target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Um motim no tempo - James Dashner

>>  terça-feira, 5 de novembro de 2013

DASHNER, James. Um motim no tempo. São Paulo: Editora Seguinte, 2013. 240p. (Infinity Ring, v.1). Título original: A mutiny in time.

“- Bem vindo a bordo do Santa Maria – disse o homem, estendendo a mão. Dak o cumprimentou timidamente, e quase teve o braço arrancado pelo aperto de mão firme que recebeu.
- Eu sou Cristovão Colombo.” p. 172

A proposta desta série teen é bem interessante, é voltada para o público bem jovem e a proposta é parecida com The 39 Clues, que eu amo. Infinity Ring já conta com 8 livros, escritos por autores diferentes. O mote é uma aventura de viagem no tempo, onde os protagonistas terão que voltar ao passado, consertar a historia e com isso salvar a humanidade da extinção. Hoje vou falar sobre o primeiro volume da série com Um motim no tempo do James Dashner.

Dak Smyth e Sera Froste são melhores amigos desde sempre. Ele um aficionado por historia e por queijo, considerado totalmente esquisito pela família e pelos colegas da escola. Afinal, qualquer fato remotamente interessante, pode gerar um discurso empolgado, falando de alguma coisa que aconteceu há muitos anos atrás. Já Sera é apaixonada por física quântica. Ambos são inteligentes demais e sabem que o mundo não anda bem.

São furacões, terremotos e outros desastres naturais que ocorrem diariamente, os eventos são imprevisóveis e destroem cidades e países. E a organização responsável por cuidar do planeta, a SQ, não está muito preocupada com o assunto.

Curiosos, os dois aproveitam uma viagem dos pais de Dak, que são cientistas, para invadir o laboratório de pesquisa e explorar o local. Sera logo entende o que os pais de Dak estão pesquisando, um dispositivo que quando for finalizado possibilitará a viagem no tempo – o Anel do Infinito. Sera, que sabe tudo sobre o assunto, acaba desvendando a peça faltante e terminando o artefato.

E é assim que eles acabam sendo recrutados pelos Guardiões da História, uma sociedade secreta criada há séculos para combater os agentes da SQ. Agora eles precisam correr contra o tempo para corrigir as Grandes Fraturas da historia, devolvendo o mundo ao seu ciclo natural. É isso ou o fim do mundo.

E é assim que os dois partem em uma missão para salvar o planeta, e voltam para 1492, onde um importante fato histórico está prestes a acontecer, a descoberta das Américas.

~~~~~~

Como disse no início, a série segue o mesmo modelo da minha queridinha, The 39 Clues, e foi impossível não compará-las. E partindo daí, o primeiro livro não consegue ser tão bom, embora a leitura tenha sido muito legal. Primeiro vou dizer que adorei a premissa, a historia toda de Viajar no tempo e os grandes fatos históricos que precisam ser corrigidos é bem legal. Mas o livro foi todo mundo corrido, vários acontecimentos não foram bem explicados e os dons dos dois protagonistas surgem do nada. Sim, eles são fofos e muito inteligentes, são gênios e tal. Mas eles eram meio nerds, então a corrida toda enfrentando capangas do século XV foi um exagero. Onde Dak aprendeu a dar um murro e lutar com uma espada? Aff. 

Um motim no tempo é narrado por James Dashner, autor da famosa série Maze Runner, eu ainda não li, mas todo mundo fala maravilhas do autor.

Eu adoro infanto-juvenis, mas eu gosto de historias muito bem desenvolvidas e aqui parece que tudo foi jogado para o leitor. E até a fantasia tem que ter um pouco de sentido, aquela coisa de ter ajudantes lá no passado para servirem de guias para os meninos em cada fratura foi muito estranho. Porque os guias estavam lá antes mesmo da fratura ser criada? E se eles estavam lá, porque não corrigiram o negócio de uma vez? Ninguém me convence disso, se você aí leu e tem alguma ideia  a respeito, por favor me diga! xD

No mais eu gostei dos meninos e mais ainda da missão que eles precisam cumprir neste volume: impedir um motim que irá fazer com que os irmãos Amáncio acabem descobrindo as Américas, enquanto Cristóvão Colombo era atirado ao mar hehe.

Uma curiosidade: Após a leitura de cada volume você pode explorar um episódio online, o deste volume é o jogo O rei dos diamantes.

Eu vou continuar a série, achei legal e divertida, mas vou ler sem ficar pensando “ah fala sério!”, senão já sei que vou ficar de birra hehe. Apesar dos aspectos que não curti muito eu indico para o público jovem, a partir dos 10, 12 anos, é uma ótima historia para incentivar os jovens a gostar de ler. Quem leu compartilhe sua opinião.

Série Infinity Ring
  1. Um motim no tempo (A mutiny in time) – James Dashner
  2. Dividir e conquistar (Divide and conquer) – Carrie Ryan
  3. O alçapão (The trap door) – Lisa McMann
  4. A maldição dos ancestrais (Curse of the ancients) – Matt de La Pena
  5. A caverna das maravilhas (Cave of Wonders) – Matthew J. Kirby
  6. Atrás das linhas inimigas (Behind enemy Lines) – Jennifer A. Nielsen  
  7. O império de ferro (The iron empire) – James Dashner
  8. Eternity - Matt De La Pena (ainda não lançado no Brasil)
Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO