target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Um verão na Itália - Carrie Elks

>>  quarta-feira, 27 de junho de 2018

ELKS, Carrie. Um verão na Itália. Campinas: Editora Verus, 2018. 280p. (As irmãs, Shakespeare, v.1). Título Original: Summer´s lease.

Livros de romance (hot) continuam em alta. E eis que uma nova série do estilo se inicia: As irmãs Shakespeare. Assim como a Nanda, eu não tenho por hábito de ler a sinopse dos livros que vou ler, de modo que todo e qualquer acontecimento ao longo da história para mim é uma grande surpresa. Logo, quando comecei a ler Um verão na Itália, esperava uma história de romance, mas confesso que não achei que encontraria uma NA. Superado o susto inicial em relação ao estilo, só resta saber se era só mais um do estilo ou se me surpreenderia positivamente. Querem saber?

Cesca Shakespeare é a terceira de quatro filhas de um pai avoado e uma mãe conhecida no mundo do teatro como roteirista, mas que foi levada deste mundo quando Cesca ainda tinha onze anos. Cesca herdou da mãe o talento para ser roteirista e poderia ter tido uma grande carreira. Quando ela tinha dezoito anos, a peça que escreveu venceu um concurso que tinha como prêmio o patrocínio para que a peça fosse realizada. Cesca estava no céu. Até que, no dia da estreia, o ator que seria o protagonista desaparece e não se apresenta, fazendo com que as pessoas devolvessem os ingressos e a peça fosse cancelada. Desde então, Cesca se tornou uma pessoa triste, amarga. Seis anos depois, ela tem duas certezas: nunca mais vai conseguir escrever uma peça; Sam Carlton, o protagonista de sua peça, é o cara mais odioso da Terra pelo que a fez passar. Por culpa dele, ela enterrou seu sonho de ser roteirista e se contenta em pular de um emprego ruim para outro e em tentar apenas conseguir pagar o aluguel para não ter que voltar a morar com o pai ou pedir socorro para alguém de sua família, ou até mesmo para seu padrinho, Hugh.

Porém, depois de ser demitida de mais um emprego, Cesca vai visitar o padrinho, que sugere que ela passe o verão na Itália para cuidar da Villa onde vive uma família de amigos de Hugh. Eles precisam de uma governanta para tomar conta da casa enquanto eles passam o verão em Paris. E, além disso, como ficará sozinha na casa, ela pode buscar inspiração e tentar escrever novamente. Apesar da resistência inicial, Cesca aceita a oferta de trabalho e começa a pensar que pode, sim, voltar a escrever, e parte rumo à Itália.

Quando ela chega à Villa, em pouco tempo descobre duas coisas:  a casa é da família Carlton, ou seja, da família do cara que ela mais odeia na Terra; e pior, aparentemente, Cesca não ficará sozinha na casa e terá que passar o verão inteiro sem internet, sem telefone e na pior companhia que se poderia esperar: Sam Carlton.

Como voltar a escrever e tomar conta de uma casa, tendo que encontrar o cara mais desprezível o tempo todo?


              ____________

Para quem acha que Carrie Elks é mais uma novata no estilo, se enganou. Ela também escreveu a série Love in London, além de Sempre foi você. Agora, chega ao Brasil uma nova série da autora, As irmãs Shakespeare, e Um verão na Itália é a história de uma das quatro irmãs.

Não tive empatia pela personagem de cara. Achei Cesca muito coitadinha, se vitimizando o tempo todo pelo que aconteceu há seis anos e não fazendo tanto esforço assim para superar aquilo (até que o padrinho sugere a ida dela para a Itália). Apesar disso, à medida que a história vai sendo contada e Cesca vai se mostrando uma pessoa mais forte (até mais do que ela mesma poderia imaginar), comecei a gostar dela.

Sam, por sua vez, foi o contrário. Fiquei encantada por ele desde a sua primeira aparição, menos quando ele pensa ter controle sobre Cesca e vem com aquele papinho mandão de “você é minha”, “não quero você conversando com outra pessoa”. Ah, me poupe!

Os personagens secundários aparecem muito pouco, mas alguns merecem destaque, como a Gabi, governanta que Cesca substitui na casa dos Carlton na Itália. Apesar do pouco que ela aparece, quando acontece, é sorriso garantido. Outro personagem secundário que merece destaque, mas de forma negativa, é o pai de Sam, Foster Carlton. Quanta babaquice pode caber em uma pessoa? No caso do pai de Sam, coube bastante. Que ser desprezível. Em contrapartida, o padrinho de Cesca ganha ponto por ajudar tanto a garota.

Para um livro sobre quatro irmãs, achei que elas apareceram muito pouco. Esperava que elas fossem aparecer mais. Logo, para o próximo livro, sigo com minha ignorância de sinopse e ainda sem saber quase nada sobre a próxima irmã protagonista. Isso pode ser bom ou ruim. Veremos.

Até determinada parte do texto, fiquei irritada com o salto temporal que a história dava. Cesca chega à Itália e, no primeiro dia, quer voltar quando descobre de quem é a casa; no capítulo seguinte, já se passaram duas semanas, e ela já está bem amiga da governanta da casa. Em seguida, outro salto é dado e já avançamos mais um tanto no tempo, o que me fez ficar perdida. Depois de determinado ponto, os saltos diminuem.

Claro que a passagem do tempo ocorre em todas as histórias, mas na maioria das vezes nem percebo. Nesse livro ficou bem evidente e me incomodou um pouco.

Queria ter “visto” mais a Itália, o cenário da história; fiquei ansiosa por isso, já que é um lugar que quero muito conhecer. Em comparação a outros livros que li e que se passavam também nesse país, o cenário pouco apareceu.

Ver Cesca expondo suas inseguranças, medos, anseios; ver o lado de Sam sobre o que ocorreu entre os dois; e ver a evolução dos dois ao longo da história; tudo isso foi bem legal e aos poucos fui torcendo para que tudo desse certo e terminasse como eu estava idealizando.

Vendo TV enquanto escrevia esta resenha e pensando em como definir Sam e Cesca em poucas palavras, o nome de um quadro em um programa esportivo me chamou atenção e me levou à expressão perfeita para defini-los: Casal “Fala Muito”. Não sabia se ria ou se tinha vontade de bater neles quando cada conversa/discussão se estendia -ia -ia -ia -ia e eu me segurava para não pular o diálogo. Exageros à parte, não via necessidade de um casal começar a se beijar (e fazendo outras coisas também)  e, de repente, parar para discutir, rendendo um assunto desnecessário.

“Mas, Evelyn, então você não gostou do livro?” Sim! Mesmo que eu tenha achado que nesse livro tudo foi previsível, sem grandes surpresas, eu gostei da história. Para quem gosta do estilo, é um prato-cheio! Além disso, a leitura é bem fluida, dá para ler rapidinho. E, claro, vou ler os demais da série!

Adicione ao seu Skoob!


Série: As irmãs Shakespeare (The Shakespeare sisters)
  1. Um verão na Itália (Summer´s lease)
  2. A winter´s tale (Ainda não lançado no Brasil)
  3. Absent in the spring (Ainda não lançado no Brasil)
  4. By virtue fall (Ainda não lançado no Brasil)
Avaliação (1 a 5): 3,5





  



                      Comente, preencha o formulário, e concorra ao Top comentarista de junho!

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO