leitura legal, mas o outro é disparadamente melhor. Achei esse raso, muitas coisas foram pouco desenvolvidas, em especial o romance. O mocinho caí de paraquedas na trama, e eu gostei muito dele, mas é tudo muito pouco desenvolvido. O final é corrido, o relacionamento vai de um flerte a um “eu te amo” sem nem um beijo no meio! Por outro lado, gostei muito dos personagens secundários, em especial Dorothy. Essa senhora é um amor, e é ela que dá uma sacudida inicial na Hannah. As duas são inseparáveis, Hannah tem muito amor por ela que acabou de ir morar em uma casa de repouso. E a senhora, é ninguém menos, do que a mãe do ex noivo, imaginem rs.

Quem leu me conte o que achou, esse eu não amei, mas estou gostando muito do estilo da autora. ^^

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5):


Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO