target="_blank">Some alt text
Promoções
target="_blank">Some alt text
Viaje com as séries
target="_blank">some alt text
Viaje comigo
target="_blank">some alt text
Ofertas Submarino
target="_blank">Some alt text
Os melhores do ano
target="_blank">Some alt text
Viajando no mundo das cores

Sangue no outono - Mons Kallentoft

>>  terça-feira, 31 de dezembro de 2013

KALLENTOFT, Mons. Sangue no outono. São Paulo: Editora Saraiva, 2013. 496p. (Malin Fors, v.3). Título original: Hostoffer.

“Posso talvez me divertir um pouco com toda esta situação. Brincar com a justiça como tantas vezes fiz. Mas como é que eu vou poder fazer isso? Meu corpo está cheio de buracos. Alguma coisa está errada. Alguma coisa está errada.
Socorro.
Ajudem-me
Malin Fors.
Não reconheço mais o meu medo. É um medo totalmente novo.
Só você pode me tirar daqui, Malin! Não é verdade?
Só você poderá anestesiar o medo do qual eu, tão desesperadamente, tento fugir.
Do qual também você tenta fugir. Não é verdade?” p.78

A terceira aventura protagonizada pela Detetive de Homicídios Malin Fors, trás de volta os personagens complexos e atormentados do sueco Mons Kallentoft. Com uma narrativa onde até o assassino e o morto tem voz, conheça Sangue no outono.

Não contém spoilers sobre os livros anteriores da série. Se quiser conhecer mais, confira as resenhas de Sangue no inverno e Sangue no verão.

Linköping no sul da Suécia sai de um verão insuportável e entra no outono com uma chuva forte que não passa, as ruas encharcadas, os bueiros transbordando, as ratazanas que morrem afogadas no esgoto e flutuam pelas ruas da cidade. A tempestade corre forte também na vida de Malin Fors, competente detetive de 35 anos, que está passando por momentos difíceis e seu problema com a bebida cada vez mais grave.

Seu parceiro Zacharias “Zeke” Martinsson e seu chefe Sven Sjoman estão preocupados, mas Malin não aceita que ninguém se intrometa em suas vidas. Ainda mais depois do que aconteceu com sua filha Tove no verão passado, mas ninguém consegue conversar sobre isso. Como resultado Malin bebe mais a cada dia e começa a prejudicar seu desempenho no trabalho. Mas eles precisam dela, principalmente, quando descobrem um corpo.

No fosso do castelo de Skogsa, flutua o cadáver de seu dono, o rico advogado Jerry Petersson. O corpo desovado tem quarenta facadas e uma pancada na cabeça, fora do fosso seu cachorro late desesperado. Jerry não tem família nem amigos conhecidos, a investigação é lenta e cheia de mistérios.

Os antigos donos do castelo por gerações - a aristocrática família Fagelsjo -, foram obrigados a colocar o castelo à venda. As primeiras suspeitas caem sobre eles. O passado de Petersson é misterioso e complicado, ninguém parecia conhecê-lo de verdade.

A investigação é lenta, Malin tenta direcionar toda a sua energia para o trabalho, mas não consegue deixar os problemas de lado. Tudo é muito complicado e doloroso... como sempre ela ignora tudo, menos as garrafas de tequila, e segue na busca do assassino.

~~~~~~

Novamente a editora optou por preencher a contracapa com uma citação e comentários sobre a obra, deixando a sinopse apenas para a folha de rosto. Mas pelo menos desta vez não tem nenhum spoiler nela, problema resolvido. ^^

A narrativa de Kallentoft continua intrigante, ele concentra sua narrativa no psicológico dos personagens, de todos eles. Todos os investigadores, o morto, o assassino, os suspeitos. A narrativa em terceira alterna-se durante todo o livro; eu gosto da abordagem, nenhum personagem fica a margem da narrativa.

Já sobre o enredo, este caso me conquistou menos que os anteriores, talvez por não termos um assassino em série e apenas a busca pelo assassino de um homem que não era lá assim, uma boa pessoa. Achei a investigação um pouco chata, algumas coisas foram previsíveis e não me empolguei.

Vale a leitura pelo contexto da série, quem acompanha todos os livros quer ver a evolução da historia pessoal de Malin, que neste volume está no fundo do poço. Eu me irritava todas as vezes que ela empurrava os problemas para debaixo do tapete e bebia até apagar. De como ela tentava não beber e acabava desacordada do mesmo jeito. Até que no trabalho todos começam a perceber e os problemas não são mais toleráveis.

O autor além do problema do alcoolismo aborda problemas sociais como o bullying, que foi abordado de forma misteriosa e bem interessante.

Como fã de ficção policial eu gosto da série, mas não teve ainda um livro que eu tenha amado, este foi o que menos gostei até agora na verdade - falando da parte investigativa. Eu também tenho medo desta cidade, o pior verão, o pior inverno, um outono de amargar... este autor tem algum problema com o clima. :P Eu torço muito por Malin, fico angustiada com o sofrimento da protagonista. Apesar da resenha não conter spoilers dos volumes anteriores eu acredito que a série deva ser lida na ordem, principalmente para entender os problemas de todos os personagens. 

Indico para quem gosta de uma investigação com uma abordagem baseada no psicológico dos personagens e de uma narrativa diferente. ^^

Série Malin Fors de Mons Kallentoft
  1. Sangue no inverno (Midvinterblod)
  2. Sangue no verão (Sommardöden)
  3. Sangue no outono (Höstoffer)
  4. Sangue na primavera (Vårlik)
  5. Den femte årstiden (Os demais ainda não lançados no Brasil).
  6. Vattenänglar
  7. Vindsjälar
  8. Jordstorm.

Avaliação (1 a 5):

Postar um comentário

Posts Recentes

  © Viagem Literária - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL

TOPO