target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Um dia - David Nicholls

>>  terça-feira, 26 de julho de 2011

NICHOLLS, David. Um dia. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2011. 416p. Título original: One Day.

“- Vamos lá, Em, ainda somos amigos, não somos? Sei que tenho andado meio estranho, mas é que... – Emma parou, mas não se virou, e Dexter sabia que ela estava chorando. - Emma?
Emma virou-se rapidamente, caminhou até ele e puxou seu rosto contra o dela, o rosto quente e úmido encostado no dele, falando depressa e em voz baixa no seu ouvido, e por um instante de glória Dexter pensou que seria perdoado.
- Dexter, eu te amo muito. Muito, muito, e provavelmente sempre amarei. – Os lábios dela encostaram no rosto dele. – Só que eu não gosto mais de você. Sinto munto.
E assim ela foi embora, e Dexter se viu sozinho naquela viela lateral tentando imaginar o que fazer a seguir.”

O livro de hoje é um romance/drama bem diferente, que tem encantando a maioria dos leitores com sua história engraçada, bonita, triste e tão real que poderia ter acontecido com qualquer casal. Com mais de 1 milhão de cópias vendidas no mundo e vários elogios da crítica mundial conheçam Um dia De David Nicholls.

Edimburgo, 15 de julho de 1988. É onde começa a história de Dexter Mayhew e Emma Morley, ele passam uma noite e um dia juntos pouco antes da formatura, mas sabem que logo depois cada um seguirá com sua vida. Ele vem de uma família rica e não quer fazer muitos planos, quer conhecer o mundo, viajar e curtir a vida enquanto é novo; ela vem de uma família batalhadora, deseja mudar o mundo... uma parte dele pelo menos e tem grandes sonhos, pouco dinheiro e muitas dificuldades.

Mesmo sendo tão diferentes e passando tão pouco tempo juntos eles não conseguem parar de pensar um no outro, surge entre os dois uma grande amizade, um amor não resolvido e uma relação única. Ao longo dos anos, a vida dos dois muda, mas eles não perdem o contato e nós vamos acompanhando a longa jornada de Em e Dexter.

Sempre no dia 15 de julho, por quase 20 anos nós acompanhamos a vida dos dois, às vezes juntos, outras distantes e com muitas reviravoltas. Ela que tinha tantos sonhos se vê estagnada em um péssimo restaurante chinês, ele que não sabia por muitos anos o que fazer acaba ficando famoso e trabalhando na TV. 

Dexter queria conhecer o mundo, queria fama, dinheiro e amava sua vida de solteiro. Uma vida de bebedeira, muitas mulheres, drogas e festas. Seu caminho era tortuoso e ele não se preocupava com o futuro. Emma era a eterna insegura, nunca acreditava no que podia fazer e continuava vivendo uma vida dura e sonhando com dias melhores.

Eles conhecem outras pessoas, suas vidas mudam completamente. Passam por perdas, por tanta coisa sem nunca esquecerem um do outro. São alguns encontros, são muitos desencontros. Cartas, telefonemas, viagens. Em e Dexter, Dexter e Em, no dia 15 de julho. Como nos diria Vinícius, “A vida é a arte do encontro, embora haja tantos desencontros pela vida”.

Um dia sem dúvida conta sua história de uma maneira diferente, antes de ler vi muitos elogios sobre o livro em outros blogs e estava ansiosa pela leitura. Não sei se a grande expectativa fez com que eu me decepcionasse um pouco... reconheço o brilhantismo do autor, a inovação da trama e a história de amor atemporal. No fim eu descobri que posso adorar um livro, mesmo desgostando dos protagonistas boa parte do tempo.

Para mim a palavra chave do livro é auto-estima. Dexter a tinha de sobra, ele se achava a última bolacha do pacote: inteligente, bonito e rico. Ele queria todas as mulheres, queria fama, sucesso, farra e bebedeira. O gostosão, galinhão não me conquistou e eu ficava o tempo todo pensando que ele iria quebrar a cara e só quando estivesse no fundo do poço ia lembrar de forma romântica da Emma. Passei boa parte do livro torcendo para ela dar um chute nele se esta hora chegasse rs.

Emma não tem nenhuma auto-estima. Ela passa grande parte da história se achando feia, gorda e sem nenhum talento. Fica anos acomodada em um emprego de garçonete, mesmo tento se formado com louvor, arruma um namorado do tipo bonzinho mas idiota e segue com aquilo mesmo sabendo que não amava o cara. Às vezes se descrevia de forma tão horrenda e no mesmo local outro personagem comenta como ela estava bonita.

Em outros momentos eu torcia muito para eles ficarem juntos, tem uma viagem linda para Índia que eu pensei “agora vai” e ai... bom leiam rsrs. E é estranho dizer que mesmo eu não gostando do Dexter, achando que ele não merecia a Em eu adorei o livro. Gostei pela forma incrível que o autor conseguiu contar uma história apenas em um dia do ano e mesmo assim não ficou nada de fora; você não consegue parar e pensar “queria saber o que aconteceu antes disso”, fica tudo muito bem engajado, tudo muito explicado e a evolução do livro é perfeita.

Não sei se vocês já leram outros livros no estilo, ele tem algumas semelhanças com Onde terminam os arco-íris da Cecília Ahern e Souvenir da Therese Fowler, que são livros com grandes histórias de amor e muitos desencontros.

O filme baseado no livro estreia dia 19 de agosto nos EUA, dirigido por Lone Scherfig e estrelado por Anna Hathaway, Jim Sturgess e Patrícia Clarkson. Deixo abaixo o trailer, confiram:


Bom não posso contar  mais por causa do spoiler, mas muitas características dos protagonistas mudam no decorrer do livro e eu me emocionei no final, só no final, na maior parte do tempo tive foi raiva do Dex rs. Leiam!! Este é um daqueles livros que todos devem conhecer.

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO