target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Dividir e conquistar - Carrie Ryan

>>  quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

RYAN, Carrie. Dividir e conquistar. São Paulo: Editora Seguinte, 2013. 214p. (Infinity Ring, v.2). Título original: Divide and conquer.

“Ela tinha acabado de se virar para Bill para perguntar mais sobre o que ele sabia, quando ouviu Riq soltar um suspiro. Ao se virar para eles, seu rosto estava carrancudo.
- Bem, a boa notícia é que encontrei Dak. A má é que os vikings também.” p.54

Infinity ring é uma série voltada para o público bem jovem que já conta com 8 livros, narrados por autores diferentes. O mote é uma aventura de viagem no tempo, onde os protagonistas terão que voltar ao passado, consertar a historia e com isso salvar a humanidade. A resenha de hoje é sobre o segundo volume da série com Dividir e conquistar da Carrie Ryan.

Dak Smyth e Sera Froste, 11 anos, são grandes amigos que descobrem um dispositivo capaz de voltar no tempo, o Anel do infinito. Eles são informados pelos Guardiões da historia que só eles podem combater a SQ – a organização responsável por cuidar do planeta -, antes que seja tarde demais. Eles precisam voltar ao tempo e corrigir as grandes fraturas da historia, acontecimentos que teriam que ser diferentes, se a SQ não intervisse. Na primeira aventura eles voltam a 1492, e precisam impedir que a pessoa errada descubra a América e ajudar na Revolução Francesa.

A partir daqui pode conter spoilers se você não leu o primeiro volume da série. Confira a resenha de Um motim no tempo.

Eles lutaram e conseguiram, garantiram que Cristóvão Colombo descobrisse a América e o sucesso da Revolução Francesa. Agora Dak e Sera contam também com a ajuda de Riq, um guardião da historia que acaba viajando com eles, mas ele é pouco mais velho que os dois, e apesar de inteligente, não têm as respostas que precisam.  Eles viajam novamente, mas Sera acha que errou os cálculos quando se veem ainda em Paris.

Até que percebem que o cenário é bem diferente, eles estão no ano de 885 e na Paris Medieval, os vikings acabam de cercar a região. Centenas de navios vikings enchem os olhos de Dark de alegria, para desespero de Sera. Sem saber como agir e o que deve acontecer para mudar a historia, eles impedem que os parisienses se rendam e a guerra está declarada. Enquanto pensam se esta foi a decisão certa, Dak é capturado pelo exército inimigo e forçado a lutar com eles.

Riq e Sera tentam ajudar a proteger a cidade, mas logo percebem que suas Reminiscências – uma sensação de vazio, como se algo tivesse sido apagado da memória – estavam piorando, o que significa que podem ter feito a escolha errada.  Enquanto isso Siegfried, o líder dos vikings e membro da SQ, usa de todos os recursos para tomar Paris. Em meio a uma chuva de flechas e ataques de catapultas, Dak, Riq e Sera logo irão descobrir os efeitos de suas escolhas.

“- Então quer dizer que não vou ganhar nenhum tipo de armadura? – Dak perguntou, enquanto Rollo jogava pele de lobo sobre seus ombros, de modo que a cabeça do animal ficasse sobre a do garoto.
- O espírito desse animal vai proteger você – Rollo respondeu, totalmente sério.
Dak quis dizer: ‘Pois é, funcionou muito bem para o próprio animal, inclusive’, mas guardou o pensamento para si...” p. 124

~~~~~

Gostei mais do que do primeiro volume, no primeiro achei que as aventuras foram exageradas, exigindo das crianças algo que elas não teriam domínio para fazer, e achei tudo muito corrido.  Agora temos cenas mais divertidas, a aventura em si me prendeu mais, achei que a série melhorou consideravelmente. Apesar que continuo achando Dak muito chato e bobo, com suas atitudes inconsequentes. Mas reconheço, ele garante as cenas mais divertidas com suas confusões.

Como eu disse antes, cada volume será narrado por um autor diferente, o primeiro livro foi do James Dashner autor da famosa distopia Maze Runner. Mas preferi a narrativa da Carrie Ryan, conhecida por aqui com o livro A floresta de mãos e dentes – tenho os livros dos dois autores e não li até hoje aff. :P

O melhor da série são as pequenas aulas de historia, incluídas nos livros de forma tão gostosa e divertida, como já disse antes, o mesmo esquema da minha querida The 39 Clues. Além disso, após cada volume você pode se divertir com um jogo online;o deste volume é o A vingança dos casacas vermelhas.

Um ótimo presente para os pré-adolescentes a partir dos 10 ou 12 anos (nem sei mais quando começa isso de pré adolescência, quando você  diz a palavra "criança" deixa todos eles ofendidos ultimamente rs). Uma aventura divertida, bem escrita e que além de incentivar a leitura, conta com uma lição de história. Leiam. ^^

Série Infinity Ring
  1. Um motim no tempo (A mutiny in time) – James Dashner
  2. Dividir e conquistar (Divide and conquer) – Carrie Ryan
  3. O alçapão (The trap door) – Lisa McMann
  4. A maldição dos ancestrais (Curse of the ancients) – Matt de La Pena
  5. A caverna das maravilhas (Cave of Wonders) – Matthew J. Kirby
  6. Atrás das linhas inimigas (Behind enemy Lines) – Jennifer A. Nielsen  
  7. O império de ferro (The iron empire) – James Dashner
  8. Eternity - Matt De La Pena (ainda não lançado no Brasil)
Avaliação (1 a 5): 3,5

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO