target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A casa dos novos começos - Lucy Diamond

>>  sexta-feira, 4 de outubro de 2019

DIAMOND, Lucy. A casa dos novos começos. São Paulo: Editora Arqueiro, 2019. 320p. Título original: The house of new beginnings.

“Tudo estava mudando na grande e antiga casa delas na Duke Square, pensou; a casa das esperanças, dos desejos e dos amigos, como Georgie dissera aquela vez durante o jantar. A casa dos novos começos também. Mas talvez tivesse sido sempre assim: um porto seguro na vida das pessoas, uma casa onde aqueles que estavam perdidos iam parar, para se reencontrarem e depois seguirem em frente. Enquanto servia o ensopado de Paul, pensou em como todas as três, ela, Charlotte e Georgie, haviam se mudado para seus diferentes apartamentos, sentindo-se inseguras a princípio, como peixes fora d’água. Podia ter levado um tempo, mas parecia que todas haviam relembrado como andar.” p.314

Mais um livro da coleção Romances de hoje por aqui! Para quem não conhece ainda, a Editora Arqueiro reuniu romances modernos mais leves, divertidos e com uma pegada de chick-lit para serem lançados nessa coleção. São livros de autoras diferentes, alguns terão continuações, outros são independentes, enfim, livros para todos os gostos. Li mais um deles e hoje conto para vocês o que achei de A casa dos novos começos da Lucy Diamond.

Georgie Taylor se mudou para Brighton com o namorado, Simon, depois que ele assumiu um grande projeto arquitetônico na cidade. Ela largou seu emprego como bibliotecária e foi atrás do namorado. A ideia é morar lá por 6 meses, e depois voltar para a cidade natal dos dois. Eles namoram desde o ensino médio, Georgie está esperando o grande pedido, mas Simon está sempre concentrado na carreira. Quando se mudam para o apartamento 3 da Dukes Square, um prédio elegante perto da orla, ela carrega todos os seus sonhos e esperanças.

Charlotte Winters, 38, se mudou para o prédio atormentada pelo seu passado. No apartamento número 4, vive sua nova vida solitária. Ela passou por uma grande tragédia e nunca se recuperou. Trabalha como advogada em um grande escritório, mas mal conversa com os colegas, e em casa tenta não desmoronar.

Rosa Dashwood, 35, largou uma carreira de sucesso como publicitária em Londres e se mudou para o apartamento número 1. Depois de uma terrível descoberta, deixou amigos e tudo para trás, e arrumou um emprego como sous-chef em um grande restaurante da cidade. Ela passa o dia picando legumes em turnos longos e cansativos, e ouvindo o chef gritar com ela. Seu sonho é se tornar cozinheira, ama a profissão. Solitária, ela não conhece nenhum dos vizinhos.

No número 2 moram Joanna e Beatrice Spires. Jo se divorciou ao descobrir que era lésbica; e a filha adolescente tem muito rancor do pai e dos avós que crucificaram a mãe. Quando Jo precisa ser internada com urgência para uma cirurgia, a menina de 13 anos fica sozinha. Jo pede a Rosa, que estava chegando e viu a ambulância em frente ao prédio, para cuidar da filha. 

Margot Favager é uma senhora francesa que ocupa o apartamento número 5. Ela se encontra com Charlotte por acaso, mas as duas começam a se aproximar. Charlotte com seus demônios do passado, Margot com sua alegria, apesar da solidão e da doença que a aflige.

Quando Georgie, Charlotte e Rosa se conhecem e começam a se aproximar, a amizade e o companheirismo muda a vida de todas elas.

~~~~~~

Eu achei esse livro bem diferente dos outros que já li da coleção Romances de hoje, ele é bem mais dramático e maduro. Não achei que se encaixa como chick-lit e nem achei divertido como Desencontros à beira-mar e A padaria dos finais felizes. Apenas esclarecendo que são gêneros diferentes, mas nem por isso gostei menos, adorei a leitura! Até porque, depois do início pesado, as cenas fofas e descontraídas começam a aparecer. É um livro sobre autoconhecimento, amizade, recomeços e esperança. Sobre três mulheres que encontram na empatia das outras, um motivo para seguir em frente e voltar a se abrir para os relacionamentos em geral.

Eu gostei das três protagonistas. O livro é narrado em terceira pessoa por Georgie, Charlotte e Rosa. Cada um com seus problemas, todas completamente solitárias. Georgie porque o namorado Simon, por quem se mudou para a nova cidade, mal para em casa.  Ele é egoísta, vive para os seus sonhos e mal nota a namorada, não gostei dele desde o início. Ela posta lindas fotos no Instagram, e não tem coragem de se abrir com as amigas de sua cidade natal, sobre sua solidão e nada para fazer naquele apartamento pequeno e escuro. Charlotte é uma reclusa, mal fala com alguém no trabalho e não conhece os vizinhos. Tenta diariamente se reerguer, mas acaba cedendo ao sofrimento, e passa as noites tentando se ocupar com as tarefas domésticas. Rosa também é muito solitária, com um emprego extenuante e nenhum amigo na cidade. Ela deixou todos os amigos para trás depois de tudo o que aconteceu, e não manteve contato com ninguém.

Aos poucos vamos conhecendo melhor cada uma das três, entendendo o que realmente aconteceu e, no geral, morrendo de pena delas. Jo e Margot não têm tanto destaque, mas gostei muito das duas, Margot me arrancou muitas lágrimas em determinado momento. Adorei também a relação de Rosa com Bea, a filha de Jo. A história no início é muito triste, dá muita pena de todo mundo.  

Eu adorei o enredo e a forma como todas foram ficando amigas. E como essa amizade mudou tanto a vida delas. Cada uma foi encontrando seu lugar, seu caminho, descobrindo novos sonhos e aprendendo a se amar. [ALERTA DE SPOILER] Só não gostei de como tudo seguiu pelo caminho mais “fácil” e bem clichê no final. Aquilo de surgir um homem do nada para “completar” a vida delas, não precisava seguir uma fórmula tão sem graça. Eu não gostei de Simon desde o início, e não engulo o que aconteceu. [FIM DO SPOILER]

O que mais vale destacar nesse livro, é o poder da amizade. Como essas mulheres encontram umas nas outras, a força para recomeçar. O apoio irrestrito, motiva cada uma delas. Seja para vencer uma perda, um término, um luto, um coração partido. Como uma mão estendida pode ser crucial para que alguém possa se levantar e recomeçar.  E, claro, sobre a coragem que é necessária para isso. A força da mulher está presente em cada página.

Eu terminei o livro com o coração aquecido, pensando em cada uma das minhas queridas amigas e a importância delas em todos os momentos da minha vida, sintam-se abraçadas.  Leitura mais que indicada para todas as mulheres, de todas as idades, leiam!!

Adicione ao seu Skoob!

Avaliação (1 a 5):

Comente, preencha o formulário, e concorra ao Kit Top Comentarista de setembro

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO