target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Encarcerados - Alexander Gordon Smith

>>  terça-feira, 30 de outubro de 2012

SMITH, Alexander Gordon. Encarcerados. São Paulo: Editora Benvirá, 2012. 304p. (Fuga de Furnace, v.1). Título original: Lockdown.

“Deixei-me cair de joelhos, a cabeça enterrada entre as mãos. Tinha que haver uma saída, um modo de escapar daqui. Tentei encontrar um no redemoinho de meus pensamentos, tentei imaginar um plano. Mas tudo que conseguia pensar era como viera parar aqui, como havia deixado de ser um garoto normal e me transformado em um prisioneiro no pior buraco do inferno na Terra.
Como tinha terminado aqui em Furnace.” p.11

ESCAPAR, o que parece impossível, é a única esperança. Do inferno de Furnace, porque da leitura é impossível, eu só parei quando terminei e só consegui pensar: ainda bem que já tenho o segundo em casa esperando. Este é para quem gosta das séries juvenis mais fortes, que envolve aventuras, perigos e... morte. Respire fundo e conheça a narrativa viciante de Encarcerados do inglês Alexander Gordon Smith.

Alex Sawyer tinha 12 anos quando passou de valentão da escola, para delinquente juvenil. As brincadeiras e ameaças aos meninos mais novos virou extorsão, os trocados já não eram suficiente e ele e seu melhor amigo – Toby, começaram a assaltar as casas da vizinhança.

Até aquele último assalto, uma grande casa vazia, uma grana que os manteria por meses. Se não fossem os homens mal encarados de terno preto e máscaras de gás que de repente entraram na casa. Toby foi assassinado a sangue frio, e a vida de Alex virou um inferno.

Acusado, condenado, pelo assassinato do melhor amigo. No tribunal olhavam-o com ódio, por mais que ele negasse “eu não matei, foram os homens de preto”. Em outra época teria sido diferente, ele seria um menor infrator, mas não depois do Verão do massacre – quando gangues de jovens saíram as ruas matando por diversão.  O governo então instaurou um regime de tolerância zero e criou a Penitenciária de Furnace. Prisão perpétua em Furnace, este é o destino de Alex.

Furnace é o inferno, é muito pior do que ele teria imaginado. Os guardas são sádicos, o lugar é povoado por monstros que caçam e matam suas presas, no caso, os detentos. O toque de recolher é seguido em pânico por milhões de meninos apavorados correndo para sua celas, antes que fosse fechada. Lá é cada um por si, aliados são raros e pouco confiáveis. De Furnace, só é possível sair, MORTO. E não são poucos os que padecem rapidamente; pela mãos das gangues, pelos guardas, ou que se atiram para a morte.

As gangues dominam Furnace, mas existem muitos garotos que como Alex foram acusados injustamente, por crimes que não cometeram. Sem poder confiar em ninguém, ele só tem uma saída, ESCAPAR.

~~~~~~

Adrenalina a mil, eu me senti sugada para o mundo medonho de Furnace e devorei o livro até o final, ansiosa para descobrir o que aconteceria com Alex e seus aliados. O autor não polpa personagens e cenas fortes, garotos morrem o tempo todo, sem distinção. Esta características me lembrou de duas séries que fazem muito sucesso entre o público juvenil e que eu adoro: Gone e Amanhã. Não é um livro que eu indico sem censura, mas se você gosta das séries que citei acima, vai viciar em Encarcerados como eu. 

O livro poderia ser definido como uma distopia, ele não situa o leitor sobre o local e o período da historia no qual nos encontramos, tudo fica restrito a Furnace. O que poderia ter sido um aspecto negativo, mas só serviu para deixar o local mais aterrorizante e tenebroso, você está preso àquele cenário, junto com Alex. E neste local existem seres saídos diretamente dos livros de ficção científica, é tudo muito assustador.  Eu não tenho certeza que ele se enquadra na categoria, assim como Gone e Amanhã que não vejo como distopias. O que vocês acham?

As cenas são tão bem ambientadas que me senti como se estivesse vendo um filme, tudo passava visualmente diante dos meus olhos. E com isso sabe do que eu lembrei? Da antiga série Prison Break, que eu amava. São as gangues que se juntam e se protegem,  a violência, a comida nojenta, o local impenetrável. Claro que o contexto da série é bem mais adulto, até estranhei que no livro o contexto sexual não é citado, a violência fica restrita a quebra paus e mortes – só rsrs.

Eu tirei uma estrelinha da avaliação só porque esperava mais do final e do plano de fuga, alguns detalhes não me convenceram e eu já li na expectativa que tudo daria errado – o que vocês vão ler para descobrir, assim espero.

Se você gosta de juvenis mais pesados este é um livro que você precisa ler! Encarcerados é ação e aventura da primeira à última página! Vai para a lista das minhas séries queridinhas, LEIAM!! Ah e para quem odeia spoilers, sugiro que não leiam nada sobre os próximos títulos da série e sinopses.

Sente só ^^


Série Fuga de Furnace do Alexander Gordon Smith
  1. Encarcerados (Lockdown)
  2. Solitária (Solitary)
  3. Sentença de morte (Death sentence)
  4. Fugitivos (Fugitives)
  5. Execução (Execution).
Interligado: The night children: escape from Furnacy story.

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO