target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Restos mortais - Patricia Cornwell

>>  quinta-feira, 27 de junho de 2013

CORNWELL, Patricia. Restos mortais. São Paulo: Editora Paralela, 2013. 308p. (Kay Scarpetta, v.3). Título original: All that remains.

“Se o comportamento violento e agressivo domina o pensamento e a imaginação, a pessoa começa a agir de maneira a se aproximar da expressão real dessas emoções. A violência alimenta pensamentos mais violentos, e pensamentos mais violentos estimulam ações violentas. Depois de um tempo, a violência e o assassinato passam a fazer parte da vida adulta, naturalmente, e o sujeito não nada de errado nisso. Ouvi serial killers dizerem enfaticamente que, ao matar, eles estão fazendo apenas o que todo mundo gostaria de fazer.” p. 271

Kay Scarpetta, resolvendo crimes desde 1990! Hehe. Mas é verdade, a série policial é mais antiga, e por isso ainda mais interessante; sem todos os recursos modernos à sua disposição, a legista e a policia analisam cada detalhe, usam muito de sua intuição e inteligência para desvendar os crimes. Com vocês o terceiro livro da série com Restos mortais da Patrícia Cornwell.

Esta resenha não contém spoiler do livro anterior, os livros são bem independentes. Se você ainda não leu confira as resenhas de Post mortem e Corpo de delito.

A Dra. Kay Scarpetta – legista chefe do departamento de medicina legal – está acostumada a desvendar os piores crimes. Kay é obcecada pelo seu trabalho, e não mede esforços para ajudar o detetive Pete Marino a desvendar os homicídios da cidade. E agora o caso era ainda pior, Bento Wesley, consultor do FBI, está cheio de mistérios e seguindo uma outra linha de investigação.

A historia começa quando um casal de namorados some sem deixar muitas pistas, um carro abandonado, nada que demonstre que um crime foi cometido. Mas Kay e os outros policias já desconfiam que o pior aconteceu, casais de jovens desparecidos foram encontrados meses depois, assassinados e em estado avançado de decomposição no meio do mato.

O estado dos corpos não deixam muitas pistas para Kay, nada de digitais, nada de fibras ou fios de cabelos. Na verdade, ela não consegue identificar nem a causa da morte. A imprensa está em polvorosa, o FBI toma conta da investigação e Kay se sente incapaz de ajudar.

Mas ela não desiste, a legista temperamental e detalhista não polpa esforços para reunir as mínimas pistas e teorias. Ela volta ao passado, investiga cada migalha que nota na cena do crime, Kay é incansável!

Sua vida pessoal é sempre deixada de lado, com o coração partido ela evita pensar no ex namorado, e se concentra apenas nas vítimas. Quando uma política poderosa perde a filha, o caso toma novas proporções.

~~~~~~

Ah eu adorei este volume! Fico feliz em dizer que é o melhor da série até agora. Esta série é bem independente, a cada livro Kay e Marino têm um novo caso a investigar e ele não deixa spoilers de outros volumes.

Mas nem por isso o leitor deve lê-los fora da ordem, bom você pode ler se quiser não vai perder nada sobre a historia atual, mas vai perder muito sobre o psicológico dos personagens. Entendam, Kay é uma solitária, uma mulher que não tem uma vida amorosa feliz, mal da atenção para a família e vive para o trabalho. E no começo você a acha fria e sem graça, no terceiro você está torcendo por ela, entendendo todos os seus dramas pessoais. Com Marino é a mesma coisa, o policial grosso, truculento e machista dos primeiros livros começa a mostrar um lado sensível e solitário, foi muito legal conhecer um novo lado do personagem.

E o caso acho que é o melhor até agora, um serial killer misterioso, vários corpos de casais encontrados ao longo dos anos, pouquíssimas pistas. A autora constrói o enredo explicando muito bem todas as vertentes, deixa pequenas pistas para o leitor, que vai junto com a protagonista para a investigação. E o final é bem explicado, não fica nada jogado para o leitor só para manter o mistério, faz sentido quem mata e como mata.

Estou fã da série, espero que daqui para frente só melhore. Só não levou nota 5 porque ando muito exigente, ou porque a única coisa que não gosto aqui é a narrativa em primeira pessoa, na ficção policial perdemos muito da narrativa quando tudo está focado na protagonista.

Indico sem dúvida para quem gosta de ficção policial ou quer tentar um novo estilo, a investigação é muito mais interessante sem todo o maquinário dos livros atuais que detectam DNA e impressões digitais em minutos. Leiam!!

Série Kay Scarpetta da Patricia Cornwell
  1. Post mortem (Post mortem)
  2. Corpo de delito (Body of evidence)
  3. Restos mortais (All that remains)
  4. Desumano e degradante (Cruel and unusual)
  5. The body farm  (Nesta segunda edição, os demais não lançados no Brasil)
  6. From Potters Field
  7. Cause of death
  8. Unnatural exposure
  9. Point of origin
  10. Black notice
  11. The last precint
  12. Blow fly
  13. Trace
  14. Predator
  15. Book of the dead
  16. Scarpetta
  17. The Scarpetta factor
  18. Port Mortuary
  19. Red mist
  20. The bone bed
  21. Dust
  22. Flesh and blood: A Scarpetta Novel.
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO