target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A esperança - Suzanne Collins

>>  segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

COLLINS, Suzanne. A esperança. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2011. 424p. (Jogos Vorazes, v.3) Título original: Mockingjay.  

“- O presidente Snow diz que está nos enviando uma mensagem? Bom, tenho uma para ele. Você pode nos torturar e nos bombardear e queimar nossos distritos até que eles virem cinzas, mas está vendo isto aqui? – Uma das câmeras segue o local que eu aponto com a mão: as aeronaves queimando no telhado do armazém em frente a nós. A insígnia da Capital em uma das asas brilha visivelmente em meio às chamas. – Está pegando fogo” – Estou gritando agora, disposta a ter certeza de que ele não perderá nenhuma palavra. – Se nós queimarmos, você queimará conosco!”

Este é o meu livro do mês de dezembro do Clube das Chocólatras BH, indicado pela Renata e o encontro do clube com amigo oculto de livros e chocolates será hoje à noite. \o/

O final da Trilogia Jogos Vorazes foi um dos livros mais aguardados deste ano, quem pode comprou antes e leu em inglês, aqueles que esperaram ainda estão reclamando do título nacional tosco, mas pelo menos agora temos o livro em mãos. Eu sofri e torci pelos protagonistas em cada capítulo dos três livros e foi muito bom conhecer o final da história, mesmo não tendo gostado de várias escolhas da autora. Hoje A esperança de Suzanne Collins.

Em Jogos Vorazes nos conhecemos Panem, a nação que surgiu após a destruição da América do Norte. O país foi dividido em 13 distritos, cada um responsável pela produção de um bem que seria enviado para a Capital, que controla a vida de toda a população. O novo regime e a desigualdade social entre os distritos causam uma rebelião contra a capital; a rebelião acaba com a extinção do 13º Distrito e a criação dos Jogos Vorazes, para que a população restante não se esqueça de quem realmente manda.

Para os Jogos Vorazes são sorteados 1 casal de cada distrito, 24 crianças que irão competir em um jogo de vida ou morte, apenas 1 irá sobreviver e a população acompanha a jornada de terror da TV. Katniss Everden e Peeta Mellarck foram os tributos do Distrito 12 e mudaram os Jogos para sempre. No segundo livro Em chamas acompanhamos a jornada dos sobreviventes e vimos que o domínio da capital é ainda pior do que eles imaginavam.

A partir daqui contém spoilers se você não leu os livros anteriores.

Ela sobreviveu duas vezes aos desmandos do Presidente Snow, a crueldade dos Jogos Vorazes e a arena projetada para destruí-la. Contra todas as probabilidades ela saiu viva da arena e agora finalmente Katniss acredita que não precisará mais lutar. Ledo engano, Peeta está morto ou nas garras da capital, seu distrito foi destruído e os sobreviventes estão junto com ela no Distrito 13.

Exatamente, o Distrito que todos pensavam estar destruído ainda existia e se preparava para combater a capital. Os rebeldes acham possível organizar uma resistência contra a capital, começa a revolução e Katniss tem um papel muito importante para eles.

Seus pequenos atos de rebeldia durante os jogos e as comemorações lhe renderam a simpatia da população, ela é a imagem que eles têm de rebeldia e de luta. Ela precisa agora ser o símbolo da causa rebelde, precisa ser o Tordo.

Gale está ao seu lado, ele assuma uma posição ao lado dos rebeldes e está pronto para lutar. Ele se sente mais pronto para enfrentar a capital do que para lutar pelo coração de Katniss, ele a conhece bem demais para saber sobre suas escolhas. E Peeta está morto ou sendo torturado, o coração de Katniss está quebrado como sempre. Ela precisa escolher se irá lutar esta batalha, porém ela quer proteger sua família e aqueles que mais ama.

Esta é uma luta contra a opressão, contra aqueles que usam o poder sem limites para dominar, uma luta pela esperança. Esta é a jornada mais difícil, onde as perdas serão maiores e poucos serão os sobreviventes. Destruir o Presidente Snow, derrubar a capital. E depois? E a que custo?

Quando a gente espera demais por um livro é muito mais difícil de falar sobre ele, mas mesmo considerando ser culpa da expectativa enorme, estes foi o livro que menos gostei da trilogia. Pois é, o último, é uma pena. E não estou dizendo que não gostei, apenas que esperava bem mais do livro. Acho que depois de tudo que acontece nos dois primeiros livros, a expectativa de todo mundo é que eles consigam derrubar o regime, tenham uma vitória dura e que Katniss escolha entre seus dois mocinhos – Peeta e Gale.

É claro que nada acontece tão fácil assim, Suzanne Collins levou a guerra até as últimas consequências, não poupou sangue, dor e nem personagens. O livro me fez chorar, mas também me fez questionar algumas escolhas da autora e mais uma vez o título nacional. Esperança? Não sei onde nem para quem rs.

As cenas da guerra são emocionantes, as transmissões de TV de ambos os lados também e eu fiquei agoniada por Katniss e torcendo por todos eles. O que a autora faz com Peeta é chocante, sem mais detalhes rs. Eu só achei que ela exagerou no final, todos merecíamos um sorriso depois de tantas lágrimas e ela faz algo meio “a vida como ela é”. 

Aplausos para a autora, trama e final no quesito originalidade. A parte de mim que clamava por um final de contos de fadas chora desconsolada – confesso rs. Para mim o melhor livro é Em chamas, mesmo assim indico muito que vocês conheçam o livro e espero ansiosamente por um novo trabalho da Suzanne. Leiam!

The Hunger Games de Suzanne Collins
  1. Jogos Vorazes (The Hunger Games)
  2. Em chamas (Catching Fire)
  3. A esperança (Mockingjay).

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO