target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

No bosque da memória - Tana French

>>  quarta-feira, 30 de maio de 2012

FRENCH, Tana. No bosque da memória. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2009. (Dublin Murder Squad, v.1) Título original: In the Woods.



“Pegamos o endereço e o número de telefone de Damien, lhe demos um cartão (minha vontade era dar-lhe também um pirulito, por ter sido um rapazinho tão corajoso, mas isso não faz parte do procedimento padrão do departamento) e o mandamos de volta para onde estavam os outros...

- Doçura de rapaz – falei justamente o contrário do que eu pensava para testar Cassie.

- Pois é – Cassie concordou friamente. – Se algum dia eu quiser um bicinho de estimação, vou considerar a possibilidade.” p. 57



A cada dia fico mais fã dos romances policiais e dos livros de ficção policial em geral, cada autor tem um estilo único e conseguimos perceber claramente as diferenças de narrativa de cada um; é um estilo que foge da mesmice dos romances, sobrenaturais e chick-lits que na grande maioria vêm com uma fórmula fácil de sacar. O livro de hoje não fugiu a esta regra, com um ótimo senso de humor e um enredo inteligente conheçam No bosque da memória da irlandesa Tana French.


Adam Ryan, 30 anos, é detetive de homicídios na cidade de Dublin e carrega em segredo um passado sombrio. Porém, inevitavelmente, este passado virá a tona no decorrer do novo caso que pegou com sua parceira, Cassie Maddox, 28 anos. Tudo começou com uma bailarina morta e depois... vou explicar do começo.

O corpo de uma menina de apenas 12 anos é encontrado próximo a floresta de Knocknaree. No meio de uma escavação arqueológica, largada em cima de um altar de sacrifícios. Katharine Devlin sonhava em ser bailarina, tinha um futuro promissor pela frente, e agora estava morta. Os detetives novatos Adam e Cassie assumem o caso, e logo no começo da investigação ele precisa desenterrar seu passado.

Foi no ano de 1984, há 18 anos, quando três crianças de 12 anos foram brincar na floresta vizinha às suas casas, quando duas delas desapareceram misteriosamente e apenas uma sobreviveu. O crime nunca foi desvendado, os corpos nunca foram encontrados. Rob Ryan, única testemunha, nunca se lembrou dos eventos traumáticos daquele dia. Seus melhores amigos, Jamie Rowan e Peter Savage, sumiram na floresta sem deixar pistas.

Depois disso Rob Ryan estudou em um colégio interno, tentou apagar o passado e anos depois se tornou policial. Mudou de nome para manter o episódio esquecido, mas agora começam a surgir conexões entre o assassinato de Kat Devlin e os acontecimentos passados. Será que Ryan poderá manter-se em segredo?

As pistas sobre o assassino da garotinha não levam a lugar nenhum, alguns desconfiam de ação de forças sobrenaturais, investigam os pedófilos e esquizofrênicos da cidade. Cada pista leva-os a uma série de historias paralelas, a família da vítima é estranha e desperta suspeitas. E tudo os leva, mas uma vez, para o sombrio bosque.

"Antes que comecem a acompanhar minha história, faço duas advertências: eu corro atrás da verdade. E minto." p.14

~~~~~

Fico até com vergonha de dizer que “fiquei grudada neste livro até o final”, percebi que digo muito isto sobre os romances policiais, mas quando o enredo é bom eu sempre figo agoniada tentando descobrir o assassino. Neste caso posso dizer que matei uma das charadas, mas mesmo assim me surpreendi muito com o final.

A autora me surpreendeu, sua trama é muito bem elaborada, a evolução do enredo é instigante, seus personagens são bem construídos e suas personalidades são tão reais e bem retratadas que me vi conectada com todos eles. Ryan e Cassie são uma dupla perfeita, nunca vi dois parceiros que se interagem tão bem durante um livro.  Ela descreve este relacionamento com tantos detalhes que me apaixonei pelo dois. Adorei também as tiradas de humor do narrador, como exemplo o trecho que citei no início deste texto.

Este livro é o primeiro de uma série, e no final fiquei imaginando que a Cassie que irá narrar o próximo livro, ela acaba roubando algumas cenas e seu papel também é muito importante. Só espero que Ryan também tenha destaque nos próximos, ele me irritou em diversos momentos com seu comportamento esquivo e confuso, mas mesmo assim gosto dele.

A narrativa é feita em primeira pessoa e conta o presente deles durante a investigação e algumas cenas do passado, do crime que aconteceu quando ele tinha 12 anos. Estas lembranças me deixavam agoniada e eu estava louca para saber o que tinha acontecido com aquelas crianças...

Parei! Não posso contar mais nada, mas sem dúvida indico esta série para quem gosta de policiais, a autora é muito boa e vale a pena conhecer seu trabalho. Já adianto que é uma narrativa mais densa, eu não achei cansativo, mas quem gosta de livros rápidos e ágeis pode não curtir tanto. Leiam!

Série Dublin Murder Squad de Tana French
  1. No bosque da memória (Título original: In the Woods)
  2. Dentro do espelho (Título original: The likeness)
  3. O passado é um lugar (Faithful place)
  4. Porto inseguro (Broken harbour).
  5. The secret place (ainda não lançado no Brasil).
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO