target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

A vez da minha vida - Cecelia Ahern

>>  quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

AHERN, Cecelia. A vez da minha vida. São Paulo: Editora Novo Conceito, 2012. 384p. Título original: The time of my life.

“- Eu não minto para todos, você sabe.
- Eu sei. O número errado.
- Vê? Outra coisa estranha.
- Não exatamente. Às vezes, números errados são os números corretos. – Sorriu.” p.131

Este é o quarto livro que leio da irlandesa Cecelia Ahern e gosto muito do estilo peculiar de suas tramas. Eles costumam ter um toque de fantasia e uma grande lição de vida no fundo, que ela inclui na trama sem parecer maçante. Hoje vou falar do último lançamento da autora no Brasil, A vez da minha vida.

Lucy Silchester, 30 anos, atingiu aquele péssimo clichê... solteira, morando sozinha e com um gato. E pior, um gato que vivia preso no seu apartamento, já que seu senhorio proibia animais no prédio. Se é que podia chamar de lar, aquele apartamento minúsculo, com o carpete encardido e cheio de móveis que vinham de um lugar maior.

Além disso Lucy tinha um emprego que apenas tolerava, colegas de trabalho medíocres e odiava passar algum tempo com seus pais e irmãos. Assim ela inventava desculpas atrás de desculpas, para chegar mais tarde, sair mais cedo, ou se possível, nem comparecer. O mesmo se dava com seus amigos, sempre que surgia alguma pergunta mais pessoal, ela arrumava um jeitinho de ir embora no minuto seguinte.

Aos poucos, vamos descobrindo que a historia de Lucy não é o que parece, que até a versão que o leitor está conhecendo está deturpada. E é então que acontece, algo que ela só tinha visto em revistas, Lucy recebe um convite para se encontrar com a sua Vida.

O homem se apresenta como sua Vida, e está bem mal fisicamente, parecendo desleixado e pouco a vontade. Ele precisa que ela entenda o que está fazendo com sua Vida, com ele. Lucy precisa consertar as mentiras e meias-verdades que ela conta para todos, até para ela mesma. Ele quer que ela enxergue o que realmente importa, mas ela não gosta nem um pouco de alguém que se intromete tanto em suas decisões.

~~~~~~

Os personagens criados pela autora são bem peculiares e anti-herois, cheios de problemas e defeitos que trazem consequências para suas vidas. Isso fica claro comparando este livro com Aqui é o melhor lugar e Onde terminam os arco-íris. Personagens bem humanos, falhos e que terão muito a aprender ao longo da trama. Lucy é bem assim, você não vai se apaixonar pela moça, vai criticá-la e se irritar com ela. Mas também irá aprender a torcer por ela, e desejar que ela melhore no final.

O livro tem outros personagens interessantes como Don, seu irmão Riley e sua mãe bem formal. Seus amigos também parecem legais, mas aparecem muito pouco na historia. Como a narrativa é em primeira pessoa, por vezes ficamos muito a margem da totalidade da historia, e vamos formando uma ideia da vida da personagem, aos poucos, com o que ela vai nos mostrando.

A Vida de Lucy entra na historia para colocar um pouco de ordem, o personagem é interessante, irritante e divertido. E começa a arrancar verdades da cabeça-dura Lucy. Neste quesito o livro tem um pé na literatura fantástica, como também ocorre em Aqui é o melhor lugar – um conto de fadas adaptado.  O conceito e a historia de encontro com sua Vida é bem surreal e não é explicado ao final, o que deixou um pouco a desejar.

Eu gosto muito da narrativa da autora e da forma como ela usa o romance a fantasia como forma de expressar sua filosofia de vida, de levar seus personagens a um crescimento interior. Mas não é um estilo que iria agradar todo mundo, sua forma pouco comum de dar uma lição de vida nos protagonistas é bem surreal, leia com a mente aberta.

O livro tem também um toque de diversão, um quê de suspense - Lucy guarda vários segredos por muito tempo - e algum romance. Blake é o ex de Lucy, ela parece ser apaixonada por ele. Don é um número errado em uma ligação telefônica, que acaba por colocar cenas divertidas e intrigantes na historia.

E se você tivesse a chance de mudar sua vida? Será que estaria satisfeito com o que conquistou? Será que estaria frustrado com algumas escolhas? Algumas passagens do livro me fizerem pensar, leiam e tirem suas próprias conclusões. É um livro de descobertas.

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO